Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Você sabe como as tartarugas se comunicam? Ouça o som

Você sabe como as tartarugas se comunicam? Ouça o som

30/06/2020 Divulgação

Projeto divulga as primeiras gravações dos sons emitidos pelas tartarugas-da-amazônia – uma das espécies ameaçadas do Brasil.

Você sabe como as tartarugas se comunicam? Ouça o som

Foto: Camila Fagundes/WSC

Um projeto da Associação da Conservação da Vida Silvestre – ou Wildlife Conservation Society (WSC) no Brasil –, com apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, busca contribuir com o desenvolvimento de estratégias de conservação para a tartaruga-da-amazônia (Podocnemis expansa), uma das espécies mais ameaçadas do País e cuja população vem caindo significativamente nos últimos anos, principalmente devido ao tráfico e ao consumo ilegal. 

Uma das frentes da iniciativa estuda o papel da comunicação acústica no comportamento de desova em massa e nascimento dos filhotes.

O comércio ilegal da espécie é estimulado pela alta demanda de sua carne e de seus ovos na região Norte. Nos meses de setembro e outubro, quando as tartarugas chegam aos rios tributários da bacia Amazônica para o período de desova, caçadores retiram os ovos da areia e capturam tartarugas para vender a mercados e restaurantes da região. Mais de 200 mil filhotes podem nascer em uma mesma noite, o que facilita a identificação e a captura das tartarugas.

O projeto de conservação das tartarugas-da-amazônia usa microfones e hidrofones para captar os sons emitidos pelos animais, a principal forma de comunicação entre eles. Além da comunicação acústica entre os indivíduos adultos, os filhotes, ao entrarem na água, também chamam pelas mães por meio do som.

As tartarugas-da-amazônia são a maior espécie de quelônio de águas doce da América do Sul, podendo medir um metro de comprimento e pesar até 75 quilos. São também uma das espécies de tartaruga com comportamento mais social do mundo, o que torna a comunicação sonora extremamente importante para a troca de informações nas atividades sociais do grupo dentro e fora da água.

Durante os meses de seca, as tartarugas-da-amazônia deixam a floresta alagada em busca das praias de desova. Cada tartaruga desova apenas uma vez no período reprodutivo e deposita cerca de 100 ovos. O período de incubação dura cerca de dois meses e o sexo dos filhotes é determinado pela temperatura de incubação. Após o nascimento, filhotes e adultos migram para a floresta alagada em busca de refúgio e alimentação.

Descrição dos arquivos de áudio:

Os sons "tipo 3f 2" e "tipo 3f 3" são sons de tartarugas adultas, enquanto o arquivo "tipo 6" representa o som de um filhote. A duração dos áudios é bem curta. Recomenda-se aumentar o volume da saída de som.

Os primeiros sons acabam de ser divulgados.

Fonte: Fundação Grupo Boticário e Tamer Comunicação



Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação de vegetação nativa

A nova realidade criada pela tragédia exige igualmente novas respostas da gestão pública, incluindo um olhar prioritário para a questão ambiental.

Autor: Divulgação

Rio Grande do Sul: a reconstrução passa pela recuperação de vegetação nativa

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

A aprovação do Novo Marco Legal do Saneamento, em julho de 2020, trouxe novas e importantes perspectivas para o avanço da infraestrutura do setor.

Autor: Elzio Mistrelo

Investir em saneamento traz retorno para a saúde

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Arqueólogos encontraram os primeiros ossos em 1974, na área do Monumento Estadual Lapa Vermelha, em Pedro Leopoldo

Autor: Divulgação

Descoberta de Luzia, um dos esqueletos mais antigos das Américas, completa 50 anos

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Animal havia sido atingido em rodovia, próximo a Campos Altos, e foi submetido a cirurgia; espécie é a segunda maior espécie de felino das Américas e está ameaçada de extinção.

Autor: Divulgação

Governo de Minas e Ibama reabilitam onça parda atropelada e a devolvem à natureza

Qual produto é mais recomendado para manutenção de fossa séptica?

A manutenção ideal de uma fossa séptica é crucial para manter um sistema de saneamento confiável e saudável.

Autor: Divulgação


A revolução das soluções baseadas na natureza

De acordo com um estudo liderado pela UFRJ, 48 mil pessoas morreram por ondas de calor entre 2000 e 2018 no Brasil.

Autor: Danilo Roberti Alves de Almeida

A revolução das soluções baseadas na natureza

Municípios têm oportunidades com o saneamento

O saneamento básico galgou um novo patamar no interesse de investidores e especialistas.

Autor: Maurício Vizeu de Castro

Municípios têm oportunidades com o saneamento

As bactérias do bem que salvam as águas

Pode soar surpreendente, mas são os microrganismos os agentes mais capacitados para tratar da água de forma natural.

Autor: Monique Zorzim

As bactérias do bem que salvam as águas

Cuidar da água para não faltar

“O Brasil, que se ergueu à beira do mar e em volta dos rios, também escreveu histórias de sede, de muita sede”, já apontava Graciliano Ramos, em 1938, na sua obra “Vidas Secas”.

Autor: Luiz Pladevall

Cuidar da água para não faltar

Dia das Florestas: vale a pena derrubar árvores?

Era de amor a relação dos indígenas com a mata, principalmente antes da invasão portuguesa.

Autor: Víktor Waewell

Dia das Florestas: vale a pena derrubar árvores?

Shopping distribui adubo oriundo da compostagem dos resíduos orgânicos

O adubo é utilizado no paisagismo do próprio shopping, doado para os colaboradores e agora está indo para a casa dos frequentadores.

Autor: Divulgação

Shopping distribui adubo oriundo da compostagem dos resíduos orgânicos

Cada passo importa para um futuro sustentável

O ano de 2023 foi confirmado como o mais quente da história, de acordo com o observatório Copernicus Climate Change Service, da União Europeia.

Autor: Artur Grynbaum

Cada passo importa para um futuro sustentável