Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Turismo e estudo? Países baratos para fazer “mochilão” e aprender inglês

Turismo e estudo? Países baratos para fazer “mochilão” e aprender inglês

07/11/2019 Divulgação

Realizar uma viagem para estudar inglês nem sempre é sinônimo de gastos exorbitantes.

Turismo e estudo? Países baratos para fazer “mochilão” e aprender inglês

Há alternativas para driblar os intercâmbios tradicionais e ainda assim viajar para aprender mais sobre a língua mais popular do mundo.

Uma maneira de diminuir os custos durante uma viagem a turismo e estudo é através do bom e velho mochilão. Seja de maneira individual ou em grupo, é possível reservar um período de algumas semanas ou meses em países e regiões que falam inglês com custo de vida mais reduzido do que a média.

Como viajar é um dos principais motivos para os brasileiros quererem aprender inglês e não faltam destinos por todos os continentes que são ideais para diferentes gostos, é sempre bom aliar o útil ao agradável. Portanto, abaixo, separamos a lista de alguns países e regiões que são relativamente baratos para aliar turismo e estudo da língua inglesa.

Irlanda

O custo de vida na Irlanda não é necessariamente barato, no entanto, o país consegue oferecer pacotes bem interessantes para estudo e o interior do país conta com um custo bem menor do que na capital Dublin.

Começar um mochilão pela Irlanda é simplesmente perfeito para uma viagem em grupo, pois desse jeito é possível dividir os custos e ainda assim aproveitar. É claro que, quando o objetivo é aprender inglês, o correto é o grupo de amigos em questão tentar sempre se comunicar nessa língua — mesmo se todos forem brasileiros, claro.

Ao iniciar um mochilão pela Irlanda, é possível visitar vários países sensacionais por perto durante alguns dias, como por exemplo Escócia, País de Gales e Inglaterra. Para quem realiza esse roteiro, é melhor ter tudo programado de antemão, pois ao reservar com antecedência é possível conseguir passagens relativamente baratas.

Outro ponto positivo é que a condição geográfica da Grã-Bretanha favorece um mochilão. Em uma vez na Escócia, País de Gales ou Inglaterra, é possível conhecer cada canto do Reino Unido de trem ou com passagens de ônibus que não pesam no orçamento.

Além disso, é difícil nomear um lugar melhor do que a Grã-Bretanha para aprender o inglês rotineiro com as suas diversas expressões.

 

África do Sul

Um país rico culturalmente e com o inglês sendo a língua principal, a África do Sul, apesar dos seus problemas com taxa de desemprego e outras questões, segue como um destino alternativo adequado para quem planeja viajar e estudar sem precisar gastar muito dinheiro.

O país conta com um custo de vida diferenciado de acordo com a cidade. Algumas como Joanesburgo, Cidade do Cabo e Pretória têm custo elevado se comparado a outras. No entanto, essas três não são tão caras como os principais centros da Europa, por exemplo.

Em média, alugar um apartamento no centro de Joanesburgo fica na faixa dos R$ 1700, enquanto esse valor cai consideravelmente em outras cidades menores.

Para o turismo, passar algumas semanas ou meses na África do Sul é uma experiência de vida sensacional. O país conta com diversos destinos turísticos de tirar fôlego e uma beleza natural diferenciada.

Além disso, é bom citar que há vários voos diários que saem do Brasil à África do Sul e sem conexão.

 

Noroeste e região central dos Estados Unidos

Para quem está a fim de gastar menos do que a média e ainda refinar o inglês nos Estados Unidos, uma boa alternativa é procurar por opções no Noroeste e na região Central do país.

Cidades como Portland e Salt Lake, por exemplo, apresentam um custo de vida agradável para os viajantes. Em viagem em grupo, tudo fica ainda melhor pela possibilidade de dividir os custos.

A proximidade de Portland com alguns centros turísticos também é um fator empolgante. Localizada no Estado de Oregon, que faz fronteira com a Califórnia, a cidade está relativamente próxima a Seattle e a 12 horas de carro de São Francisco.

Já na região Central, em que o sotaque é mais carregado, é possível encontrar algumas opções ainda mais baratas. Em Oklahoma, estão três das 10 cidades com menor custo de vida nos Estados Unidos.

Entre as cidades baratas de Oklahoma para estudar, estão Muskogee, Ardmore e Norman. O Estado não é tão privilegiado em termos de localização como Portland, mas há algumas cidades famosas por perto, como Dallas, Houston e até mesmo Denver.

 

Fort Lauderdale

Também há uma opção com bom custo benefício para a Flórida quando o assunto é estudar e aprender inglês. A cidade de Fort Lauderdale, que está bem próxima a Miami, é um exemplo disso.

Quando comparada com cidades mais turísticas, como Las Vegas, New York e também Miami, Fort Lauderdale é consideravelmente mais barata e conta com opções bem interessantes para mochilão.

A principal vantagem é que Fort Lauderdale tem um estilo tropical muito bom e próxima também a outras cidades grandes além de Miami, como Tampa e Orlando.

Outro ponto positivo é que há vários voos que saem diretamente do Brasil para Fort Lauderdale, que conta com um aeroporto internacional que recebe diversos voos diários da América do Sul.



Curso gratuito prepara estudantes de todo o país para o Enem

Uninter oferece 345 aulas gravadas e 55 aulas inéditas.

Curso gratuito prepara estudantes de todo o país para o Enem

Sisu abre inscrições para mais de 51 mil vagas em instituições do país

Segundo cronograma divulgado pelo Mec, o resultado do Sisu será divulgado no dia 14 de julho.

Sisu abre inscrições para mais de 51 mil vagas em instituições do país

Educação no isolamento social se torna oportunidade de aprendizado para qualquer idade

As aulas on-line das crianças têm requisitado uma maior participação dos familiares.

Educação no isolamento social se torna oportunidade de aprendizado para qualquer idade

Fatos sobre a lição de casa em tempos de aula à distância

Orientar de modo equivocado pode causar estragos na aprendizagem.

Fatos sobre a lição de casa em tempos de aula à distância

MEC define protocolo de segurança para volta às aulas

Cronograma das atividades deve ser orientado pelo governo local.

MEC define protocolo de segurança para volta às aulas

A vida depois da graduação

O resultado esperado é um aprofundamento de carreira dentro de uma profissão.

A vida depois da graduação

Educação, pandemia e juventude

Hoje proponho uma reflexão acerca dos rumos que estamos dando à educação no Brasil e o que, de fato, desejamos de nossa atual juventude em sua maturidade.


Ensino remoto: a nova via da educação superior

É bastante improvável que a educação tradicional e presencial retorne antes de 2021.


A herança da pandemia na educação

A esta altura da pandemia, já se sabe que ela vai deixar, além da crise econômica que todos estamos vivendo, uma herança baseada em mudanças de hábitos e no uso mais intenso da tecnologia.


A pedra no sapato do Ensino Superior brasileiro

Mais da metade dos que ingressam nas universidades trocam de turma, curso ou instituição, ou abandonam os estudos.

A pedra no sapato do Ensino Superior brasileiro

Pandemia não desanima maioria a cursar faculdade em 2020

Estudo  mediu o impacto da covid-19 nas matrículas para o 2° semestre de 2020 e 65% seguirá com o projeto universitário.

Pandemia não desanima maioria a cursar faculdade em 2020

Pesquisa aponta que 28% dos jovens não voltarão às aulas após pandemia

Levantamento questionou 33.688 jovens de todo o país.

Pesquisa aponta que 28% dos jovens não voltarão às aulas após pandemia