Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Cinco anos do Acordo de Paris e a desgovernança do clima

Cinco anos do Acordo de Paris e a desgovernança do clima

14/12/2020 Dr. Norman Arruda Filho

O Acordo de Paris teve sua importância para limitar os danos do aumento da tempertaura média global.

Cinco anos do Acordo de Paris e a desgovernança do clima

Nos últimos dias, o Pacto Global das Nações Unidas (ONU) uniu-se aos Programas da ONU para o Ambiente e para as Alterações Climáticas, além dos dirigentes da COP 25 e COP 26, juntamente com líderes de empresas e finanças da sociedade civil na oitava reunião anual do High Level Meeting of Caring for Climate para uma conversa sobre formas de impulsionar coletivamente a ação climática.

O que eu observei no encontro foram os representantes de iniciativas como a “Race to Zero” e “Business Ambition for 1.5°C” fazerem um balanço de seus progressos desde o Acordo de Paris e discutirem estratégias para uma recuperação sustentável com o objetivo de enfrentar as crises causadas pela pandemia do COVID-19 e as alterações climáticas. Escutei com atenção o discurso do secretário geral da ONU, António Guterres, com sua fala sobre a urgência de ações, pois as políticas climáticas não estão à altura das metas, e sobre a imprescindível necessidade dos países signatários encontrarem soluções inovadoras pós-pandemia como empregos sustentáveis e a redução da emissão de carbono.

A cada encontro, em cada discurso, confirmo e reafirmo minha convicção da grande importância das instituições de ensino na formação de líderes para o futuro. Instituições comprometidas com a agenda global que irão desenvolver em seus alunos a criticidade para a tomada de decisão dentro das organizações em prol de resultados que irão impactar o futuro de todos. Hoje, a ONU conta com o The Principles for Responsible Management Education (Os Princípios para uma Educação Executiva Responsável), o PRME, que possui mais de 800 escolas de negócios e instituições de ensino signatárias ao redor do mundo.

A reunião que ocorreu teve o objetivo de ser um “aquecimento” para a cúpula virtual “Climate Ambition Summit”, co-convocada pelas Nações Unidas, Reino Unido e França, em parceria com o Chile e a Itália, que ocorrerá neste sábado, dia 12 de dezembro, data do aniversário do Acordo de Paris (compromisso mundial sobre as alterações climáticas que prevê metas para a redução da emissão de gases do efeito estufa). Será neste encontro que os governos nacionais deverão anunciar novos compromissos ambiciosos nas metas já estipuladas no Acordo.

Nos últimos cinco anos, o avanço dos países para solucionar o desafio climático ocorreu na contramão do aumento dos desastres relacionados às mudanças climáticas como ondas de calor, secas, incêndios florestais, inundações, etc. Porém, o Acordo de Paris teve sua importância para limitar os danos do aumento da tempertaura média global. A Cúpula que será realizada no sábado soa animadora com novos compromissos de neutralização de carbono anunciados por Coreia do Sul, Japão, União Europeia e pelo presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, para 2050 e para 2060 pela China e pelo Brasil.

Enquanto a sobrevivência do mundo está em jogo, o que se espera da Cúpula é que os alertas realizados incessantemente pela ciência não sejam mais ignorados; que a sinergia entre a Academia, o setor público e o privado criem vínculos cada vez mais produtivos em prol da agenda global; que os signatários do Acordo de Paris apresentem seus compromissos não apenas revistos, mas que sejam viáveis política e economicamente e que esses compromissos tenham rápida aplicabilidade e retorno. Ainda temos tempo, mas ele se esgota a cada indecisão ou, pior, a cada decisão equivocada dos líderes mundiais.

* Norman Arruda Filho é Presidente do ISAE Escola de Negócios e Membro do Comitê Brasileiro do Pacto Global das Nações Unidas.

Fonte: P+G Comunicação Integrada



Colonização espacial será a nova fronteira da humanidade, afirma Biólogo brasileiro

"Em breve deveremos conhecer todas as espécies do planeta e seus DNAs."

Colonização espacial será a nova fronteira da humanidade, afirma Biólogo brasileiro

O gerenciamento de resíduos eletroeletrônicos pelas transportadoras

Depois da instituição do Decreto que obriga a coleta de produtos elétricos, transportadoras passam a incluí-los nos seus serviços de logística reversa.

O gerenciamento de resíduos eletroeletrônicos pelas transportadoras

Museu Nacional anuncia descoberta de dinossauro muito raro

Esqueleto foi encontrado em Cruzeiro do Oeste, noroeste do Paraná.

Museu Nacional anuncia descoberta de dinossauro muito raro

Pesquisa indica nível de evaporação de água de represas brasileiras

Evaporação em 2019 consumiu quase 28 trilhões de água em 2019.

Pesquisa indica nível de evaporação de água de represas brasileiras

Empresa transforma palha de trigo em lenços descartáveis, papel higiênico e guardanapos

Essity á a primeira companhia do setor de papel higiênico a utilizar essas sobras agrícolas em escala industrial.


Líderes mundiais prometeram conter o desflorestamento até 2030

Uma declaração conjunta será adotada por mais de 100 países onde se situam 85% das florestas mundiais.

Líderes mundiais prometeram conter o desflorestamento até 2030

Um ultimato para a humanidade

Uma prova do impacto da elevação da temperatura do planeta é a maior ocorrência dos chamados “eventos climáticos extremos”.

Um ultimato para a humanidade

Importância da COP 26 para o Brasil e o setor privado

A 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a ser realizada em Glasgow, na Escócia, de 31 de outubro a 12 de novembro deste ano, terá dois focos prioritários.

Importância da COP 26 para o Brasil e o setor privado

Economia verde: como ter um negócio sustentável

Proteção ao meio ambiente, negócios de longa duração e compromisso social tornam as empresas verdes.

Economia verde: como ter um negócio sustentável

Net Zero: como aplicar estratégias de redução de carbono para a sua empresa?

Entre as possibilidades de compensação estão o investimento em restauração e plantio de florestas, projetos de geração de energia renovável, entre outras.

Net Zero: como aplicar estratégias de redução de carbono para a sua empresa?

Semana Lixo Zero quer incentivar práticas sustentáveis no país

Brasileiros descartam 79 milhões de toneladas de lixo sólido por ano.

Semana Lixo Zero quer incentivar práticas sustentáveis no país

Novo marco e as inovações no saneamento

Podemos esperar muito mais nos próximos anos.

Novo marco e as inovações no saneamento