Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

13/04/2024 Thiago Turcato

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Mas, de algum tempo para cá, as empresas estão percebendo que existem mais possibilidades além do desenvolvimento de produtos e serviços, passando a investir na formação de mão de obra especializada indo além dos tradicionais programas de estágio.

Para atender à demanda da indústria, outros modelos de parceria, além da científica, estão sendo implementados, e muitas empresas já perceberam suas vantagens, investindo cada vez mais em iniciativas que envolvem instituições de ensino, que vão desde doações de equipamentos e patrocínios institucionais, até a promoção e desenvolvimento de competições e concursos, entre outras iniciativas.

Já, as instituições de ensino, geralmente são muito receptivas e demonstram grande interesse em estreitar esse relacionamento, uma vez que traz inúmeros benefícios.

Como funciona?

A adoção de sistemas e soluções de automação industrial é apontada como fundamental para que setores como o de manufatura, alimentos e bebidas, mineração, entre outros, obtenham mais produtividade e reduzam seus custos, aumentando a sua participação no mercado.

Já setores como infraestrutura, saneamento e distribuição de energia precisam automatizar seus processos para entregar melhores serviços para a população. Todos esses setores enfrentam um desafio em comum, a falta de mão de obra especializada.

Por isso, é preciso fomentar um relacionamento mais próximo com instituições de ensino superior e cursos técnicos, o que pode ser viabilizado por meio de colaboradores da empresa com a instituição em que estudou ou então por meio dos coordenadores dos cursos com mais sinergia ao objetivo do projeto da empresa. Por fim, indicações via networking (parceiros) também são sempre um bom caminho.

Por que fomentar esse novo modelo de relacionamento?

Apresente um desafio a um estudante de engenharia e é quase certo que ele irá “mergulhar” no problema até encontrar a solução.

Por isso, a criação de competições ou concursos estudantis oferece a oportunidade de incentivar esse espírito de inovação, com a mentoria de profissionais, simulando a realidade do mercado de trabalho, principalmente quando a meta é o desenvolvimento de aplicações que possam ser utilizadas em situações reais da indústria no mercado em geral.

Essa maior integração faz com que o mercado de trabalho possa absorver melhor e mais facilmente os novos profissionais.

À medida que há uma aproximação maior entre a Indústria e a Academia, os recém-formados podem chegar ao mercado de trabalho mais preparados para a realidade do mercado industrial, facilitando assim essa transição tanto por parte do indivíduo como por parte das empresas.

É a famosa relação ganha-ganha. As empresas recebem jovens mais bem preparados para assumirem as suas posições.

E, os estudantes, chegam ao mercado de trabalho com maior conhecimento técnico e, também, com um melhor entendimento do ambiente corporativo.

Esse novo modelo será possível a partir de maiores conexões entre empresas e instituições de ensino, gerando oportunidades de crescimento para ambos os lados.

Devemos ensinar, aprender e inovar juntos para então prosperar e criar uma sociedade mais justa e sustentável.

* Thiago Turcato é gerente de suporte técnico da Mitsubishi Electric Brasil.

Para mais informações sobre indústria clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Intelligenzia



Aloísio Teixeira Garcia, ex-deputado estadual, morre aos 80 anos

Cultura, política e educação perderam com o falecimento no domingo passado do ex-deputado estadual e ex-membro da Academia Mineira de Letras, Aloísio Teixeira Garcia.

Autor: Divulgação


O que a pandemia nos ensinou que podemos usar no enfrentamento à dengue?

A palavra pandemia sempre nos transporta a lembranças de dias difíceis.

Autor: Jarbas da Silva Motta Junior


Catástrofe do RS exige união de esforços e não combate a Fake News

A catástrofe do Rio Grande Sul tem comovido o país inteiro.

Autor: Bady Curi Neto

Catástrofe do RS exige união de esforços e não combate a Fake News

O poder sedutor do dinheiro

Dinheiro e Poder, que dupla!

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

O poder sedutor do dinheiro

Relacionamentos: sabemos realmente o que necessitamos?

Interessante observar que o casamento, por exemplo, não cai de moda, todas as gerações ainda migram para esse modelo.

Autor: Viviane Gago

Relacionamentos: sabemos realmente o que necessitamos?

O peso dos idosos na balança eleitoral

Dados consolidados pelo Tribunal Superior Eleitoral, referentes a abril de 2024, mostram que o Brasil possui 33,7 milhões de eleitores com mais de 60 anos.

Autor: Wilson Pedroso

O peso dos idosos na balança eleitoral

Contribuintes podem ajudar vítimas no Rio Grande do Sul através do IR

O prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda termina em 31 de maio, exceto para as cidades atingidas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: Divulgação


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


A tragédia se repete e a insensibilidade política permanece

É estranho que, mesmo com todos os recursos técnicos hoje disponíveis, não se tenha conseguido evitar uma enchente de proporção ainda maior que a de 1941.

Autor: Samuel Hanan

A tragédia se repete e a insensibilidade política permanece

BH Airport suspende temporariamente arrecadação de doações

Mais de 15 toneladas de doações para o Rio Grande do Sul chegaram nos pontos de coleta do BH Airport nos últimos 5 dias.

Autor: Divulgação


Após 1500, como os portugueses conquistaram o Brasil?

De início, os portugueses passavam aqui para buscar produtos como o pau-brasil, a caminho da Índia, onde estavam as especiarias.

Autor: Víktor Waewell

Após 1500, como os portugueses conquistaram o Brasil?

Saber escutar nos aproxima das pessoas

Desde que desenvolvemos a linguagem, passamos a valorizar os grandes oradores.

Autor: Roberta Perdomo

Saber escutar nos aproxima das pessoas