Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Preservação ambiental é a chave para a contenção de doenças como o Coronavirus

Preservação ambiental é a chave para a contenção de doenças como o Coronavirus

07/03/2020 Allan Carlos Pscheidt

O vírus da raiva é transmitido pela saliva de animais infectados e ocorre em todo o mundo na forma silvestre.

Preservação ambiental é a chave para a contenção de doenças como o Coronavirus

Epidemias como o Ebola, Sars, Mers e, recentemente, o Covid-19 (coronavírus), que tem infectado milhares de pessoas na China e ao redor do mundo, têm em comum a sua origem vinda dos morcegos, segundo alguns estudos. 

Esses mamíferos vivem em grandes populações que abrangem diversos territórios e convivem com muitos vírus, sem adoecer. Isso os torna um reservatório natural de diferentes tipos de coronavírus e também de outros vírus como a raiva, Marburgo, Nipah e Hendra, que causaram epidemias em alguns países na África, Ásia e Oceania.

O vírus da raiva é transmitido pela saliva de animais infectados e ocorre em todo o mundo na forma silvestre, com poucos registros atuais de infecções urbanas. O Marburgo foi identificado em epidemias de febre hemorrágica mortal na Angola e Uganda, sendo a mais recente em 2007 quando mineiros contraíram o vírus enquanto trabalhavam na gruta de Kitaka, que abriga uma população de 100 mil morcegos em Uganda. O Nipah provoca síndromes respiratórias e encefalites mortais, e foi registrado na Malásia em 1998 e 2004 após a ingestão de frutas contaminadas pela espécie frutívora, com alta taxa de mortalidade e o Hendra, que em 1994 causou a morte de 300 cavalos de pessoas que manipularam esses animais na Austrália, causando outros surtos menores desde então.

Os morcegos são o segundo maior grupo de mamíferos e correspondem a 25% desta classe de animais no mundo (o primeiro é composto por roedores). Ocorrem em todo o globo, com exceção da Antártida, com habitação em cavernas e outros ambientes. Conhecemos 17 famílias e 177 gêneros e mais de 1.200 espécies de morcegos no mundo. No Brasil ocorrem cerca de 178 espécies. Segundos profissionais de ciências biologicas, são reconhecidos por serem os únicos mamíferos com voo verdadeiro, promovido pela existência de uma fina membrana de pele que se estende dos dedos até as patas por toda a lateral do corpo, além de apresentar excelente olfato, paladar, audição e boa visão. Ainda possuem a ecolocalização (emissão de ondas ultrassônicas pelas narinas ou boca, que são refletidas no ambiente e retornam em forma de ecos que ajudam na identificação do ambiente e mobilidade).

Em sua dieta estão frutos, sementes, folhas, néctar, pólen, artrópodes (animais dotados de patas articuladas e que possuem esqueleto externo), pequenos vertebrados, peixes e sangue. Cerca de 70% dos morcegos são insetívoros, ou seja, sua alimentação é baseada em insetos, que são alguns vetores de doenças. Assim, esse mamífero contribuí com a dinâmica ecológica da natureza na polinização, dispersão e fornecimento de nutrientes, cooperando para a sobrevivência de muitas plantas produtoras de alimentos para diversos animais e cuja ostensiva beneficia o clima e o ciclo de nutrientes importantes. É dessa forma, ingerindo insetos portadores de doenças e se alimentando de frutos, que este animal contribui para a propagação dessas infectologias.

Com a sua adaptação ao voo em sua evolução, o sistema imunológico tornou esses animais imunes a muitas doenças. O mecanismo, ainda em estudo, sugere que a produção de energia para essa ação contribui para o desenvolvimento do sistema imunológico menos sensível e, assim, não elimina as partículas virais, mas protege suas células desses vírus. O mecanismo de produção de energia faz com que as células tenham um ciclo muito rápido e ao morrerem liberam partículas celulares que poderiam ser consideradas como corpos estranhos e, assim, ativando desnecessariamente o sistema imunológico desses animais.

A infecção ocorre quando o habitat natural dos morcegos é alterado e eles passam a ter contato com outros animais silvestres e domésticos. A crescente expansão dos centros urbanos e agropecuária ameaçam florestas, cavernas, locais que são o habitat desses animais, que passam a viver em convívio com o homem, quando ocorre o contágio.

