Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Quatro dicas para equilibrar a vida pessoal e profissional

Quatro dicas para equilibrar a vida pessoal e profissional

08/04/2015 Marcos Morita

Caso Germanwings: como lidar com as doenças da mente?

O caso do copiloto do voo da Germanwings, que colidiu contra os Alpes da França no último dia 24, o alemão Andreas Lubitz, 28 anos, traz à tona uma questão ainda mal resolvida nas empresas: como lidar com as doenças da mente.

Tudo isso parece muito paradoxal, em especial em uma época em que se estimula a heterogeneidade, seja ela física ou sexual. Em um mundo complexo, rápido e exigente, colaboradores sentem-se pressionados com as metas impostas, a competição ou medo de perder o emprego. Junte agora o mundo externo e interno e, pronto, está criado o caldeirão para que estresse, depressão e seus congêneres apareçam.

Quem já passou por algo semelhante sabe as dificuldades em lidar com calafrios, suor nas mãos, dores no peito e ansiedade, que aparecem em situações corriqueiras do dia a dia. Conversar com aquele cliente difícil, participar de reuniões, estabelecer metas e delegar atividades tornam-se pesadelos instransponíveis. Vale salientar que os sinais aparecem de maneira gradual, todavia a maioria acaba demorando demais para consultar um profissional, exacerbando-se os sintomas.

Esta demora decorre, em parte, da dificuldade em relatar o problema, já que poucas empresas têm políticas claras e profissionais de suporte ao funcionário doente. Isso faz com que muitos continuem a esconder sua situação, passando aos colegas e superiores a impressão de incompetência, falta de comprometimento ou desmotivação, gerando, em última instância, episódios traumáticos, tais como crises de choro e ataques de ansiedade e pânico, prejudicando sua vida profissional e pessoal.

Só quem viveu ou está vivendo esse problema sabe o quão doloroso e difícil é gerenciá-lo. Desta maneira, listo abaixo quatro dicas que aprendi com profissionais pressionados que passaram por esta situação.

1 - Conhecer os seus limites: Este talvez seja o primeiro passo para qualquer profissional. Embriagados pelo poder, status e rendimentos provenientes de cargos elevados, buscam, a qualquer custo, promoções, as quais, muitas vezes, demoram, tardam ou nunca chegam, seja por motivos externos ou mesmo falta de capacidade. Aqueles que não conhecem seus limites se frustram, culpam os demais e vivem infelizes. Porta aberta para as doenças da mente.

2 - Saber desligar-se do trabalho: Conheci profissionais que viviam para a empresa, a qual ocupava a primeira, a segunda e a terceira posição em suas vidas. Não pestanejavam em faltar a festas dos filhos, esquecer-se de aniversários, datas importantes ou desmarcar as férias com a família. Viviam e davam sua alma para a corporação. Esquecendo-se, porém, que do outro lado dessa relação estava uma pessoa jurídica, bem mais fria e distante. Nestes casos, demissões costumam ser bombas relógios.

3 - Dar-se o respeito: Em toda empresa há lideres que inspiram e chefes que atormentam. O problema é quando a relação torna-se insustentável, e em muitos casos, pessoal. Tão ruim ou pior que a dificuldade em lidar com as doenças da mente, é a questão do assédio moral, ainda um tabu em muitas corporações. Neste caso, impor limites, saber dizer não, valorizar-se e posicionar-se é de extrema importância para a manutenção de sua saúde mental.

4- Escolha seus grandes ovos: Felizes os profissionais que não precisam chegar a situações extremas para saber que outras prioridades devem fazer parte de sua vida. Esposa ou marido, filhos e amigos, saúde física e mental são, tão ou mais importantes, que o sucesso profissional. Quem já precisou se afastar sabe a importância do cuidado de familiares, do ombro amigo e da atividade física e mental, geradoras de serotonina e bem estar.

Nem todos precisam fazer testes psicológicos frequentes, como deveria ter sido feito no caso do copiloto. Todavia, cabe somente a nós mantermos nossa sanidade mental, levando uma vida mais equilibrada, conhecendo nossos limites, sabendo dizer não, valorizando aos que nos valorizam, evitando colocar todos os ovos na mesma cesta. Aprendi a duras penas que emprego arrumamos outro, mas saúde a gente só tem uma.

* Marcos Morita é executivo, professor, palestrante e consultor. Sua palestra, As 4 Chaves do Pensamento Estratégico, vista por centenas de executivos, aborda de maneira lúdica e participativa, temas como definição de metas, inovação, gerenciamento do tempo e motivação.



O que é a Síndrome da Cabana?

A síndrome da cabana é um fenômeno psicológico onde o indivíduo apresenta dificuldade em reconectar com a vida social e profissional após um longo período de isolamento.

Autor: Alessandra Augusto

O que é a Síndrome da Cabana?

Tentar significa conseguir – um outro ponto de vista

Eu já li alguns artigos que diziam: “Tentar não significa conseguir” e neste artigo eu abordo um outro ponto de vista sobre este assunto: “Tentar significa conseguir”.

Autor: Renata Nascimento


O poder das escolhas positivas

Livrar-se de pensamentos intrusivos, sentimentos pessimistas e crenças negativas é um desafio e tanto para muitos.

Autor: Nuno Paiva

O poder das escolhas positivas

Viramos escravos das redes sociais?

A presença de celulares se tornou certa em momentos marcantes, sejam eles as primeiras palavras de um bebê ou shows de grandes artistas.

Autor: Lucas Franco Freire

Viramos escravos das redes sociais?

A solidão pode ser uma bomba relógio para o seu coração

Álcool, Isolamento social e saúde mental conheça os fatores que afetam a saúde cardíaca que vão além do sedentarismo e a má alimentação.

Autor: Divulgação

A solidão pode ser uma bomba relógio para o seu coração

Quaresma: tempo favorável à conversão

Por meio do tempo litúrgico da Quaresma, a Igreja se prepara para celebrar o mistério do Cristo Ressuscitado, vencedor da morte e do pecado.

Autor: Padre Wagner Ferreira da Silva

Quaresma: tempo favorável à conversão

Mesmo enfermo, eu sou guerreiro!

Vários cientistas, de todas as partes do mundo, pesquisam exaustivamente a relação entre a fé e a superação de doenças.

Autor: Luzia Santiago


Levar a felicidade para passear

Um modelo de felicidade para mim é levar minha cachorrinha, Bella, para passear. Uma atividade que o resto da família não curte e não reproduz quando eu não posso fazê-lo.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Levar a felicidade para passear

Família Salesiana comemora 200 anos do sonho de Dom Bosco

O sonho de Dom Bosco aos nove anos nos convida a olhar para nossa vida e perceber o chamado de Deus.

Autor: Vera Lúcia Reis


Uma história de ninar para quem tem medo do escuro

Inspirado na própria infância, quadrinista Landis Blair publica "A Cabana Noturna", que transforma a hora de dormir em um momento tranquilo, longe de monstros imaginários.

Autor: Divulgação

Uma história de ninar para quem tem medo do escuro

Uma caminhada em direção ao amor-próprio

Beatriz Ribeiro explora as várias facetas da complexa experiência humana em livro.

Autor: Divulgação


5 dicas para lidar com os pesadelos

Estratégias que podem ajudar a ter uma noite de sono tranquila.

Autor: Dra. Márcia Assis

5 dicas para lidar com os pesadelos