Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como otimizar as práticas ESG no setor de siderurgia

Como otimizar as práticas ESG no setor de siderurgia

20/04/2023 Roberto Abreu

O aço é a base do mundo moderno, mas a sua produção é uma importante fonte de emissões de gases de efeito estufa (GEE).

Segundo a IEA (International Energy Agency - Agência Internacional de Energia), a intensidade em carbono no setor de siderurgia, em 2021, foi de 1,39 toneladas de dióxido de carbono por tonelada de aço, o que corresponde a cerca de 7% das emissões globais de GEE do sistema de energia – igual às emissões globais de aviação, transporte marítimo e produtos químicos combinadas.

As emissões globais de carbono totalizaram 37,12 bilhões de toneladas em 2021 e, ao contabilizar as emissões indiretas, como as da mineração de ferro e do transporte de aço acabado em todo o mundo, o volume só aumenta.

Mas já existe uma alternativa: o aço verde. Análise da McKinsey sugere que a demanda na Europa por esse produto, gerado por meio de carvão vegetal, aumentará para 45 milhões a 50 milhões de toneladas métricas por ano até 2030, com o risco de um déficit de oferta de mais de dez milhões de toneladas.

De acordo com um relatório da Wood Mackenzie, o caminho para a produção do aço neutro em CO2 exigirá entre US$ 1,3 e US$ 1,4 trilhão até 2050.

Esses investimentos precisarão ocorrer em toda a cadeia de produção, desde a mineração até a fabricação, passando pela captura do carbono produzido no processo. As siderúrgicas também terão que adotar a energia renovável e investir em formas de hidrogênio verde.

Mas como atingir a meta de emissões líquidas zero e ao mesmo tempo reduzir custos e adotar as práticas de ESG (Environmental, Social and Governance – Ambiente, Social e Governança)?

A resposta está na automação de processos em todas as áreas, como produção, logística, vendas, financeiro e, também, monitoramento de toda a cadeia de suprimentos.

Dados consistentes em toda a cadeia de produção

Para atender aos requisitos ESG e, ao mesmo tempo, reduzir custos, é preciso obter insights sobre emissões, oferta, demanda e preços para cada entrada de material.

E, para planejar a descarbonização da cadeia de suprimentos, as siderúrgicas devem primeiro entender as emissões geradas durante todo o ciclo de produção.

Uma siderúrgica não depende apenas do desempenho de seu alto-forno. É mais do que hora de adotar tecnologias digitais, com sistemas de gestão e de monitoramento, em toda a cadeia de valor, criando um modelo de relacionamento com fornecedores, clientes e stakeholders.

Inovadoras soluções, implementadas por equipes especializadas, oferecem o monitoramento e análise de processos; avaliações de sustentabilidade de produtos e fornecedores, e gestão ambiental, financeira, qualidade, entre outras.

Como melhorar o desempenho

Muitas siderúrgicas já são líderes digitais, adotando tecnologias para reduzir o risco de falhas, e aumentar a segurança do processo e a garantia de qualidade.

Mas existe um potencial para fazer maior uso da digitalização para quantificar, monitorar, registrar e avaliar processos para melhorar o desempenho e os relatórios de sustentabilidade.

As soluções digitais também podem ajudar a melhorar a produtividade, otimizando o consumo de energia, minimizando o desperdício e controlando as emissões, com cadeias de suprimentos mais ágeis.

Realizar essa mudança exigirá uma jornada digital consistente para liberar o potencial de novas tecnologias e obter economias de escala, melhorando a sustentabilidade em toda a cadeia de valor.

Construir um processo de produção mais sustentável é um investimento de longo prazo, mas que certamente trará enormes benefícios ambientais ao longo de todo o ciclo de vida do aço verde, gerando maior lucratividade para o setor de siderurgia.

* Roberto Abreu é sócio-diretor da BlendIT.

Para mais informações sobre ESG clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Intelligenzia



Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan


Roubos de credenciais desviam 15 milhões da União

Nos últimos dias, a imprensa noticiou o desvio de valores do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), do Ministério da Fazenda.

Autor: Diego Muniz


Escola cívico-militar, civismo e organização…

São Paulo teve o desprazer de assistir um grupo de jovens que se dizem secundaristas invadir o plenário da Assembleia Legislativa e parar a sessão com o propósito de impedir a votação do projeto, de autoria do governador, que institui a escola cívico-militar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves