Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Muitas empresas podem até ser sustentáveis, mas será que encantam através da sustentabilidade?

Muitas empresas podem até ser sustentáveis, mas será que encantam através da sustentabilidade?

23/03/2023 Juliana Saab Saab

No mundo corporativo, é preciso se certificar de que a forma como uma empresa participa de um evento faz sentido e se encaixa com o propósito da sua marca.

Muitas empresas podem até ser sustentáveis, mas será que encantam através da sustentabilidade?

Ser sustentável é mais do que estabelecer metas de ESG e buscar alcançá-las antes que o planeta Terra derreta. Sustentabilidade é cultura. Engajar times, clientes, acionistas, mercado. Antes de ser um conceito, é movimento rumo a novos modelos de performance das empresas – e de garantia da nossa sobrevivência. Em um mundo onde o tema virou pré-requisito básico, como sua marca faz a diferença e convence as pessoas de que ser sustentável importa?

Uma das respostas está na emoção. Quando falamos de sustentabilidade estamos acostumados a lidar com números. As organizações prestam contas sobre toneladas de plástico que deixaram de despejar no oceano, embalagens recicladas e reúso de água. Esses indicadores definem realizações positivas, ou os riscos a que estamos expostos. É a sensibilidade, no entanto, o elemento mais forte para iniciar diálogos, mobilizar pessoas e as engajar na transformação.

Um estudo publicado em 2022 pela empresa de análise e consultoria americana Gallup aponta que 70% das decisões humanas são baseadas em sentimentos e sensações. E é aí que entra o potencial do marketing de experiência na estratégia de sustentabilidade das empresas.

Na medida em que boa parte desse marketing é construída ao vivo, seu principal poder está em encantar as pessoas pelo espontâneo e pelo verdadeiro. Pelas experiências que vivem e pelas histórias das quais se tornam protagonistas.

Enquanto os produtos na prateleira ou no e-commerce exibem etiquetas verdes que atestam a boa procedência de suas matérias-primas, o principal poder do marketing de experiência está em ir além do rótulo e do certificado ISO. Seu diferencial está na interação, no convite que faz às pessoas a fortalecer a cultura sustentável juntos, a participar.

Por priorizar a experiência, mostra que todo mundo pode se engajar na sustentabilidade – inclusive depois que um evento ou experiência de marca se encerra. A construção das marcas através da emoção e de vivências inesquecíveis para o consumidor, transcende momentos. Seu eco é perene.

Até mesmo bandas de música lendárias abraçam a causa ao lado dos fãs. O Pearl Jam possui um programa para compensar as emissões de carbono nos shows. Na turnê Gigaton realizada no ano passado, a banda pagou US$ 200 por tonelada de CO2 para mitigar os efeitos da substância na atmosfera, 10 vezes mais que a ação anterior. Há alguns anos, iniciativa semelhante resultou na plantação de mais de 20 mil árvores na Amazônia.   

O Cold Play publica no próprio site o que em uma corporação seria chamado de política de sustentabilidade, prevendo medidas de reciclagem, consumo consciente e suporte a tecnologias verdes. Além de almejar cortar as emissões pela metade, firmou parceria com uma multinacional logística para minimizar efeitos negativos do transporte de cargas relacionado aos shows, desde biocombustível para o frete aéreo a veículos elétricos nas estradas. O público se sente parte disso e quando a guitarra silencia carrega um pedaço dessa inteligência ambiental para casa.

No mundo corporativo, é preciso se certificar de que a forma como uma empresa participa de um evento faz sentido e se encaixa com o propósito da sua marca. Em eventos como o Rio Oil & Gas, por exemplo – onde as empresas participantes costumam lidar com diversas exigências ambientais e lideram transformações profundas nesse campo – é necessário criar experiências sustentáveis (e significativas) para os visitantes. Caso contrário, seu discurso não convence. O consumidor tem que ver, identificar e se sentir impactado para incorporar a mensagem. 

O marketing experience quando estratégico e bem feito garante que todos os pontos de experiência do consumidor com a marca em um evento vão corresponder ao que a empresa prega em sua Comunicação, de maneira criativa, personalizada, contagiante. Uma chance única de levar o sustentável da razão para a emoção. E encantar.    

* Juliana Saab é Country Lead GPJ Brasil.

Para mais informações sobre sustentabilidade clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Ryto Public Affairs



Não, as praias não serão privatizadas – entenda a PEC 3/2022 e por que defendê-la

É necessário que o bem do Brasil esteja acima de qualquer preciosismo político.

Autor: Lucas Sampaio


Cemig recicla quase 100% dos resíduos sólidos gerados pela companhia

Desde 2020, a empresa evitou o descarte de 200 mil toneladas de materiais no meio ambiente.

Autor: Divulgação

Cemig recicla quase 100% dos resíduos sólidos gerados pela companhia

Minas garante a preservação de espécies raras de fauna e flora

As unidades de conservação (UCs) em Minas Gerais, geridas pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), são verdadeiros oásis para a conservação da natureza.

Autor: Divulgação

Minas garante a preservação de espécies raras de fauna e flora

Traças de roupas e livros: curiosidades e prejuízos causados pelos insetos

Encontradas em lares, roupas e livros, as traças tem hábitos alimentares e de sobrevivência distintos, de acordo com Biólogo do CEUB.

Autor: Divulgação

Traças de roupas e livros: curiosidades e prejuízos causados pelos insetos

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

A nova realidade criada pela tragédia exige igualmente novas respostas da gestão pública, incluindo um olhar prioritário para a questão ambiental.

Autor: Divulgação

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

A aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento, em julho de 2020, trouxe novas e importantes perspectivas para o avanço da infraestrutura do setor.

Autor: Elzio Mistrelo

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Arqueólogos encontraram os primeiros ossos em 1974, na área do Monumento Estadual Lapa Vermelha, em Pedro Leopoldo

Autor: Divulgação

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Animal havia sido atingido em rodovia, próximo a Campos Altos, e foi submetido a cirurgia; espécie é a segunda maior espécie de felino das Américas e está ameaçada de extinção.

Autor: Divulgação

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Qual produto é mais recomendado para manutenção de fossa séptica?

A manutenção ideal de uma fossa séptica é crucial para manter um sistema de saneamento confiável e saudável.

Autor: Divulgação


A revolução das soluções baseadas na natureza

De acordo com um estudo liderado pela UFRJ, 48 mil pessoas morreram por ondas de calor entre 2000 e 2018 no Brasil.

Autor: Danilo Roberti Alves de Almeida

A revolução das soluções baseadas na natureza

Municípios têm oportunidades com o saneamento

O saneamento básico galgou um novo patamar no interesse de investidores e especialistas.

Autor: Maurício Vizeu de Castro

Municípios têm oportunidades com o saneamento

As bactérias do bem que salvam as águas

Pode soar surpreendente, mas são os microrganismos os agentes mais capacitados para tratar da água de forma natural.

Autor: Monique Zorzim

As bactérias do bem que salvam as águas