Pesquisadores de zoonoses (doenças transmitidas de animais para o ser humano) observam o risco do surgimento de outras epidemias caso o habitat dos morcegos continue sendo invadido ou destruído. Contudo, é importante destacar que esses animais são de extrema importância para a dinâmica ecológica do planeta e a sua caça causaria um grande impacto biológico. É válido lembrar que maus-tratos aos animais é crime em muitos países, inclusive no Brasil.

A recente epidemia do Covid-19 mostra também a importância da conservação ambiental e de mais estudos da natureza e seres vivos. Ao analisar a dinâmica do sistema imunológico dos morcegos, por exemplo, pode ser possível compreender mecanismos de possíveis novas doenças e buscar medidas preventivas eficazes. A transmissão dos vírus a partir dos morcegos ocorre quando esses animais são afetados pela atividade humana e a educação ambiental é necessária para combater as fake news relacionadas ao tema. Vale lembrar que ao encontrar um animal silvestre morto, não o manipule. Desta forma, o possível contágio com vírus e bactérias será evitado.

* Allan Carlos Pscheidt, possui graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas, graduação em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas, mestrado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente pelo Instituto de Botânica (2011) e doutorado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente pelo Instituto de Botânica (2015), doutorado sanduíche no Botanische Staatssammlung München (Alemanha). 

Fonte: FMU



A geopolítica do clima e as consequências de ignorar

Nos últimos anos, estamos percebendo de forma bastante clara como as questões climáticas vêm influenciando o xadrez geopolítico global.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray

A geopolítica do clima e as consequências de ignorar

Não, as praias não serão privatizadas – entenda a PEC 3/2022 e por que defendê-la

É necessário que o bem do Brasil esteja acima de qualquer preciosismo político.

Autor: Lucas Sampaio


Cemig recicla quase 100% dos resíduos sólidos gerados pela companhia

Desde 2020, a empresa evitou o descarte de 200 mil toneladas de materiais no meio ambiente.

Autor: Divulgação

Cemig recicla quase 100% dos resíduos sólidos gerados pela companhia

Minas garante a preservação de espécies raras de fauna e flora

As unidades de conservação (UCs) em Minas Gerais, geridas pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), são verdadeiros oásis para a conservação da natureza.

Autor: Divulgação

Minas garante a preservação de espécies raras de fauna e flora

Traças de roupas e livros: curiosidades e prejuízos causados pelos insetos

Encontradas em lares, roupas e livros, as traças tem hábitos alimentares e de sobrevivência distintos, de acordo com Biólogo do CEUB.

Autor: Divulgação

Traças de roupas e livros: curiosidades e prejuízos causados pelos insetos

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

A nova realidade criada pela tragédia exige igualmente novas respostas da gestão pública, incluindo um olhar prioritário para a questão ambiental.

Autor: Divulgação

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

A aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento, em julho de 2020, trouxe novas e importantes perspectivas para o avanço da infraestrutura do setor.

Autor: Elzio Mistrelo

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Arqueólogos encontraram os primeiros ossos em 1974, na área do Monumento Estadual Lapa Vermelha, em Pedro Leopoldo

Autor: Divulgação

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Animal havia sido atingido em rodovia, próximo a Campos Altos, e foi submetido a cirurgia; espécie é a segunda maior espécie de felino das Américas e está ameaçada de extinção.

Autor: Divulgação

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Qual produto é mais recomendado para manutenção de fossa séptica?

A manutenção ideal de uma fossa séptica é crucial para manter um sistema de saneamento confiável e saudável.

Autor: Divulgação


A revolução das soluções baseadas na natureza

De acordo com um estudo liderado pela UFRJ, 48 mil pessoas morreram por ondas de calor entre 2000 e 2018 no Brasil.

Autor: Danilo Roberti Alves de Almeida

A revolução das soluções baseadas na natureza

Municípios têm oportunidades com o saneamento

O saneamento básico galgou um novo patamar no interesse de investidores e especialistas.

Autor: Maurício Vizeu de Castro

Municípios têm oportunidades com o saneamento