Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Bolsonaro dá xeque mate a favor da vacina contra a Covid-19

Bolsonaro dá xeque mate a favor da vacina contra a Covid-19

08/01/2021 Bady Curi Neto

Em linhas gerais, a regulamentação das atividades ligadas à vigência sanitária surgiu com a necessidade de evitar propagações de doenças a partir do agrupamento social, promovendo a saúde da população por meio do controle e comercialização de produtos submetidos à vigilância sanitária, incluindo ambientes, processos, tecnologias e etc.

No Brasil, essa competência é atribuída à Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, pessoa jurídica de direito público, autarquia sob regime especial, atuando de forma independente administrativa, inclusive com estabilidade de seus dirigentes pelo período do mandato, possuindo autonomia financeira.

Por evidente, todo e qualquer medicamento, para ser comercializado ou disponibilizado para a população, mesmo que de forma gratuita, no Brasil, tem que, obrigatoriamente, ser aprovado pela Agência Reguladora citada, por força de lei.

Com a pandemia da Covid-19, a exagerada politização em cima do vírus, o surgimento das esperadas vacinas, a crise na saúde deu lugar a uma politicagem virótica, voltada para agressões e disputas de poder.

Os incautos da oposição, dotados de má-fé, atribuem toda a culpa da pandemia ao Governo Federal, já nosso representante maior, sem papas na língua, costuma desferir frases com menor sensibilidade às pessoas e famílias vitimadas pelo nefasto vírus.

No meio da balburdia, esquecem que o Governo Federal, Estadual ou Municipal, não podem utilizar de nenhuma vacina para a população brasileira, mesmo que regulamentada por órgãos governamentais alienígenas, sem a aprovação da Anvisa.

Sem querer adentrar na competência, procedimentos e regulamentações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para a aprovação da vacina contra a Covid-19, fato é que a burocracia ou mesmo o excesso de regramento tem dificultado e atrasado o Plano de vacinação contra a doença.

Com as mãos amarradas pela legislação e pendente da aprovação da Anvisa, o Governo Federal não poderia sequer importar as vacinas, sob pena, se acaso não chancelada pela agência regulamentadora, ser-lhe imputado ato contrário à lei, podendo ser configurada Improbidade Administrativa.

Na tentativa de desatar o nó legal e burocrático, objetivando acelerar o processo de vacinação da população, o Presidente da República, em acertada decisão, editou Medida Provisória (MP) que flexibiliza a rigidez da lei de licitação, possibilitando, inclusive pagamento antecipado de fornecedores da esperada vacina, assim como insumos, bens e serviços de logística, tecnologia da informação e comunicação.

A MP dá azo a compra das vacinas e insumos, mesmo em fase de desenvolvimento antes do registro sanitário ou autorização de uso excepcional e emergencial pela Anvisa.

Além do mais, a acertada MP permite que a Anvisa autorize a utilização da vacina contra a Covid-19, se esta tiver sido aprovada pelas autoridades sanitárias dos EUA, União Europeia, Japão, China ou Reino Unido, permitindo, assim a imediata imunização da população brasileira.

Espera-se, com a edição da MP, agilidade na vacinação, o fim do octógono de acusações políticas infundadas e que as Casas Congressuais deem andamento às outras matérias de suma importância, desta feita para a saúde do Brasil, a exemplo da tão sonhada reforma tributária!

* Bady Curi Neto é advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) e professor universitário.

Fonte: Naves Coelho Comunicação




Como os paradigmas determinam nossos resultados

Você sabia que os nossos comportamentos habituais são moldados por paradigmas?


Ferrovias para poucos

Está em curso no Congresso, de forma quase silenciosa, mais um atentado à soberania brasileira.


Recomeço? Primeiro, o porquê

Existe um texto - às vezes atribuído ao Carlos Drummond de Andrade, embora não seja de sua autoria - que corre na internet há bastante tempo. Diz assim:


Tributação no e-commerce: a importância do regime tributário

O e-commerce tem crescido vertiginosamente nos últimos anos, em todos os países, a despeito das crises e solavancos da economia.


Em tempo de pandemia

Nestes tristes dias de pandemia, em que os médicos do Serviço de Saúde, lamentam que não se tem o devido cuidado, protegendo-se e protegendo o semelhante, lembrei-me de antigo chefe, que tive, quando era menino e moço.


2021, o ano em que seremos melhores

Nos últimos 20 anos as empresas fizeram altos investimentos em tecnologia e marketing para capturar dados de seus clientes e prospects e armazená-los em grandes repositórios de dados.


Navegar é preciso, viver não é preciso

“Navigare necesse, vivere non est necesse.”


Padre Gabriel – prefácio do livro

Fui convidado a escrever o prefácio do livro que reúne cartas do Padre Gabriel Maire, endereçadas a amigos, companheiros de ideal e instituições diversas, principalmente da França, país onde Gabriel nasceu e de onde veio para sua missão no Terceiro Mundo.


Sociedade tem que ser vigilante contra o abuso sexual de crianças e adolescentes

Todos os dias crianças, adolescentes e jovens são vítimas de crimes sexuais e têm seus direitos violados, de inúmeras formas, no Brasil.


Crise de influência digital: e agora?

BBB e a crise de influência digital.


Prós e contras da autonomia do Banco Central

Surgiu um grande debate nos últimos dias por conta da votação sobre a autonomia do Banco Central.


Sobre o Futuro

Leio em algum lugar que o futuro depende de nós. Rio da pretensão da mensagem. Ou da sua ingenuidade.