Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A COP27 no ponto de não retorno

A COP27 no ponto de não retorno

22/11/2022 João Alfredo Lopes Nyegray

Se a exploração marítima e a pesca desenfreada continuarem como são hoje, até 2048 os oceanos estarão vazios e sem peixes.

A COP27 no ponto de não retorno

A cada ano, mais de 8 milhões de toneladas de resíduos plásticos são despejados nos mares. Até agora, em 2022, cerca de 80 humanos foram mordidos por tubarões em todo o mundo – e apenas 9 desses encontros foram fatais. Ainda assim, o ser humano matou aproximadamente 100 milhões de tubarões por ano. As emissões de CO2 estão na casa de 34 bilhões de toneladas anuais. Nas últimas décadas, a temperatura do planeta vem aumentando. Isso causou não apenas o aquecimento global, mas secas, queimadas e a mudança de correntes fluviais e oceânicas.

É esse cenário de mudanças ambientais e degradações planetárias que será enfrentado pela Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2022, a COP27, mais comumente referida como Conferência das Partes da UNFCCC, iniciada no domingo, dia 6 de novembro, em Sharm El Sheikh, Egito. Embora o presidente Jair Bolsonaro possivelmente não compareça ao evento, o sucessor eleito, Lula da Silva, já confirmou presença.

Trata-se de um encontro altamente simbólico: a COP27 ocorre exatamente 50 anos após a Conferência de Estocolmo, a primeira grande reunião de líderes internacionais destinada ao debate ambiental. Outro ponto importante é que a Conferência de 2022 tem muitos desafios e, certamente, é o futuro e a habitabilidade do planeta que estão em jogo. Trata-se não apenas de reduzir a já elevadíssima emissão dos gases que provocam o chamado “efeito estufa” – e aquecem ainda mais o planeta –, mas também da busca pela reversão da degradação ambiental que já está instalada.

Especialistas na área ambiental, florestal, ecológica e oceanográfica são unânimes em apontar que estamos chegando ao ponto de não retorno: aquele momento em que, independentemente de nossos esforços, não será possível retroceder ao status de preservação anterior. Atingir ou passar desse ponto significa que, no futuro, não será possível habitar a Terra. O clima e o solo não estarão mais propícios para a agricultura, e o desaparecimento de plantas e espécies animais tornará os ecossistemas instáveis e desequilibrados.

Um fator que agrava em muito a atual situação do planeta e o papel dos líderes presentes na COP27 é a Guerra na Ucrânia. A posição de países europeus contra o conflito os colocou em lado oposto ao dos invasores russos. Com isso, o fornecimento de petróleo e gás natural de Moscou para a Europa cessou, obrigando a busca de novas fontes de energia pelo velho continente. Os europeus recorreram ao carvão e à energia nuclear, fontes que sabidamente contribuem para o aquecimento global.

O atual momento, tanto pelas pressões ambientais quanto pela guerra, pede – nos dizeres das Nações Unidas – uma “solidariedade renovada entre os países”, pois o que está em jogo é mais do que posições políticas: é nosso futuro comum.

* João Alfredo Lopes Nyegray, doutor e mestre em internacionalização e estratégia. Especialista em Negócios Internacionais. Advogado, graduado em Relações Internacionais. Coordenador do curso de Comércio Exterior na Universidade Positivo.

Para mais informações sobre aquecimento global clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Central Press



Quem cuida de quem cuida da gente? Uma reflexão sobre o meio ambiente

A educação ambiental vai muito além de apenas instruir a sociedade sobre práticas sustentáveis simples.

Autor: Francisco Carlo Oliver

Quem cuida de quem cuida da gente? Uma reflexão sobre o meio ambiente

Educação e cidadania: pilares para futuro sustentável

Investir nas pessoas no tempo presente é um princípio básico e pode ser uma das maneiras mais efetivas de garantir um futuro mais sustentável.

Autor: Antoninho Caron

Educação e cidadania: pilares para futuro sustentável

Reciclagem poderá pagar 27,5% em suas operações de venda à indústria

Apesar da importância para o meio ambiente e economia circular, o texto do novo regime fiscal deixou de fora tratamento diferenciado de tributação ao setor.

Autor: Divulgação

Reciclagem poderá pagar 27,5% em suas operações de venda à indústria

A importância da transparência na comunicação da sustentabilidade

É essencial que todas as informações e alegações sobre benefícios ambientais sejam apoiadas por evidências científicas confiáveis.

Autor: Daniela Santucci

A importância da transparência na comunicação da sustentabilidade

Reciclagem de lixo eletrônico cresce em 2023

Dados da cooperativa pioneira no tratamento de e-lixo mostram que a quantidade de materiais recebidos em 2023 cresceu quando comparado ao ano anterior.

Autor: Divulgação

Reciclagem de lixo eletrônico cresce em 2023

Degradação do planeta é pior do que imaginamos, alerta geólogo

Pesquisador em mudanças climáticas, explica como as ações humanas transformaram a Terra em um lugar imprevisível e perigoso.

Autor: Divulgação

Degradação do planeta é pior do que imaginamos, alerta geólogo

Mudanças climáticas e segurança hídrica

Detentor de uma das maiores bacias hídricas do planeta, com 10% da água doce de todo o mundo, o Brasil não está distante de enfrentar a falta de água.

Autor: Elzio Mistrelo

Mudanças climáticas e segurança hídrica

Projeto de conservação da Amazônia recebe investimento internacional

Iniciativa deve gerar créditos sustentáveis para compensar impactos ambientais com a preservação do meio ambiente e subsistência das comunidades locais.

Autor: Divulgação

Projeto de conservação da Amazônia recebe investimento internacional

É preciso se atentar aos cenários climáticos

Os cenários climáticos constroem uma ampla gama de possibilidades e consequências, utilizando como base dados técnicos.

Autor: Alvaro Trilho

É preciso se atentar aos cenários climáticos

Ansiedade climática – serve para alguma coisa?

Uma recente pesquisa da Google Trends indicou que as buscas sobre o tema “ansiedade climática”.

Autor: Alysson Diógenes

Ansiedade climática – serve para alguma coisa?

Medo de barata? Mitos e verdades sobre o inseto

Cosmopolitas, esses insetos habitam os mais diversos ambientes e são vetores de uma variedade de doenças, muitas delas associadas a bactérias.

Autor: Divulgação

Medo de barata? Mitos e verdades sobre o inseto

Mudanças climáticas: do medo às atitudes conscientes

A mudança climática é um tema que passou a fazer parte do dia a dia das pessoas.

Autor: Malu Nunes

Mudanças climáticas: do medo às atitudes conscientes