Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Inadimplência recua em Belo Horizonte

Inadimplência recua em Belo Horizonte

21/02/2020 Divulgação

Índice apurado pela Fecomércio MG atingiu 29,3% em janeiro, enquanto o endividamento dos consumidores sofre a quarta queda consecutiva.

Inadimplência recua em Belo Horizonte

O percentual de inadimplentes em Belo Horizonte iniciou o ano com recuou de 3,0 pontos percentuais (p.p.), atingindo 29,3% em janeiro, contra 32,3% registrado em dezembro. Esse foi o menor patamar alcançado pelo indicador nos últimos 12 meses. O dado integra a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), elaborada pela Fecomércio MG, com base em dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

A economista da Federação, Bárbara Guimarães, explica que o índice se refere ao número de famílias que possuem contas ou dívidas em atraso. “O recuo do indicador revela que mais pessoas estão conseguindo efetuar o pagamento de contas em atraso, que foram adquiridas, principalmente, com cheques pré-datados, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimos pessoais, aquisição de imóvel e prestações de carro e seguros.”

A pesquisa da Federação apontou ainda que, pelo quarto mês consecutivo, o índice de endividados sofreu queda, atingindo 72,8% dos belo-horizontinos em janeiro. A principal modalidade de dívida continua sendo o cartão de crédito (86,2%) e o índice é ainda maior entre as famílias com mais de 10 salários mínimos (93,5%). Em seguida, aparecem os carnês (13,7%), o financiamento de carro (12,3%), o financiamento imobiliário (10,2%), o cheque especial (9,2%) e o crédito consignado (8,9%).

Já o percentual de consumidores que afirmaram não ter condições de quitar a dívida também apresentou uma nova queda, assumindo o valor de 10,5% em janeiro, 3,4 p.p. abaixo do registrado em dezembro (13,9%). Esse é o menor valor do indicador no último ano. A pesquisa mostrou ainda, que as famílias de Belo Horizonte comprometem sua renda com dívidas por um período médio de sete meses. Na capital mineira, o endividamento representa 10% da renda familiar para 68,7% dos entrevistados, sendo que para 19,7% esse percentual atinge 50% do orçamento mensal.

A Peic retrata o comprometimento da renda familiar com financiamento de imóveis, carros, empréstimos, cartões de crédito, lojas e cheques pré-datados, bem como a capacidade de pagamento dos consumidores da capital mineira. Para elaborar a pesquisa de janeiro, foram entrevistadas mil famílias residentes em Belo Horizonte. A margem de erro da pesquisa, elaborada nos últimos dez dias de novembro, é de 3,5% e o nível de confiança é de 95%.

Fonte: Fecomércio-MG - Senac



Bares e restaurantes seguram preços por medo de perder clientes

Inflação em bares e restaurantes é mais baixa que os índices de alimentação no domicílio e também dos insumos, aponta IPCA.

Autor: Divulgação

Bares e restaurantes seguram preços por medo de perder clientes

Idoso de 100 anos ganha ensaio fotográfico de pré-casamento

Nilza e Paraná convivem há quase 18 anos na unidade da Fhemig em Betim (MG).

Autor: Divulgação

Idoso de 100 anos ganha ensaio fotográfico de pré-casamento

Calvície já teve lá seu glamour, mas hoje só afeta a autoestima

Talvez você não saiba, mas já houve um tempo em que ser calvo não apenas era algo dissociado de uma doença capilar como ainda era sinônimo de status.

Autor: ‌Melina Oliveira

Calvície já teve lá seu glamour, mas hoje só afeta a autoestima

Aloísio Teixeira Garcia, ex-deputado estadual, morre aos 80 anos

Cultura, política e educação perderam com o falecimento no domingo passado do ex-deputado estadual e ex-membro da Academia Mineira de Letras, Aloísio Teixeira Garcia.

Autor: Divulgação


O que a pandemia nos ensinou que podemos usar no enfrentamento à dengue?

A palavra pandemia sempre nos transporta a lembranças de dias difíceis.

Autor: Jarbas da Silva Motta Junior


Catástrofe do RS exige união de esforços e não combate a Fake News

A catástrofe do Rio Grande Sul tem comovido o país inteiro.

Autor: Bady Curi Neto

Catástrofe do RS exige união de esforços e não combate a Fake News

O poder sedutor do dinheiro

Dinheiro e Poder, que dupla!

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

O poder sedutor do dinheiro

Relacionamentos: sabemos realmente o que necessitamos?

Interessante observar que o casamento, por exemplo, não cai de moda, todas as gerações ainda migram para esse modelo.

Autor: Viviane Gago

Relacionamentos: sabemos realmente o que necessitamos?

O peso dos idosos na balança eleitoral

Dados consolidados pelo Tribunal Superior Eleitoral, referentes a abril de 2024, mostram que o Brasil possui 33,7 milhões de eleitores com mais de 60 anos.

Autor: Wilson Pedroso

O peso dos idosos na balança eleitoral

Contribuintes podem ajudar vítimas no Rio Grande do Sul através do IR

O prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda termina em 31 de maio, exceto para as cidades atingidas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: Divulgação


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


A tragédia se repete e a insensibilidade política permanece

É estranho que, mesmo com todos os recursos técnicos hoje disponíveis, não se tenha conseguido evitar uma enchente de proporção ainda maior que a de 1941.

Autor: Samuel Hanan

A tragédia se repete e a insensibilidade política permanece