Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Ciclone bomba – entenda como se forma

Ciclone bomba – entenda como se forma

07/07/2020 Rodrigo Berté e André M. Pelanda

É relativamente comum que ocorra na região sul brasileira nos meses de primavera e outono.

Ciclone bomba – entenda como se forma

O sul do Brasil é caracterizado por frequentes encontros de massas de ar frio oriundas da região sul da América do Sul, especialmente da Argentina, e massas de ar quente oriundas da região norte brasileira. Quando existem esses choques de massas de ar de diferentes origens, ocorre a possibilidade da geração de severos temporais, motivo pelo qual, a região sul e parte do sudeste do Brasil, bem como algumas regiões da Argentina, Uruguai e Paraguai são caracterizadas por serem o corredor dos tornados da América do Sul. A nomenclatura foi criada pela Rede de Estações Urbanas de Climatologia de São Leopoldo, já que depois do corredor dos tornados localizado na região central dos Estados Unidos, esta região específica da América do Sul é o local no mundo em que existe uma maior probabilidade da ocorrência deste fenômeno.

Além da ocorrência de tornados, estas características meteorológicas propiciam condições para a formação de outros fenômenos, como o “ciclone bomba”, que atingiu nos últimos dias, os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. É relativamente comum que ocorra na região sul brasileira nos meses de primavera e outono, no entanto, a grande surpresa foi a ocorrência dele em pleno inverno e com uma intensidade considerada elevada, com o registro de rajadas acima de 100 km/h, causando estragos em muitas residências, barracões industriais e celeiros, nas regiões mais afastadas das grandes cidades, fazendo com que muitos municípios decretassem estado de emergência em função dos danos causados.

Nos próximos dias, ainda existe a possibilidade de ventos e mar agitado na costa da região sul brasileira (especialmente Santa Catarina e Rio Grande do Sul), e também as temperaturas devem cair bastante, principalmente nas regiões serranas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

No ano de 2004, foi registrado o primeiro furacão no Atlântico Sul, batizado como Furacão Catarina, que atingiu Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A tempestade se desenvolveu no oceano a partir de um ciclone extratropical e se intensificou até ser classificado por especialistas como furacão, e gerou rajadas de até 155 km/h, deixando milhares de pessoas desabrigadas e causando grandes prejuízos na infraestrutura dos municípios mais atingidos, especialmente os localizados ao longo da costa.

É de grande importância que o poder público crie planos de contingência em casos de ocorrências destes fenômenos meteorológicos, que podem causar danos significativos ao patrimônio, sejam em regiões costeiras ou interioranas. É fundamental monitorar as condições meteorológicas destas regiões de uma maneira eficiente para que seja possível estar preparado e lidar adequadamente com este tipo de emergência.

* André Maciel Pelanda é professor do curso de Gestão Ambiental do Centro Universitário Internacional Uninter.

* Rodrigo Berté é diretor da Escola de Saúde, Biociência, Meio Ambiente e Humanidades do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Página 1 Comunicação



Traças de roupas e livros: curiosidades e prejuízos causados pelos insetos

Encontradas em lares, roupas e livros, as traças tem hábitos alimentares e de sobrevivência distintos, de acordo com Biólogo do CEUB.

Autor: Divulgação

Traças de roupas e livros: curiosidades e prejuízos causados pelos insetos

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

A nova realidade criada pela tragédia exige igualmente novas respostas da gestão pública, incluindo um olhar prioritário para a questão ambiental.

Autor: Divulgação

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

A aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento, em julho de 2020, trouxe novas e importantes perspectivas para o avanço da infraestrutura do setor.

Autor: Elzio Mistrelo

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Arqueólogos encontraram os primeiros ossos em 1974, na área do Monumento Estadual Lapa Vermelha, em Pedro Leopoldo

Autor: Divulgação

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Animal havia sido atingido em rodovia, próximo a Campos Altos, e foi submetido a cirurgia; espécie é a segunda maior espécie de felino das Américas e está ameaçada de extinção.

Autor: Divulgação

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Qual produto é mais recomendado para manutenção de fossa séptica?

A manutenção ideal de uma fossa séptica é crucial para manter um sistema de saneamento confiável e saudável.

Autor: Divulgação


A revolução das soluções baseadas na natureza

De acordo com um estudo liderado pela UFRJ, 48 mil pessoas morreram por ondas de calor entre 2000 e 2018 no Brasil.

Autor: Danilo Roberti Alves de Almeida

A revolução das soluções baseadas na natureza

Municípios têm oportunidades com o saneamento

O saneamento básico galgou um novo patamar no interesse de investidores e especialistas.

Autor: Maurício Vizeu de Castro

Municípios têm oportunidades com o saneamento

As bactérias do bem que salvam as águas

Pode soar surpreendente, mas são os microrganismos os agentes mais capacitados para tratar da água de forma natural.

Autor: Monique Zorzim

As bactérias do bem que salvam as águas

Cuidar da água para não faltar

“O Brasil, que se ergueu à beira do mar e em volta dos rios, também escreveu histórias de sede, de muita sede”, já apontava Graciliano Ramos, em 1938, na sua obra “Vidas Secas”.

Autor: Luiz Pladevall

Cuidar da água para não faltar

Dia das Florestas: vale a pena derrubar árvores?

Era de amor a relação dos indígenas com a mata, principalmente antes da invasão portuguesa.

Autor: Víktor Waewell

Dia das Florestas: vale a pena derrubar árvores?

Shopping distribui adubo oriundo da compostagem dos resíduos orgânicos

O adubo é utilizado no paisagismo do próprio shopping, doado para os colaboradores e agora está indo para a casa dos frequentadores.

Autor: Divulgação

Shopping distribui adubo oriundo da compostagem dos resíduos orgânicos