Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Alcançamos uma inteligência artificialmente natural

Alcançamos uma inteligência artificialmente natural

21/07/2022 Maria Cristina Diez

Os sistemas de tecnologia da informação representam um grande salto no processamento e na proteção de dados.

Eles têm uma capacidade que supera o próprio cérebro humano de mapear milhões de pontos faciais, identificando em segundos um entre vários rostos. É como encontrar uma agulha no palheiro num tempo humanamente impossível.

Isso, por si só, já representa uma revolução para a segurança digital, impactando diretamente o acesso de clientes a produtos e serviços na etapa de onboarding, com um nível altíssimo de segurança.

Mas há algo por trás da tecnologia de reconhecimento facial que vem chamando a atenção não apenas dos profissionais de TI, mas também de neurocientistas, que vêm elaborando testes com resultados surpreendentes.

Ao ingressar numa plataforma protegida por esse tipo de tecnologia, experimente dar algum objeto ao leitor em vez do próprio rosto, como, por exemplo, uma fotografia, uma caneta ou um caderno. Não é preciso refletir muito para saber que o sistema vai recusar sua identificação.

Pode parecer óbvio, mas a conclusão desses estudos sugere que sistemas como o face match e a biometria facial igualam-se ao cérebro humano na sua capacidade de distinguir as duas coisas.

Ao longo de milhares de anos, o cérebro humano aperfeiçoou-se a ponto de adquirir uma capacidade ímpar de fazer leituras faciais através de caminhos diferentes da leitura de objetos.

O Instituto de Pesquisa do Cérebro, vinculado ao Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT), nos EUA, onde o estudo é conduzido, aponta que há uma organização cerebral que direciona o lobo temporal à leitura específica de rostos.

Na mesma via, diz a pesquisa, as técnicas de machine learning implementadas no processo de reconhecimento produziram uma organização parecida com a inteligência humana.

Em outras palavras, os computadores treinados para realizar leituras faciais demonstraram capacidade de criar estratégias próprias que afastam qualquer objeto daquilo que são orientados a identificar. E isso sem a necessidade de uma programação computacional mais ampla, anexa ao núcleo do programa.

O aprendizado das máquinas, se por um lado pode assustar pessoas pouco familiarizadas com os efeitos desses avanços, por outro representa um nível de segurança altamente preparado para criar uma metodologia própria de identificação, potencializando ainda mais as chances de combater tentativas de fraudes ao sistema.

A inteligência digital é, portanto, um grande aliado da humanidade.

* Maria Cristina Diez é diretora comercial e de marketing da Most Specialist Technologies.

Para mais informações sobre tecnologia clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.