Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Será que é “crise da meia idade”?

Será que é “crise da meia idade”?

24/08/2023 Daniel Machado

Homens e mulheres vivem a “crise da meia idade”, mas de maneiras específicas.

Será que é “crise da meia idade”?

De uma forma geral, a crise da meia idade é caracterizada como uma fase da vida, um período de transição. Por isso, muitas vezes, é nomeada “a passagem do meio”, “a metade da vida”. Muitos teóricos da psicologia chamam de uma espécie de “adolescência” da vida adulta.

Justamente porque é um período de ebulição naquilo que a gente chama de passagem da primeira para a segunda metade da vida. A primeira metade vai do nascimento até, mais ou menos, os 40, 50 anos, varia muito.

A primeira metade é quando se está na plena expansão da consciência: a pessoa nasce, cresce, estuda, realiza projetos, consegue uma profissão, etapa em que há identificação com um aspecto cultural, ideológico, religioso. Também representa a fase em que ela se casa, tem filhos. É o momento que a gente chama de “fase natural da vida”, não é?!

Já a segunda metade da vida é um período em que o ser humano lida com questões que não foram resolvidas na primeira fase; quando também se lida de forma mais realista com a nossa finitude. Começa a aparecer, por exemplo, o medo do envelhecimento, o medo da morte.

Nesse período, geralmente, os pais começam a adoecer ou falecem. Aparece então um certo pavor, pânico de enfrentar essa segunda metade da vida. Contudo, não deixa de ser um período de grandes descobertas, no qual a gente ressignifica a vida, caminha muito mais para a sabedoria, para o sentido da existência.

A crise da meia idade não é uma questão muito cronológica, e sim de desenvolvimento psicológico. Por exemplo, um dos primeiros sinais é essa insatisfação generalizada, com tudo o que se tinha numa vida comum até aqui, e que, de repente, começa a tornar a vida mais ‘cinza’. Começa a ter uma insatisfação com o cônjuge, com o trabalho, com os filhos, que provavelmente já estão crescidos, na adolescência ou até na vida adulta.

A isso existe uma certa nostalgia associada ao passado. Coisas que estavam lá atrás começam a ser desenterradas. Surgem pensamentos sobre o que se poderia ter feito melhor da vida. Há a sensação que poderia ter vivido mais. Principalmente para as mulheres, surge uma preocupação excessiva com as marcas do envelhecimento, com o corpo, com a aparência física.

E, por causa de um processo de transição para a segunda metade da vida, pode-se colocar a perder muito das suas conquistas, como, por exemplo, família, filhos. Então, é preciso ter muito cuidado, porque, muitas vezes, o problema não é o casamento, o emprego, aquilo que se conquistou na primeira metade da vida, mas justamente essa ebulição que traz para fora questões não resolvidas na primeira metade da vida. E não se pode mais caminhar com essas coisas escondidas!

Vale a pena procurar uma ajuda terapêutica. O acompanhamento psicológico é muito importante nessa fase, quando chega “a crise da meia idade”, para que se viva bem essa transição, essa passagem, a adolescência da vida adulta.

* Daniel Machado é membro da comunidade Canção Nova. Formado em Psicologia pelo Centro Universitário Salesiano de São Paulo e em Filosofia pelo Instituto Canção Nova. Atualmente é coordenador do Núcleo de Psicologia Canção Nova.

Para mais informações sobre meia idade clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Fundação João Paulo II / Canção Nova



Brasileiros solidários

A Gol em parceria com a Avianca, empresas do grupo Abra, transportou doações em mais um voo humanitário.

Autor: Divulgação

Brasileiros solidários

Solidariedade permanente

Há alguém que dependa única e exclusivamente de si? "Ah, sim, 'eu sou o cara, faço e aconteço, sou uma pessoa independente'".

Autor: Padre Marcio Prado


Cemig envia equipes, geradores e veículos especiais para RGS

Equipamentos cedidos pela companhia podem atender até 2.500 mil residências afetadas pelas enchentes no estado.

Autor: Divulgação

Cemig envia equipes, geradores e veículos especiais para RGS

LBV lança campanha de combate à dengue com recado das crianças

O objetivo de promover hábitos saudáveis e eliminar criadouros do mosquito.

Autor: Divulgação


“Dias Perfeitos”: a incrível beleza das coisas simples

Talvez a maior perda de um mundo em que tudo acontece apenas dentro de uma tela é que as pessoas perdem o caminho de seu mundo interno.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Saúde espiritual: cura que vem de dentro para fora

É fato que a medicina moderna avançou consideravelmente no tratamento das doenças físicas ao longo dos séculos.

Autor: Tatiana Capanema

Saúde espiritual: cura que vem de dentro para fora

O livro de Tobias: uma história edificante

No século III antes de Cristo um grande número de judeus moravam no Egito, em Alexandria.

Autor: Lino Rampazzo


Como as emoções afetam o ambiente de trabalho?

A concorrência no mundo dos negócios é diariamente uma arena onde a racionalidade e a tomada de decisões estratégicas são imperativas para o sucesso.

Autor: Divulgação

Como as emoções afetam o ambiente de trabalho?

Segredo para casamentos duradouros

Com os anos de relacionamento, não é incomum que todo aquele encanto, a alegria, o prazer de estar com a pessoa amada enfraqueça, diminua, encolha e desbote.

Autor: Déa Jório e Jal Reis

Segredo para casamentos duradouros

Especialista explica as consequências da timidez

Atividades que desenvolvem habilidades sociais podem ser a solução.

Autor: Divulgação

Especialista explica as consequências da timidez

Depressão e ansiedade gestacional, como identificar?

O período gestacional é um momento da vida da mulher, principalmente para as mães de primeira viagem, que mais exige equilíbrio emocional.

Autor: Dra. Andréa Ladislau

Depressão e ansiedade gestacional, como identificar?

Quer casar comigo?

Todo dia era a mesma coisa. Marieta sempre esperava o engenheiro chegar.

Autor: Beto Ribeiro

Quer casar comigo?