Portal O Debate
Grupo WhatsApp

São José, o justo

São José, o justo

21/03/2024 Sandro Arquejada

O trecho do Evangelho que se refere a José como homem justo é precisamente o que, na sequência, relata sua magnanimidade.

São José, o justo

Ser justo significa retidão moral, aponta para o que são direitos e deveres; ainda, a consequência de uma ação; diz respeito também de uma consciência imparcial, que julga ou classifica gerando um equilíbrio.

Todas essas definições se encaixam com o adjetivo que a Bíblia cita a São José (cf. Mt 1,19), no entanto, o sentido teológico de tal palavra, vai além do que pensamos comumente.

Jesus diz que “se a vossa justiça não for maior que a dos escribas e fariseus, não entrareis no Reino dos Céus” (Mt 5,20), portanto, é uma justiça que supera os códigos morais elaborados pelos homens e credencia a entrar na vida eterna, pois indica mais se tratar da bondade, caridade, do amor ágape, do que propriamente da justiça humana.

O trecho do Evangelho que se refere a José como homem justo é precisamente o que, na sequência, relata sua magnanimidade. Sabendo que Maria estava grávida, e “não querendo difamá-la, resolveu rejeitá-la secretamente” (Mt 1,20). Ou seja, podendo denunciá-la e até mesmo condená-la – o que, na justiça dos homens, era cabível – o pai adotivo de Jesus salvou a pessoa que poderia tê-lo “traído”. E de que forma? Assumindo para si a culpa. 

Logo, o justo no Reino de Deus é aquele que pratica em altíssimo grau, a capacidade de sacrifício próprio por outro. Assim é São José! 

Pouca coisa é dita nas Sagradas Escrituras a respeito de São José. Mas deixa claro que ele foi imprescindível, foi o guardião do menino num tempo em que a vida do Filho de Deus precisou ficar oculta, inclusive pelos perigos de morte.

Os apóstolos tinham como missão tornar Jesus conhecido. Já São José teve como missão escondê-lo, quem sabe, por isso, a Bíblia foi tão reservada em falar dele. Talvez para nos mostrar que a magnanimidade, a doação de si, se dá nos bastidores da vida. Era nas tarefas comuns e repetitivas do dia a dia que José foi gigante no amor. 

Sua justiça estava na decisão de se sacrificar em tudo, no ordinário da vida, por aqueles que lhe foram confiados, não poupando tempo, recursos e esforços. Vemos que José renunciou a tudo o que sonhou e construiu pelos outros. E não somente quando as situações eram graves. O fato de terem ido morar em Nazaré, cidade de Maria, após voltarem do Egito, e não em Belém, cidade de José, mostra que ele privilegiou sua esposa.      

Da Sagrada Família, só José não nascera sem a mácula do pecado. Mas, engana-se quem imagina que por isso ele não alcançou um altíssimo grau de perfeição em todas as virtudes. Afinal, para educar o Filho do Altíssimo e ter como esposa aquela que foi escolhida para a tão grande missão de gerar o Salvador, José também foi um homem da mais nobre estirpe em santidade.        

Que grande exemplo para nós, principalmente para nós homens, sermos os primeiros a nos doarmos, desde as pequenas coisas do cotidiano até os maiores desafios. É assim que nos tornaremos também justos e dignos da vida eterna. São José, rogai por nós! 

* Sandro Arquejada é missionário da Comunidade Canção Nova, formado em Teologia e  Administração de Empresas. Atualmente trabalha na “Formação – Núcleo das Famílias”. 

Para mais informações sobre Bíblia clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Fundação João Paulo II / Canção Nova



Segredo para casamentos duradouros

Com os anos de relacionamento, não é incomum que todo aquele encanto, a alegria, o prazer de estar com a pessoa amada enfraqueça, diminua, encolha e desbote.

Autor: Déa Jório e Jal Reis

Segredo para casamentos duradouros

Especialista explica as consequências da timidez

Atividades que desenvolvem habilidades sociais podem ser a solução.

Autor: Divulgação

Especialista explica as consequências da timidez

Depressão e ansiedade gestacional, como identificar?

O período gestacional é um momento da vida da mulher, principalmente para as mães de primeira viagem, que mais exige equilíbrio emocional.

Autor: Dra. Andréa Ladislau

Depressão e ansiedade gestacional, como identificar?

Quer casar comigo?

Todo dia era a mesma coisa. Marieta sempre esperava o engenheiro chegar.

Autor: Beto Ribeiro

Quer casar comigo?

Prazer sexual e moralidade cristã

O prazer no casamento foi concedido por Deus ao ser humano e o pecado está no coração de quem não quer fazer a vontade do Senhor.

Autor: Osiel Gomes

Prazer sexual e moralidade cristã

Festa da Misericórdia tem sua 22ª edição neste fim de semana

Para o domingo (07/04), a Comunidade Católica, em Cachoeira Paulista (SP), espera cerca de 30 mil pessoas.

Autor: Divulgação

Festa da Misericórdia tem sua 22ª edição neste fim de semana

366 dias para estreitar o relacionamento com Deus

Pastor Michel Simplício lança devocional interativo para exercitar a fé e aliviar o estresse diário.

Autor: Divulgação


Semana Santa: caminho que nos conduz a glória da Ressurreição

O Tríduo Pascal e suas funções litúrgicas devem ser observadas por todos os fiéis com devoção e ação de graças a Deus.

Autor: Padre Ricardo Rodolfo Silva


Aceitação

Ouvi essa história na prédica de um monge budista brasileiro, Gustavo Pinto, na década de noventa. A vida parecia mais fácil nos anos noventa.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Aceitação

O que é a beleza?

Há quem diga que somos geneticamente programados para uma determinada percepção de harmonia, certos códigos áureos que transcendem ditames sociais.

Autor: Leonardo de Moraes

O que é a beleza?

Sete motivos para rir mais todos os dias

O riso é uma habilidade humana inata que antecede até mesmo nossas primeiras palavras.

Autor: Ros Ben-Moshe

Sete motivos para rir mais todos os dias

Características da ansiedade infantil: o que fazer ao identificá-las?

Muitas famílias se deparam com a necessidade de compreender e tratar transtornos ansiosos ou um comportamento ansioso de seus filhos.

Autor: Elaine Ribeiro

Características da ansiedade infantil: o que fazer ao identificá-las?