Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Discernimento

Discernimento

01/11/2021 Daniel Medeiros

O ideal do cidadão maduro é ter discernimento sobre as coisas. Discernir é separar o joio do trigo, ser capaz de identificar o certo do errado, o pertinente do inadequado, o possível do absurdo.

Uma pessoa dotada desse discernimento é mais confiável e responsável. Enfim, alguém capaz de enfrentar os desafios do mundo dos adultos.

O que é engraçado é como embarcamos com tamanho afinco nesse tipo de  encenação. Nos bastidores, longe do palco do faz de conta, há somente a consciência que não é capaz de determinar nada com certeza.

O que somos não passa de um conjunto de passos em meio a probabilidades, insights e intuições, que é como chamamos os chutes que damos todos os dias em meio ao universo caótico que nos rodeia, para construirmos o que chamamos de vida.

"Vida normal", gostamos de dizer, e fazemos isso sem um único tom de ironia ou sarcasmo. É sério o que falamos, como se houvesse uma medida padrão dessa normalidade, como há um limite de altura nos viadutos ou de profundidade nas piscinas.

Como se a volatilidade de uma sociedade na qual milhões de pessoas interagem constantemente não tecesse, todo dia, um imenso tapete de Penélope só para desfazê-lo todas as noites, sem guardar notas sobre os nós e os pontos que foram dados.

Dizemos “vida normal” e nos escondemos atrás dessa expressão, confiantes de que ninguém reparará no tremor das nossas mãos, pálpebras, lábios.

Há várias explicações para cada um desses tremores e há sempre a chance de que a distração geral releve nossos desconcertos diante da existência inominável, do real lacaniano que nos atravessa em desafio ao nosso esforço inútil de reconhecimento e classificação.

Discernimento, quando muito - o que não é pouco -, é dosar nossas neuroses com muita reflexão e respiração compassada.

É buscar ouvidos capazes de alguma atenção e organizar as falas com o máximo de abertura aos sons que vem de dentro. E redefinir o “quem somos” uma ou duas vezes por dia, ao menos.

Afinal, quando dormimos - ou quando tentamos dormir - muito do que existimos na jornada diurna já ficou pelo caminho, como pequenos mortos sem sepultura.

Mas também muitos nascimentos ocorreram, muitos jovens entraram na fase adulta, muitos velhos começaram a dar o seu adeus.

Como as pedrinhas do caleidoscópio, formando imagens a cada movimento do corpo, e cada imagem sendo tão real quanto as pedrinhas que a compõem.

O discernimento serve para as coisas. A Ciência ganhou muito com ele, isso é inegável. Mas as pessoas não cabem bem na lente objetiva da racionalidade analítica.

Somos borrões, garatujas em constante reelaboração, sem um modelo definitivo e sem um ponto final capaz de ser expresso por um “está pronto”.

Buscar uma vida equilibrada implica, o tempo todo, em uma negociação com esse "isso" que nos compõe, que não tem nome nem forma mas que age e atravessa nosso dia a dia com fome e com sede, sem dizer com clareza o que quer comer e o que quer beber. 

Curioso quando encontramos pessoas que se dizem realizadas, que viveram uma vida plena e que concretizaram tudo o que planejaram. Encenamos essas falas e embarcamos nelas com uma fé que é comovente.

Nas redes sociais, esses testemunhos provocam tremores e ranger de dentes, um verdadeiro tsunami de inveja e ressentimento. Tudo miragem. Real. Mas miragem.

Discernimento é como a brincadeira séria, quando fingimos que somos capazes de controlar nossos humores pelo tempo que quisermos. E que termina sempre quando  explodimos em risos frouxos e rostos congestionados.

* Daniel Medeiros é doutor em Educação Histórica e professor no Curso Positivo.

Para mais informações sobre discernimento clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Central Press



O efeito pandemia nas pessoas e nos ‘in-app games’

É fato que a Covid-19 balançou as estruturas de todo mundo, trazendo novos hábitos, novas formas de consumir conteúdo, fazer compras… E, claro, de se entreter.


A violência e o exemplo dos parlamentos

O péssimo exemplo que os políticos, em geral, dão nos parlamentos, insultando, ridicularizando os antagonistas, leva, por certo, a população a comportar-se de modo semelhante.


Brasileiro residente no exterior, por que fazer um planejamento previdenciário?

É muito comum no processo emigratório para o exterior ter empolgação e expectativas sobre tudo o que virá nessa nova fase da vida.


LGPD: é fundamental tratar do sincronismo de dados entre todas as aplicações

Se um cliente solicita alteração nos dados cadastrais ou pede a sua exclusão da base de dados que a empresa possui, o que fazer para garantir que isso ocorra em todos os sistemas e banco de dados que possuem os dados deste cliente ao mesmo tempo e com total segurança?


As gavetas que distorcem a vida política do país

Finalmente, está marcada para terça-feira (30/11), na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, a sabatina do jurista André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar a vaga decorrente da aposentadoria do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal.


O novo normal e a justiça!

Não restam dúvidas que o avanço tecnológico veio para melhorar e facilitar a vida das pessoas.


Repousar de fadigas, livrar-se de preocupações

O dicionário diz que descansar é repousar de fadigas, livrar-se de preocupações.


O fim da violência contra a mulher é causa de direitos humanos

O dia 25 de novembro marca a data internacional da não-violência contra as mulheres.


A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.