Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Saneamento precisa de um rumo

Saneamento precisa de um rumo

10/06/2019 Luiz Pladevall

O governo federal precisa dar um norte para o saneamento brasileiro para atender às antigas demandas da população por melhor qualidade de vida.

A complexidade desse setor levou o governo do presidente Michel Temer a optar pela transferência deste problema complexo para o setor privado, mostrando total incompetência no enfrentamento das dificuldades políticas e de transformar o saneamento em uma prioridade de Estado.

A apresentação das MPs (Medidas Provisórias) 844 e 868 são frutos desta incapacidade de centralizar as ações de saneamento e garantir o avanço do setor rumo à universalização do abastecimento de água e esgotamento sanitário.

A casa requer uma boa arrumação antes de qualquer avanço e precisa começar pela definição dos responsáveis pelo saneamento.

Com a criação do Plansab (Plano Nacional de Saneamento Básico), o Ministério das Cidades, hoje extinto, por meio da SNSA (Secretaria Nacional de Saneamento Básico), ficou com a incumbência de responder pela coordenação de um programa de saneamento básico integrado, com o objetivo de atender as metas previstas neste planejamento, principalmente pela necessidade de integrar as ações em vários programas do governo federal.

Infelizmente, essa coordenação não foi efetivada, tendo como a maior dificuldade a insubordinação natural de um ministério em relação a uma secretaria. Ou seja, como uma secretaria pode coordenar ações de outros ministérios sem ter o controle dos recursos financeiros?

Assim, acabamos com uma configuração que deixa o saneamento sem uma paternidade. O panorama atual continua sem parâmetros de responsabilidade.

A SNSA responde pelo apoio ao saneamento nas cidades com população acima de 50 mil habitantes – são 669 municípios, respondendo por 12% das localidades -, e a Funasa (Fundação Nacional de Saúde), subordinada ao Ministério da Saúde, responde pelo apoio ao saneamento nos municípios com população inferior a 50 mil habitantes – 4.901 cidades que correspondem a 88% do total.

As várias paternidades transformam as decisões ainda mais confusas e dificultam até mesmo a criação de medidas para alcançar soluções. Sem mudanças nessa cultura e a adoção, pelo Governo Federal, do saneamento como programa de Estado, fica muito difícil organizar um planejamento mínimo com tantos atores nesse cenário.

Da maneira como está, o saneamento corre o risco de continuar a caminhar a passos lentos nos próximos anos e a população a sofrer com as doenças e os demais problemas causados pela falta de empreendimentos no setor.

* Luiz Pladevall é engenheiro, presidente da Apecs (Associação Paulista de Empresas de Consultoria e Serviços em Saneamento e Meio Ambiente) e vice-presidente da ABES-SP (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental).

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada



Ciclone bomba – entenda como se forma

É relativamente comum que ocorra na região sul brasileira nos meses de primavera e outono.

Ciclone bomba – entenda como se forma

AGU bloqueia R$ 570 milhões em bens de desmatadores da Amazônia

Objetivo é garantir recursos para a recuperação dos danos ambientais causados.

AGU bloqueia R$ 570 milhões em bens de desmatadores da Amazônia

Programa promove a coleta de mais de 450 toneladas de tampas de plástico

O Tampinha Legal já encaminhou mais de 250 milhões de tampinhas plásticas para a reciclagem.

Programa promove a coleta de mais de 450 toneladas de tampas de plástico

2020 – Seis meses de conquistas e desafios para setor orgânico

A primeira metade de 2020 foi atípica e, em muitos aspectos, assustadora para a maior parte do mercado, mas serviu como um bom teste de resistência para os orgânicos brasileiros e, consequentemente, para a Organis.


Você sabe como as tartarugas se comunicam? Ouça o som

Projeto divulga as primeiras gravações dos sons emitidos pelas tartarugas-da-amazônia – uma das espécies ameaçadas do Brasil.

Você sabe como as tartarugas se comunicam? Ouça o som

E a ciência?

Para falarmos do papel da OMS neste momento, precisamos entender qual é o papel da ciência.

E a ciência?

Empresas se unem para ampliar apoio aos catadores de materiais recicláveis

Tetra Pak e Klabin formam uma Corrente do Bem para manter auxílio por meio de causa disponível no aplicativo de impacto social Ribon.

Empresas se unem para ampliar apoio aos catadores de materiais recicláveis

Monitoramento indica que nuvem de gafanhotos não entrou no Brasil

Mapa continua em alerta e divulga manual com orientações para eventual controle da praga.

Monitoramento indica que nuvem de gafanhotos não entrou no Brasil

Minas passa a ser o terceiro estado a fazer reuso de água não potável no Brasil

Medida proporciona redução do aporte de poluentes nas bacias hidrográficas mineiras.

Minas passa a ser o terceiro estado a fazer reuso de água não potável no Brasil

Saiba mais sobre o contexto das questões ambientais no Brasil

O período de isolamento social, medida adotada para combate da COVID-19, trouxe à tona um tema frequentemente presente na agenda global: a preservação ambiental.


Compra e venda de usados evitou emissão de gases de efeito estufa em 2019

Impacto representa parar o trânsito de veículos na capital do Rio de Janeiro por 14 meses, aponta estudo.

Compra e venda de usados evitou emissão de gases de efeito estufa em 2019

Conheça as aves “românticas” do Brasil

Rico em biodiversidade, país abriga exemplos de demonstração afetiva em espécies-símbolo.

Conheça as aves “românticas” do Brasil