Portal O Debate
Grupo WhatsApp

E se as pedras falassem?

E se as pedras falassem?

09/10/2021 Letícia Sauthier Medeiros

Viver na Terra Santa é tentar diariamente “ouvir” as pedras! Elas “contemplaram” a história e os acontecimentos, são “testemunhas” fiéis, milenares porém silenciosas!

A Terra Santa é um lugar único no mundo! Único na sua arqueologia, geografia, história, cultura, religião e sociedade.

Desde a antiguidade, é uma terra de contrastes e contradições e até os dias de hoje desperta curiosidade, interesse e fascínio, nos eruditos e iletrados, ricos e pobres, crentes e incrédulos.

Uma pequena faixa de terra no globo terrestre, localizada na junção de 3 continentes (Ásia, África e Europa), banhada por 4 mares diferentes (Mar Mediterrâneo, Mar Vermelho, Mar Morto e Mar da Galiléia). Possui uma vida animal e vegetal rica e diversificada.

Em curtas distâncias se vai das montanhas às planícies, das terras férteis aos desertos. Repleta de pedras e plena das mais variadas espécies de flores e frutos (tâmaras, figos, azeitonas, romãs).

Há características climáticas também contrastantes de calor intenso e sol escaldante, bem como chuva e neve. Estiagem e aridez intensa, tempestade de areia e águas torrenciais em tempos de chuva.

O Oriente Médio é cenário das antigas civilizações, de guerras e conquistas, rastros deixados ao longo dos séculos.

Até hoje há descobertas arqueológicas importantíssimas que remontam a um passado bem distante, mas ao mesmo tempo tão próximo. As pedras não falam, mas se pudessem, elas teriam muito a nos dizer.

É importante ressaltar que a Terra Santa tem uma população diversificada, de várias origens étnicas, religiosas, culturais e sociais.

Com raízes muito antigas, aqui convivem diversos povos, entre eles judeus, árabes (cristãos e muçulmanos), drusos, beduínos.

As duas principais línguas são o hebraico e o árabe, mas há quem fale o aramaico, o armeno, o grego, o russo.

Por aqui se ouve praticamente todas as línguas na boca dos milhares de turistas, mas, devido à pandemia, as fronteiras estão fechadas.

A Terra Santa é o berço das três religiões monoteístas: o judaísmo, o islamismo e o cristianimo. Para cá se dirigem peregrinos do mundo todo, procurando ver e experimentar os lugares santos.

Como também moram muitos religiosos e religiosas que dedicam suas vidas a guardar os santuários e a promover a vivência da fé.

Foi exatamente nesse contexto que meu esposo e eu viemos morar na Terra Santa, em 2018. Somos uma família missionária e isso é bem comum por aqui.

Pertencemos à Canção Nova, uma comunidade católica brasileira que, através de uma parceria com os franciscanos, atua no “Christian Media Center”.

Um instrumento de comunicação da Custódia Franciscana, cuja missão é levar a Terra Santa, na sua diversidade, mostrando suas belezas e riquezas através de notícias, festividades e celebrações litúrgicas próprias deste local.

Ultrapassando a desinformação espalhada no mundo, a boa notícia tem sido proclamada aos quatro cantos. 

Aqui Jesus nasceu, aqui Ele viveu, por estas ruas Ele andou e realizou milagres! Porém ainda hoje os cristãos são um pequeno grupo, uma minoria, mantida espiritual e materialmente pela Igreja do mundo todo, uma vez que ainda enfrenta muitas dificuldades.

No entanto, eles não estão no anonimato. Aqui, os cristãos locais são conhecidos como “as pedras vivas da Terra Santa”. 

E, de fato, estas pedras sim, falam, e permanecem oferecendo um eloquente testemunho a ser ouvido: o amor é a linguagem universal capaz de ser compreendida e vivida por todos. Esta terra, tão singular e contrastante, porta em si uma profecia de paz, mas é preciso saber ouvir!

Todos exclamavam: “Bendito o Rei, que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória nas alturas!” Do meio da multidão, alguns dos fariseus interpelaram Jesus: “Mestre, repreende teus discípulos!” Ele, porém, respondeu: “Eu vos digo: se eles se calarem, as pedras falarão” (Lc 19, 38-40).

* Letícia Sauthier Medeiros é missionária da Comunidade Canção Nova e atualmente mora na Frente de Missão na Terra Santa.

Para mais informações sobre Terra Santa clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Assessoria de Imprensa Canção Nova



Nexialista: o profissional plural do futuro ou de hoje?

Que o mercado de trabalho tem se transformado de forma cada vez mais acelerada, e o nível de exigência por profissionais talentosos é crescente dentro das empresas, todo mundo já sabe; não é verdade?


Onde a geração Z investe

O último Anuário de Retorno de Investimentos Globais do Credit Suisse, entre outras coisas, apresenta um raio-x de alternativas de financiamento para a Geração Z, aqueles que nasceram entre 1995 e 2000.


A CPI pariu um rato

Fosse hoje vivo, é o que Horácio, o pensador satírico romano diria sobre a CPI da Covid.


Como identificar um ingresso falso?

Com recorrência vemos reportagens abordando diferentes fraudes e golpes que aparecem no mercado.


A primeira visita de D. Pedro a Vítor Hugo

O livro: "Vitor Hugo chez lui", inclui a curiosa visita, realizada pelo Imperador, a 22 de Maio de 1877, ao célebre poeta.


São Frei Galvão, ‘Homem de paz e caridade’

A Igreja celebra, em 25 de outubro, a Festa de Santo Antônio de Sant’Anna Galvão, que na devoção popular é conhecido como “São Frei Galvão”.


CPI da Covid desviou-se e não sabe como terminar

Chegamos ao cume da montanha de inconveniências que povoam o cenário contemporâneo da política brasileira.


Sentimentos e emoções provocadas pela série “ROUND 6”

Nas últimas semanas estamos vivenciando uma série de críticas, comentários, “spoilers” e reflexões sobre a série sul-coreana de maior sucesso da plataforma Netflix: “Squid Game” ou “Round 6”.


Perdas e ganhos dos médicos “filhos” da pandemia

A maioria das situações com as quais nos deparamos na vida tem dois lados. Ou, até, mais de dois.


Defensoria Pública da União x Conselho Federal de Medicina

A Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou Ação Civil Pública contra o Conselho Federal de Medicina (CFM), objetivando a condenação por danos morais coletivos no importe, pasmem senhores leitores, não inferior a R$ 60.000.000.00 (sessenta milhões de reais).


Diálogo em vez de justiça

Viver felizes para sempre parece ser um privilégio exclusivo dos casais formados nos contos de fadas.


Salvar a dignidade também é salvar a vida

Quando recebemos o diagnóstico de uma doença grave, crônica ou que ameace a vida, muita coisa muda.