Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O BNDES para os brasileiros

O BNDES para os brasileiros

17/06/2019 Dirceu Cardoso Gonçalves

A queda de Joaquim Levy da presidência do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) representa mais que uma simples mudança no governo.

O BNDES para os brasileiros

Com o formato escolhido – o de tirar o chão do auxiliar que o desagradava – o presidente Jair Bolsonaro deu seu tapa na mesa e reafirmou o propósito de abrir a chamada “caixa preta” da instituição, que deu vultosas somas a países governados pela esquerda através de empreiteiras que pagavam propina e que, ainda, financiou o gigantismo de grupos locais hoje investigados e processados. Como ministro da Fazenda do governo Dilma, época em que os atos agora contestados se consumaram, e tendo petistas em postos-chave, Levy certamente não tinha interesse em desvendar o período pois suas pegadas e responsabilidades se explicitariam. A ruptura também representa a prioridade governamental em desestatizar a economia, transferindo ao capital privado as ações de empresas hoje em poder do banco. O BNDES, que atualmente é sócio de 101 empresas, deverá voltar à meta inicial de financiar a infraestrutura e a pequena e média empresa.

É importante que o banco devolva os recursos que tomou do Tesouro – R$ 500 bilhões durante os governos petistas – e cobre as prestações atrasadas dos empréstimos que concedeu ao exterior, especialmente a Cuba, Venezuela e países africanos, cujas parcelas estão atrasadas. Todos esses recursos deveriam estar movimentando a economia brasileira e não servindo aos governos aliados de Lula e Dilma. Da mesma forma, os recursos do banco, que são públicos, não poderão continuar custeando a formação de trustes que, em vez de contribuir para o avanço do mercado, eliminam a concorrência e são gravosos à economia nacional.

Ao mesmo tempo em que o governo busca o novo dirigente para o BNDES, a associação dos funcionários do banco chama, para esta quarta-feira (19), quando a instituição completa 67 anos, um ato contra a “impatriótica desconstrução do BNDES”. O governo e o próprio banco que fiquem atentos e evitem os excessos. Não cabe aos servidores fazer pressão contra a política do governo para uma instituição estatal e, se isso acontecer, será falta funcional. O governo eleito tem lastro nos votos recebidos para fazer a mudanças e não devem ser servidores e instituições remanescentes da era petista os indicados para impedi-lo. Pelo contrário, o aparelhamento ideológico deve ser eliminado e substituído pelo profissionalismo.

Estamos entrando num período delicado. Além da mudança no BNDES, há o ritual de passagem da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados e das apurações sobre o hackeamento, violação e divulgação das conversas telefônicas e por aplicativos entre o ministro Sérgio Moro, procuradores da Lava Jato e outras autoridades. Espera-se que o país saia desse quadro mais fortalecido do que está entrando...

Fonte: Dirceu Cardoso Gonçalves



Por que plano de saúde está tão caro?

Não é de hoje que os planos de saúde estão ficando cada vez mais caros.

Por que plano de saúde está tão caro?

Brasil perde mais de 860 mil empregos formais em abril

De janeiro a abril foram 4.999.981 admissões e 5.763.213 demissões.

Brasil perde mais de 860 mil empregos formais em abril

Correios serão opção para fazer cadastro para auxílio emergencial

Banco é condenado por falha ao compensar cheque

Cliente vai receber R$ 15 mil por danos morais.

Banco é condenado por falha ao compensar cheque

Dólar nas alturas: será que só existe desvantagem?

Do momento em que os casos de covid-19 começaram a aparecer fora da China, a moeda norte-americana acelerou o movimento de alta dos preços.

Dólar nas alturas: será que só existe desvantagem?

Fake news: da mídia à justiça (e vice-versa)

As fake news estão ultrapassando os prejuízos financeiros e de credibilidade nas empresas e invadindo o judiciário com dezenas de processos.

Fake news: da mídia à justiça (e vice-versa)

Por que emitir moeda em tempos de pandemia?

Somente o BC pode emitir moeda e somente o TN pode emitir títulos e pagar as despesas do Governo Federal.

Por que emitir moeda em tempos de pandemia?

Cartórios do interior já podem realizar casamentos virtuais

O projeto-piloto que autoriza a realização de casamentos civis por videoconferência e escritura pública digital foi ampliado.

Cartórios do interior já podem realizar casamentos virtuais

O que está acontecendo com o dólar com a saída do Moro?

A crise causada pelo Coronavírus já vinha elevando o preço do dólar que, nos últimos tempos, estava apresentando patamares históricos.

O que está acontecendo com o dólar com a saída do Moro?

Dólar alto será positivo para a economia em período de pandemia

“Não é ruim no momento, mas quando a economia retomar, o 1º fator que vamos ver é a inflação”

Dólar alto será positivo para a economia em período de pandemia

Ministério lança canal para registro de denúncias trabalhistas

Nova ferramenta registrará denúncias trabalhistas no portal Gov.br.

Ministério lança canal para registro de denúncias trabalhistas

Edição 2020 da Corrida de Juiz de Fora será virtual e beneficente

Organizador propõe desafio pela internet para corredores e ciclistas.

Edição 2020 da Corrida de Juiz de Fora será virtual e beneficente