Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dólar nas alturas: será que só existe desvantagem?

Dólar nas alturas: será que só existe desvantagem?

22/05/2020 Ernani Reis

Do momento em que os casos de covid-19 começaram a aparecer fora da China, a moeda norte-americana acelerou o movimento de alta dos preços.

O dólar, por aqui, chegou a ser negociado a R$ 5,97 no dia 14 maio e registrou uma valorização próxima a 30% no período de três meses.

De lá para cá, a atenção sobre a moeda passou a ser o impacto positivo ou negativo da variação do câmbio sobre os resultados das companhias negociadas na B3. No início da pandemia, a maior dúvida do mercado pairava sobre a ação do Banco Central Brasileiro na contenção da escalada dos preços. Hoje, no entanto, sabemos que a atuação do BC se limita à desaceleração do movimento de alta e não consegue fazer com que os preços recuem ao patamar do pré-crise, de R$ 4,60.

Esse redirecionamento das atenções ganhou relevância durante a primeira temporada de balanços do ano, que aos poucos vai revelando os impactos do choque cambial. Foram R$ 21 bilhões em prejuízo, considerando-se 112 companhias de capital aberto que publicaram suas demonstrações financeiras até o dia 15 de maio, excluindo Petrobras e Vale para evitar distorções.

Vale ressaltar que esses dados, obtidos na CVM e Valor Pro, são referentes ao prejuízo fiscal, ou seja, quando o estoque da dívida é convertido em reais para ser apresentado nas demonstrações financeiras, mesmo que não esteja vencendo na exercício vigente.

Mas, se por um lado os dados não representam o real desempenho das companhias, a leitura dos números pode indicar o aumento da aversão ao risco e até mesmo evoluir para a antecipação do vencimento das dívidas. Com a expectativa de piora dos resultados no segundo trimestre, o resultado caixa precisa continuar subindo – o que, neste momento, é pouco provável, com exceção dos setores essenciais. 

Por outro lado, há um aspecto positivo na desvalorização cambial, que pode ser visto nas reservas internacionais do Banco Central, que chegaram a R$ 598 bilhões no mês de maio. O aumento da reserva resulta na melhora da dívida pública líquida, já que o ativo do país pode ser utilizado pelo Tesouro para pagar a dívida pública ou injetar liquidez no mercado em caso de emergência.

A volta de um câmbio mais acessível está vinculada à capacidade de recuperação e crescimento sustentável das economias. Porém, a crise gerada pela pandemia de coronavírus é uma enorme pedra no sapato e, portanto, essa melhora deve ficar para 2021 – isso, é claro, tendo em vista as melhores projeções até o momento.

* Ernani Reis, analista da Capital Research

Fonte: Capital Research e Edelman



Aloísio Teixeira Garcia, ex-deputado estadual, morre aos 80 anos

Cultura, política e educação perderam com o falecimento no domingo passado do ex-deputado estadual e ex-membro da Academia Mineira de Letras, Aloísio Teixeira Garcia.

Autor: Divulgação


O que a pandemia nos ensinou que podemos usar no enfrentamento à dengue?

A palavra pandemia sempre nos transporta a lembranças de dias difíceis.

Autor: Jarbas da Silva Motta Junior


Catástrofe do RS exige união de esforços e não combate a Fake News

A catástrofe do Rio Grande Sul tem comovido o país inteiro.

Autor: Bady Curi Neto

Catástrofe do RS exige união de esforços e não combate a Fake News

O poder sedutor do dinheiro

Dinheiro e Poder, que dupla!

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

O poder sedutor do dinheiro

Relacionamentos: sabemos realmente o que necessitamos?

Interessante observar que o casamento, por exemplo, não cai de moda, todas as gerações ainda migram para esse modelo.

Autor: Viviane Gago

Relacionamentos: sabemos realmente o que necessitamos?

O peso dos idosos na balança eleitoral

Dados consolidados pelo Tribunal Superior Eleitoral, referentes a abril de 2024, mostram que o Brasil possui 33,7 milhões de eleitores com mais de 60 anos.

Autor: Wilson Pedroso

O peso dos idosos na balança eleitoral

Contribuintes podem ajudar vítimas no Rio Grande do Sul através do IR

O prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda termina em 31 de maio, exceto para as cidades atingidas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: Divulgação


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


A tragédia se repete e a insensibilidade política permanece

É estranho que, mesmo com todos os recursos técnicos hoje disponíveis, não se tenha conseguido evitar uma enchente de proporção ainda maior que a de 1941.

Autor: Samuel Hanan

A tragédia se repete e a insensibilidade política permanece

BH Airport suspende temporariamente arrecadação de doações

Mais de 15 toneladas de doações para o Rio Grande do Sul chegaram nos pontos de coleta do BH Airport nos últimos 5 dias.

Autor: Divulgação


Após 1500, como os portugueses conquistaram o Brasil?

De início, os portugueses passavam aqui para buscar produtos como o pau-brasil, a caminho da Índia, onde estavam as especiarias.

Autor: Víktor Waewell

Após 1500, como os portugueses conquistaram o Brasil?

Saber escutar nos aproxima das pessoas

Desde que desenvolvemos a linguagem, passamos a valorizar os grandes oradores.

Autor: Roberta Perdomo

Saber escutar nos aproxima das pessoas