Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Você sabia que a decoração do quarto influencia no seu sono?

Você sabia que a decoração do quarto influencia no seu sono?

21/05/2020 Divulgação

Veja dicas de como solucionar um dos problemas mais comuns entre os brasileiros, principalmente nesse período de quarentena.

Você sabia que a decoração do quarto influencia no seu sono?

Segundo a Associação Brasileira do Sono (ABS), a insônia é um mal que atinge 73 milhões de pessoas no país. Para muitos, dormir 8 horas é um verdadeiro luxo - principalmente para a população das grandes cidades. O ritmo acelerado e o estresse do dia a dia resultam em noites de sono mal dormidas. Seguido da insônia, outras queixas comuns entre as pessoas são o ronco e a apneia.

A busca por uma noite de sono contínuo pode ser um desafio para muitos, ainda mais nesse momento que as pessoas estão mais ansiosas e com metabolismo desregulado, por conta da mudança drástica da rotina. Apesar de existirem medicamentos que ajudam a dormir, a automedicação é uma prática arriscada e deve ser evitada. O ideal é adotar algumas medidas para ter um sono mais saudável, o que é possível com simples mudanças, seja no estilo de vida quanto no estilo do seu quarto.

Alguns elementos no ambiente podem, sim, ser ligados a uma boa noite de sono, como um colchão confortável, iluminação aconchegante e tonalidade das paredes do quarto mais calma, como amarelo, azul ou verde.

Tenha sempre ao lado da cama somente o essencial: uma fonte de luz, um livro de sua preferência e uma moringa com água. O celular ou computador ao lado da cama trazem muitas informações, que podem acabar com seu sono apenas com uma única notificação.

Fonte: Marabraz



Temos uma Mãe!

Assim como o mês de maio, outubro também é um mês dedicado a Maria.

Temos uma Mãe!

Sorriso nos olhos é cartão de visita no retorno presencial ao trabalho

Quem não gosta de ser recebido em um ambiente profissional com um sorriso largo dos colegas?

Sorriso nos olhos é cartão de visita no retorno presencial ao trabalho

Brincar é coisa séria!

A brincadeira é fundamental para o desenvolvimento emocional, cognitivo e social da criança.

Brincar é coisa séria!

Açúcar: O grande vilão da boca das crianças

O consumo excessivo de açúcar e a má escovação podem levar ao aparecimento de cáries.

Açúcar: O grande vilão da boca das crianças

Estudo mostra que longevidade está ligada à prática de exercícios

Pessoas obesas e sedentárias que começam a se exercitar podem diminuir o risco de morte prematura em 30% ou mais.

Estudo mostra que longevidade está ligada à prática de exercícios

No Brasil, 14% da população se considera vegetariana

Dietas vegetarianas adequadamente planejadas são saudáveis e nutricionalmente adequadas.

No Brasil, 14% da população se considera vegetariana

Mais de 20 monumentos aderem à campanha de conscientização do Setembro Roxo

Campanha alerta sobre a existência da fibrose cística para milhares de pessoas em todo o país.

Mais de 20 monumentos aderem à campanha de conscientização do Setembro Roxo

Canal Angelini aborda as histórias das religiões

Nunca foi tão importante entender a história das religiões.

Canal Angelini aborda as histórias das religiões

Vulnerabilidade a seu favor: a verdadeira liderança

Vulnerabilidade: não podemos evitá-las e viver apenas em momentos seguros.

Vulnerabilidade a seu favor: a verdadeira liderança

Você controla seu celular ou é ele que te controla?

No ano de 2020, cada brasileiro que possui smartphone passou, em média, 4,8 horas por dia utilizando o seu aparelho, segundo o novo relatório anual da App Annie.

Você controla seu celular ou é ele que te controla?

O chá e seus efeitos benéficos

Quem nunca tomou algum medicamento medicamento sem receita médica?

O chá e seus efeitos benéficos

Direitos de crianças e adolescentes em meio à pandemia

As políticas públicas e a atuação das instituições que trabalham para garantir os direitos da criança e do adolescente, tema debatido há vários anos no meio público, ganharam um novo sentido durante a pandemia.

Direitos de crianças e adolescentes em meio à pandemia