Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Calculadora de água

Calculadora de água

10/08/2023 Divulgação

Equipe do IPT desenvolve ferramenta online de conscientização para auxiliar no entendimento de como a água é utilizada nas residências.

Calculadora de água

Você sabe como é o consumo de água em sua casa ou apartamento? É provável que você confira em sua conta mensal o volume medido em metros cúbicos, mas talvez não saiba quanto gaste em cada uma das atividades que faz em sua residência e tampouco a quantidade de vezes que utiliza a água e os tempos em que permanece com as torneiras abertas durante os usos.

Pesquisadores do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) desenvolveram uma calculadora online que permite estimar o consumo da água para uma pessoa ou para todas os indivíduos que moram juntos em uma residência, tanto em casas quanto em apartamentos. A calculadora pode ser acessada gratuitamente no endereço https://calculadoradeagua.ipt.br.

Após estimar o consumo, é possível verificar o quanto de água poderia ser poupada se fossem utilizados equipamentos economizadores, e o usuário ainda poderá ter uma ideia de quanto da água consumida em uma casa poderia ser, teoricamente, substituída por de água da chuva.

A calculadora permite a sua utilização, em computadores e em celulares, por pessoas sem conhecimentos técnicos específicos. O usuário poderá fazer a simulação de consumo de água a partir da introdução de dados de frequência e tempo de utilização da água para as atividades mais corriqueiramente realizadas em ambiente doméstico.

O objetivo é que o usuário perceba o efeito do seu comportamento de uso: o resultado é o volume de água utilizado, calculado segundo os dados fornecidos para uso individual ou coletivo, o que possibilita a observação da quantidade de água gasta em cada um dos usos nos diversos ambientes (banheiro, cozinha, área de serviço e, em casas, na área externa) e para a edificação como um todo, considerando o consumo por dia, por mês ou por ano.

No módulo de economia de água: o usuário é convidado a adicionar equipamentos economizadores bastante difundidos (arejadores, redutores de vazão, pulverizadores, descarga dupla para bacia sanitária e lavadoras pressurizadas) e de fácil instalação aos pontos de consumo de água, observando a economia potencial gerada a partir de soluções tecnológicas simples. Ao final da etapa, é mostrado o consumo de água com e sem a introdução do equipamento economizador selecionado pelo usuário.

A calculadora permite ainda que seja realizada uma simulação da substituição potencial média de água potável por água de chuva, mês a mês ao longo de um ano, informando o percentual de economia de água potável para os usos selecionados.

A ideia da calculadora não é a precisão nos resultados – que seria possível apenas pela medição direta do consumo – mas servir como uma ferramenta de auxílio na educação ambiental que tire os usuários do modo automático de uso de água e chame a atenção para como a água é utilizada. “Isso irá trazer foco para a frequência e o tempo efetivo de uso para as atividades mais corriqueiramente realizadas em ambiente doméstico e as consequências desse comportamento para o consumo de água”, explica o pesquisador Luciano Zanella, um dos responsáveis pelo desenvolvimento da nova ferramenta.

Fomentar o uso eficiente da água é uma das estratégias para promover a educação ambiental, cada vez mais necessária em épocas de variações históricas nos regimes de chuva. Ainda é presente na memória de todos que o Estado de São Paulo enfrentou uma longa estiagem entre os anos de 2013 e 2015 e que, mesmo com a ocorrência de alguns períodos de chuvas mais intensas, os volumes dos reservatórios não alcançaram novamente sua plenitude, o que ressalta a necessidade de economia desse recurso.

Os volumes operacionais dos principais mananciais que abastecem o estado (Cantareira, Alto Tietê e Guarapiranga) estavam com índices de armazenamento, no dia primeiro de agosto de 2023, de 78,7%, 67,1% e 66,6%, respectivamente, segundo dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). No entanto, nos três últimos meses deste ano (maio, junho e julho), a pluviometria nos três mananciais foi abaixo da média histórica: no Cantareira, por exemplo, choveram 23,7 mm em maio, 47,9 mm em junho e somente 4,8 mm em julho, enquanto os volumes esperados eram, respectivamente, de 75 mm, 57,2 mm e 44 mm.

Para mais informações sobre água clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Instituto de Pesquisas Tecnológicas



Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

A nova realidade criada pela tragédia exige igualmente novas respostas da gestão pública, incluindo um olhar prioritário para a questão ambiental.

Autor: Divulgação

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

A aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento, em julho de 2020, trouxe novas e importantes perspectivas para o avanço da infraestrutura do setor.

Autor: Elzio Mistrelo

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Arqueólogos encontraram os primeiros ossos em 1974, na área do Monumento Estadual Lapa Vermelha, em Pedro Leopoldo

Autor: Divulgação

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Animal havia sido atingido em rodovia, próximo a Campos Altos, e foi submetido a cirurgia; espécie é a segunda maior espécie de felino das Américas e está ameaçada de extinção.

Autor: Divulgação

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Qual produto é mais recomendado para manutenção de fossa séptica?

A manutenção ideal de uma fossa séptica é crucial para manter um sistema de saneamento confiável e saudável.

Autor: Divulgação


A revolução das soluções baseadas na natureza

De acordo com um estudo liderado pela UFRJ, 48 mil pessoas morreram por ondas de calor entre 2000 e 2018 no Brasil.

Autor: Danilo Roberti Alves de Almeida

A revolução das soluções baseadas na natureza

Municípios têm oportunidades com o saneamento

O saneamento básico galgou um novo patamar no interesse de investidores e especialistas.

Autor: Maurício Vizeu de Castro

Municípios têm oportunidades com o saneamento

As bactérias do bem que salvam as águas

Pode soar surpreendente, mas são os microrganismos os agentes mais capacitados para tratar da água de forma natural.

Autor: Monique Zorzim

As bactérias do bem que salvam as águas

Cuidar da água para não faltar

“O Brasil, que se ergueu à beira do mar e em volta dos rios, também escreveu histórias de sede, de muita sede”, já apontava Graciliano Ramos, em 1938, na sua obra “Vidas Secas”.

Autor: Luiz Pladevall

Cuidar da água para não faltar

Dia das Florestas: vale a pena derrubar árvores?

Era de amor a relação dos indígenas com a mata, principalmente antes da invasão portuguesa.

Autor: Víktor Waewell

Dia das Florestas: vale a pena derrubar árvores?

Shopping distribui adubo oriundo da compostagem dos resíduos orgânicos

O adubo é utilizado no paisagismo do próprio shopping, doado para os colaboradores e agora está indo para a casa dos frequentadores.

Autor: Divulgação

Shopping distribui adubo oriundo da compostagem dos resíduos orgânicos

Cada passo importa para um futuro sustentável

O ano de 2023 foi confirmado como o mais quente da história, de acordo com o observatório Copernicus Climate Change Service, da União Europeia.

Autor: Artur Grynbaum

Cada passo importa para um futuro sustentável