Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dia Mundial do Meio Ambiente: o planeta em modo reset

Dia Mundial do Meio Ambiente: o planeta em modo reset

05/06/2020 Patrícia Cândido

“Sem turistas e barcos, a coloração da água dos canais de Veneza fica mais nítida.”

Dia Mundial do Meio Ambiente: o planeta em modo reset

“Com praias vazias, as tartarugas voltam para a costa da Tailândia.”

“Com menos embarcações, a Baía da Guanabara está mais limpa.”

“Quarentena provoca redução drástica da poluição na Índia.”

“Himalaia fica visível pela primeira vez em 30 anos.”

Você já parou para pensar sobre a relação da pandemia com o meio ambiente? Li uma vez que: “a COVID-19 é o anticorpo do planeta e os vírus somos nós”. Isso me fez refletir sobre o que nós, seres humanos, fizemos ao longo de séculos com a Terra. Toda a forma de vida está direta ou indiretamente ligada a outra. A pandemia foi o “alerta vermelho” desse sistema.

Com a ameaça detectada, a humanidade, o planeta encontrou uma forma de recompor o equilíbrio a partir de medidas drásticas: as doenças. A pandemia é apenas uma delas (sim, talvez a mais impactante e a que tem ceifado vidas por tempo recorde e fica aqui meu abraço para quem teve alguma perda), mas é o sinal que a nossa Mãe Terra está emitindo para mudarmos e olharmos com mais atenção para esse equilíbrio tão necessário.

Poderia aqui citar vários estudos científicos e pesquisas acadêmicas para endossar minha opinião. O que mais importa neste momento é entender que vivemos o maior desafio da nossa geração. Ninguém tem dúvidas sobre isso. A pergunta que fica de toda essa experiência é: o que vamos levar de aprendizado? Iremos passar por novos “alertas vermelhos” até entender que somos parte e que a Terra é a nossa casa e a casa de todos os seres vivos?

As notícias que citei logo no início desse texto trazem alento. Não precisa ser um estudioso para entender que a desaceleração da economia – consequência da pandemia – contribuiu para a diminuição da poluição do ar e melhorou significativamente a qualidade de vida nas cidades. A Mãe Terra quis “puxar a nossa orelha” e mostrar sabiamente que é preciso mudar nossos hábitos, reduzir a poluição, achar uma nova dinâmica industrial que traga mais que resultados para a humanidade, mas também para o planeta.

Não podemos nos abater pelo desânimo, nem ficarmos alheios a tudo. Que possamos ter resiliência para sairmos dessa mais atentos ao equilíbrio de todas as formas de vida. Esta é a minha mensagem para o Dia Mundial do Meio Ambiente: a Terra vai sobreviver e se curar! Tenho fé.

* Patrícia Cândido é filósofa, escritora, embaixadora mundial da Fitoenergética, cofundadora do Grupo Luz da Serra.

Fonte: LC Agência de Comunicação



Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

A nova realidade criada pela tragédia exige igualmente novas respostas da gestão pública, incluindo um olhar prioritário para a questão ambiental.

Autor: Divulgação

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

A aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento, em julho de 2020, trouxe novas e importantes perspectivas para o avanço da infraestrutura do setor.

Autor: Elzio Mistrelo

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Arqueólogos encontraram os primeiros ossos em 1974, na área do Monumento Estadual Lapa Vermelha, em Pedro Leopoldo

Autor: Divulgação

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Animal havia sido atingido em rodovia, próximo a Campos Altos, e foi submetido a cirurgia; espécie é a segunda maior espécie de felino das Américas e está ameaçada de extinção.

Autor: Divulgação

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Qual produto é mais recomendado para manutenção de fossa séptica?

A manutenção ideal de uma fossa séptica é crucial para manter um sistema de saneamento confiável e saudável.

Autor: Divulgação


A revolução das soluções baseadas na natureza

De acordo com um estudo liderado pela UFRJ, 48 mil pessoas morreram por ondas de calor entre 2000 e 2018 no Brasil.

Autor: Danilo Roberti Alves de Almeida

A revolução das soluções baseadas na natureza

Municípios têm oportunidades com o saneamento

O saneamento básico galgou um novo patamar no interesse de investidores e especialistas.

Autor: Maurício Vizeu de Castro

Municípios têm oportunidades com o saneamento

As bactérias do bem que salvam as águas

Pode soar surpreendente, mas são os microrganismos os agentes mais capacitados para tratar da água de forma natural.

Autor: Monique Zorzim

As bactérias do bem que salvam as águas

Cuidar da água para não faltar

“O Brasil, que se ergueu à beira do mar e em volta dos rios, também escreveu histórias de sede, de muita sede”, já apontava Graciliano Ramos, em 1938, na sua obra “Vidas Secas”.

Autor: Luiz Pladevall

Cuidar da água para não faltar

Dia das Florestas: vale a pena derrubar árvores?

Era de amor a relação dos indígenas com a mata, principalmente antes da invasão portuguesa.

Autor: Víktor Waewell

Dia das Florestas: vale a pena derrubar árvores?

Shopping distribui adubo oriundo da compostagem dos resíduos orgânicos

O adubo é utilizado no paisagismo do próprio shopping, doado para os colaboradores e agora está indo para a casa dos frequentadores.

Autor: Divulgação

Shopping distribui adubo oriundo da compostagem dos resíduos orgânicos

Cada passo importa para um futuro sustentável

O ano de 2023 foi confirmado como o mais quente da história, de acordo com o observatório Copernicus Climate Change Service, da União Europeia.

Autor: Artur Grynbaum

Cada passo importa para um futuro sustentável