Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A produção de seringas no combate a Covid-19

A produção de seringas no combate a Covid-19

28/12/2020 Douglas Soares, Dayse Mendes e Jéssika Alvares Coppi

As empresas produtoras precisarão rever sua capacidade interna, layout, mão de obra, entre outros recursos produtivos.

A produção de seringas no combate a Covid-19

De acordo com o IBGE, por meio de estimativas da população brasileira em seus 5.770 municípios, tendo como data de referência o dia 01/07/2020, o Brasil chegou a 211,8 milhões de habitantes. Em pronunciamento no dia 08/12/2020, no Palácio do Planalto, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reiterou que todos os brasileiros que desejarem, serão imunizados contra a covid-19.

A maioria das vacinas em desenvolvimento são ministradas em duas doses, ou seja, para atingir 100% da população brasileira, conforme a afirmação do ministro, seria necessária a compra de aproximadamente 423 milhões de doses. O governo afirmou, na data de 11/12/2020, ter garantido a compra de 372,9 milhões de doses, isto é, um número de doses abaixo do necessário para a imunização de toda a população. Esse, porém, não é o maior problema para o enfrentamento da situação, uma vez que as doses iniciais devem imunizar os grupos de risco, tais como idosos, trabalhadores da área da saúde e indígenas.

Em relação às vacinas em fases finais de testes, logo após a aprovação e fabricação em grande escala, essas deverão ser mantidas em câmaras frias, durante estocagem e transporte para poder manter suas características, além disso devem ter a sua fabricação aumentada para suprir a necessidade global, o que pode vir a se tornar uma das dificuldades para a imunização no país.

No entanto, o maior problema encontrado até o momento, na verdade, é a capacidade de produção de seringas e agulhas, para possibilitar a aplicação das doses da vacina. No Brasil, existem hoje quatro fabricantes de seringas, são elas a Becton, Dickinson and Company (BD), a SR Seringas e a Injex Indústrias Cirúrgicas, e apenas uma de agulhas, a BD. A capacidade de produção atual de seringas é de 50 milhões em 5 meses (média de 10 milhões/mês) e é sabido que essas empresas estão se preparando para o aumento de demanda.

Utilizando como exemplo a fabricação de seringas, as empresas produtoras precisarão rever sua capacidade interna, layout, mão de obra, entre outros recursos produtivos. Muitas vezes bastará aumentar um turno de trabalho, porém pode haver a necessidade de se investir em equipamentos novos, aumentar área de estocagem, promover treinamento.

Como é possível perceber, todas essas decisões são difíceis e devem ser tomadas visando a melhor estratégia para as empresas, pois, causam impacto em toda a cadeia de suprimentos, inclusive, no âmbito competitivo. Ainda, a análise do fornecimento em quantidades necessárias de seringas e agulhas para atender a população vai além da capacidade de cada fornecedor, pois envolve toda uma cadeia de suprimentos que se inicia no fornecedor primário até o cliente final, como é possível observar na figura.

Esse tipo de demanda é sazonal. Isso significa que não deverá se repetir nos próximos anos e, com isso, as ações de aumento de capacidade produtiva devem ser muito bem avaliadas pelas áreas de Engenharia de Produção dessas empresas, para que não haja desperdícios ou custos desnecessários. Toda essa situação mostra a importante colaboração dessa área nas tomadas de decisão das empresas. Qualquer inconsistência pode levar a não se atingir os resultados desejados, em especial no que diz respeito ao combate à covid-19.

* Douglas Soares Agostinho é coordenador do curso de Engenharia de Produção do Centro Universitário Internacional Uninter.

* Dayse Mendes é professora do curso de Engenharia de Produção do Centro Universitário Internacional Uninter.

* Jéssika Alvares Coppi Arruda Gayer é professora do curso de Engenharia de Produção do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Pg1 Comunicação



Número de desempregados no país chega a 13,5 milhões, diz IBGE

Desemprego cai 1,6 ponto percentual e atinge 12,6%.

Número de desempregados no país chega a 13,5 milhões, diz IBGE

Delta Forum destaca iniciativas bem sucedidas de transformações urbanas

Exemplos das cidades de Óbidos, Medellín e Paracatu foram apresentados durante evento realizado nesta quinta-feira (25/11), em Belo Horizonte.

Delta Forum destaca iniciativas bem sucedidas de transformações urbanas

Pesquisa mostra brasileiros mais preocupados com pobreza e pandemia

Poluição e escassez de água potável também preocupam.

Pesquisa mostra brasileiros mais preocupados com pobreza e pandemia

Aumento da expectativa de vida não considera efeitos da Covid-19

De acordo com o IBGE, a expectativa de vida no Brasil era de 76,8 anos em 2020.

Aumento da expectativa de vida não considera efeitos da Covid-19

A Glamourização do Alcoolismo

Junto com a pandemia do Covid 19 surgiu uma outra pandemia, sutilmente disfarçada de status ou “momento de relaxamento”: o consumo excessivo de álcool.

A Glamourização do Alcoolismo

Governo sanciona lei que institui o auxílio gás

Auxílio será destinado às famílias inscritas no CadÚnico

Governo sanciona lei que institui o auxílio gás

Regras para as confraternizações de fim de ano em condomínios

Os salões de festas e churrasqueiras estão novamente disponíveis aos moradores para receber seus convidados.

Regras para as confraternizações de fim de ano em condomínios

Black Friday é o Natal dos golpistas – veja 8 caminhos para se proteger

Na Black Friday os cuidados devem ser enormes, pois sofremos com uma avalanche de promoções.

Black Friday é o Natal dos golpistas – veja 8 caminhos para se proteger

Belo Horizonte recebe o maior “Feirão Limpa Nome” de todos os tempos

Com recorde de pontos de atendimento físico no país, seis capitais devem receber milhares de brasileiros para consulta e renegociação de dívidas entre 23 e 27 de novembro

Belo Horizonte recebe o maior “Feirão Limpa Nome” de todos os tempos

Em 10 anos, Lei de Acesso à Informação contabiliza 1 milhão de pedidos

Registros de óbitos no Brasil têm alta de 14,9% em 2020

De acordo com o IBGE foi a maior alta desde 1984.

Registros de óbitos no Brasil têm alta de 14,9% em 2020

Governo lança nova versão do ID Jovem

Beneficiários terão transporte coletivo com desconto.

Governo lança nova versão do ID Jovem