Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A mudança da política pelo coaching; ajustes comportamentais

A mudança da política pelo coaching; ajustes comportamentais

25/01/2021 Osmar Bria

O coaching é uma área que vem ganhando cada vez mais relevância nos últimos anos.

Este tema já virou polêmica até em novela, reality show e em inúmeras reportagens na TV. Na política não é diferente, e os profissionais desta área estão se tornando grandes aliados dos candidatos.

Mas fica o questionamento na cabeça do cidadão comum: o coaching realmente pode mudar a política brasileira? Para responder essa pergunta, é necessário definir de forma clara o significado da palavra.

Coaching é um processo de desenvolvimento comportamental; já o coach é o profissional que guia esse processo. É ele quem vai ajudar a pessoa a alcançar o objetivo desejado.

Porém é necessário salientar que este objetivo precisa ser palpável, desejável e alcançável. Por exemplo, a vontade de “ficar rico”, por incrível que pareça, não é um objetivo claro.

O conceito de riqueza pode variar entre as pessoas. Assim, é necessário estabelecer parâmetros para que esse tipo de meta seja alcançada.

Na política, o objetivo já fica muito mais claro se considerarmos as eleições. Um candidato já sabe a data e a hora do seu objetivo e por isso tem mais facilidade em definir suas estratégias e metas.

Um agente político que deseja vencer necessita desenvolver suas habilidades comportamentais de modo que inspire as pessoas a estarem ao seu lado.

Um líder inspirador precisa gerar ressonância, fazer com que seu discurso tenha o alcance desejado. Seus colaboradores precisam se sentir representantes e representados.

Para isso acontecer, é necessário um autêntico alinhamento de propósitos entre todos, após o qual o colaborador passa a entender o seu lugar dentro do projeto político-eleitoral. Assim, ele também vai ajudar a propagar as ideias do agente político.

Compromisso também é uma palavra-chave dentro do ajuste comportamental, pois é ela que vai nortear o relacionamento dos envolvidos no processo eleitoral.

O compromisso juntamente com o alinhamento dos propósitos vai tornar a candidatura ainda mais atraente. Ou seja, mais alcançável e desejável por parte das pessoas.

Tudo isso não pode acontecer sem coerência. Os seres humanos são coerentes quando assumem compromissos, e isto será cobrado durante toda a caminhada eleitoral.

A coerência mora dentro do inconsciente humano e gera a conexão necessária para o alinhamento dos propósitos.

Esses são os pilares do comportamento do líder político inspirador. Este líder também necessita da confiança e credibilidade das pessoas que vão estar ao lado dele em todo o processo eleitoral. Um comportamento ético condiciona a base segura de um grupo político.

Ao desenvolver o ajuste comportamental, o líder passará a desenvolver habilidades como sintonia, sincronia, consciência social, aptidão social, gestão de conflitos, trabalho em grupo, lidar com críticas e, principalmente, empatia.

Em um processo de political coaching, todas essas características serão desenvolvidas de forma assertiva.
Obviamente, o coaching é complexo e trabalhoso. Mas, com certeza, é uma ferramenta a serviço da sociedade.

Profissionais competentes precisam ser procurados e valorizados, principalmente os que possuem conhecimento das técnicas necessárias para desenvolver as habilidades e pilares comportamentais citados neste artigo. Assim, é possível mudar a política brasileira.

* Osmar Bria é autor dos livros “A Fórmula do Voto” e “Mulher, Emoção e Voto”.

Fonte: Conversa Comunicação



A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.


O poder da gentileza

O mês de novembro traz uma comemoração muito especial e essencial para estes tempos pandêmicos e de tanta polarização política: o Dia da Gentileza.


Branco no preto

As pessoas pretas no Brasil vivem pior do que as pessoas brancas, independentemente de qualquer situação.


Politicamente Correto, Liberdade de Expressão e Dignidade Humana

Estamos vivenciando, há tempos, a dicotomia de opiniões, a divisão clássica na qual a forma de expressar, de pensar, contém apenas lados antagônicos, separados que não podem convergir ou, ao menos, serem respeitados.


Prévia tucana, um tiro no escuro

Diferente das eleições primárias norte-americanas, onde os partidos Democrata e Republicano escolhem seus candidatos e definem a plataforma eleitoral, a prévia que o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) realizará neste domingo (21/11) está cercada de interrogações.


A imagem do Senhor Jesus de Santa Marinha de Vila Nova de Gaia

Nesta época pandémica, que parece não deixar de nos dizimar – dizem: por causa de novas variantes e à facilidade de movimentação, – é oportuno recordar como o povo de Deus se libertou de funestas calamidades, recorrendo à oração e à penitência.


Algoritmos e automação: a combinação certa para potencializar a vida na era digital

Há quinze anos, quem poderia imaginar que seria possível trabalhar, fazer compras, ter planos personalizados para treinos da academia e conseguir organizar investimentos em bolsas globais sem sair de casa?


Transformação digital: os desafios de um novo modelo

Com a chegada da Quarta Revolução Industrial, organizações dos mais diferentes portes e setores estão encarando obstáculos de toda ordem para lidar com as novas demandas do consumidor.