Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Brasileiros acreditam que temperatura média global vai subir em 2020

Brasileiros acreditam que temperatura média global vai subir em 2020

28/01/2020 Divulgação

Mesmo com o índice alto, Brasil está entre os países que menos se preocupa com o tema.

Brasileiros acreditam que temperatura média global vai subir em 2020

Sete em cada dez brasileiros (71%) acreditam que a temperatura média global vai subir em 2020. Apesar do índice alto, o Brasil está entre os países que menos se preocupam com essa questão, atrás apenas de Arábia Saudita (54%), Estados Unidos (64%), Rússia (67%) e Austrália (70%). A média global é de 77%. Os países que lideram o ranking são Turquia (89%), Cingapura (86%), Coréia do Sul e Chile (85%). Os dados são da nova pesquisa Global Advisor “Predictions”, da Ipsos, que traz percepções da população em 33 países sobre acontecimentos que poderão impactar o mundo em 2020.

Ainda sobre questões climáticas, 23% dos entrevistados do Brasil acreditam na probabilidade de haver um grande desastre natural que vai impactar as pessoas da sua cidade. O resultado brasileiro é menor do que o global (30%).

O estudo também mostra que 35% dos entrevistados no mundo acreditam que Donald Trump será reeleito como presidente dos Estados Unidos. A região que mais acredita nessa possibilidade é Hong Kong, com 54%, e o país que menos acredita é a Hungria (19%). Nos EUA, o resultado foi de 46%, e no Brasil de 31%.

Metas pessoais

A maioria dos brasileiros (62%) acredita que 2019 foi um ano ruim para eles e para suas famílias. O índice é maior do que o global (50%) e um pouco abaixo da Argentina (69%), país que teve o maior resultado nessa questão.

A pesquisa também mostra que sete em cada dez brasileiros (74%) acreditam que 2019 foi um ano ruim para o país. O Chile é o país que mais concorda com essa questão, com 87%. No mundo, a média foi de 65%.

Por outro lado, a grande maioria dos brasileiros (82%) está otimista para 2020 e acredita que o ano será melhor do que 2019. O resultado está acima da média global (75%). As Filipinas são as mais otimistas, com 95%.

Muitas pessoas também pretendem ter resoluções pessoais neste ano: 82% dos brasileiros desejam seguir esse plano em 2020. No mundo, o índice é um pouco menor: 76%.

Sociedade

Mais da metade dos entrevistados em todo o mundo (56%) acredita que poderão ocorrer manifestações em larga escala para protestar contra o modo como os países estão sendo administrados. No Brasil, o índice é um pouco maior (58%). Duas nações da América Latina lideram esse ranking: Colômbia e Chile, ambos com 82%.

A pesquisa ainda aponta que três em cada dez entrevistados globalmente (32%) acreditam que um grande ataque terrorista será realizado. A França é o país que mais acredita nessa possibilidade, com 56%. O Brasil aparece na outra ponta do ranking, com 16%.

Economia

Seis em cada dez brasileiros (64%) acreditam que a economia global será mais forte em 2020 do que foi em 2019. O resultado está acima da média do mundo (52%). A China é o país mais confiante nesse cenário, com 84%.

Ainda sobre economia, 36% dos entrevistados no Brasil disseram que existem possibilidades de que as principais bolsas de valores do mundo quebrem. A média global é a mesma. A Malásia é o país que mais acredita nessa probabilidade (59%) e a Hungria que menos acredita (24%).

Quatro em cada dez entrevistados globalmente (44%) acreditam que as mulheres poderão ter salário igual ao dos homens para a mesma função. O Brasil é mais pessimista que o mundo nesta questão: somente 39% dos brasileiros entrevistados acreditam nessa possibilidade. As Filipinas é o país que mais acredita, com 75%.

Redes sociais e televisão

Dois em cada dez brasileiros (25%) gostariam de usar menos as redes sociais em 2020. A média mundial é de 27%. A Índia é o país que mais quer reduzir o uso das plataformas, com 46%.

Apesar de o desejo de usar menos redes sociais, oito em cada dez entrevistados globalmente (78%) disseram que vão gastar mais tempo on-line do que com a televisão. No Brasil, o índice também é alto: 73% - apesar de ser um dos mais baixos entre os países pesquisados. A Turquia lidera o ranking, com 89%.

O estudo também mostra que as pessoas vão utilizar mais a televisão para streaming do que para ver canais abertos, a cabo ou via satélite. No mundo, 51% possuem essa preferência. No Brasil, o índice é um pouco maior, de 54%.

A pesquisa on-line foi realizada com 22,5 mil entrevistados em 33 países, incluindo o Brasil, entre 26 de novembro e 6 de dezembro de 2019. A margem de erro para o Brasil é de 3,1 p.p.

Fonte: Giusti Comunicação



A geopolítica do clima e as consequências de ignorar

Nos últimos anos, estamos percebendo de forma bastante clara como as questões climáticas vêm influenciando o xadrez geopolítico global.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray

A geopolítica do clima e as consequências de ignorar

Não, as praias não serão privatizadas – entenda a PEC 3/2022 e por que defendê-la

É necessário que o bem do Brasil esteja acima de qualquer preciosismo político.

Autor: Lucas Sampaio


Cemig recicla quase 100% dos resíduos sólidos gerados pela companhia

Desde 2020, a empresa evitou o descarte de 200 mil toneladas de materiais no meio ambiente.

Autor: Divulgação

Cemig recicla quase 100% dos resíduos sólidos gerados pela companhia

Minas garante a preservação de espécies raras de fauna e flora

As unidades de conservação (UCs) em Minas Gerais, geridas pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), são verdadeiros oásis para a conservação da natureza.

Autor: Divulgação

Minas garante a preservação de espécies raras de fauna e flora

Traças de roupas e livros: curiosidades e prejuízos causados pelos insetos

Encontradas em lares, roupas e livros, as traças tem hábitos alimentares e de sobrevivência distintos, de acordo com Biólogo do CEUB.

Autor: Divulgação

Traças de roupas e livros: curiosidades e prejuízos causados pelos insetos

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

A nova realidade criada pela tragédia exige igualmente novas respostas da gestão pública, incluindo um olhar prioritário para a questão ambiental.

Autor: Divulgação

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação da vegetação nativa

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

A aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento, em julho de 2020, trouxe novas e importantes perspectivas para o avanço da infraestrutura do setor.

Autor: Elzio Mistrelo

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Arqueólogos encontraram os primeiros ossos em 1974, na área do Monumento Estadual Lapa Vermelha, em Pedro Leopoldo

Autor: Divulgação

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Animal havia sido atingido em rodovia, próximo a Campos Altos, e foi submetido a cirurgia; espécie é a segunda maior espécie de felino das Américas e está ameaçada de extinção.

Autor: Divulgação

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Qual produto é mais recomendado para manutenção de fossa séptica?

A manutenção ideal de uma fossa séptica é crucial para manter um sistema de saneamento confiável e saudável.

Autor: Divulgação


A revolução das soluções baseadas na natureza

De acordo com um estudo liderado pela UFRJ, 48 mil pessoas morreram por ondas de calor entre 2000 e 2018 no Brasil.

Autor: Danilo Roberti Alves de Almeida

A revolução das soluções baseadas na natureza

Municípios têm oportunidades com o saneamento

O saneamento básico galgou um novo patamar no interesse de investidores e especialistas.

Autor: Maurício Vizeu de Castro

Municípios têm oportunidades com o saneamento