Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Mercado imobiliário: muito ainda para crescer

Mercado imobiliário: muito ainda para crescer

30/04/2022 Cláudio Borges

Em muitos países, a participação do mercado imobiliário no Produto Interno Bruto (PIB) está acima de 50%, enquanto no Brasil estamos com algo em torno de 10%.

Ou seja, o potencial de crescimento sustentado do crédito imobiliário é expressivo para os próximos anos. O mercado pode ter seus stops diante de instabilidades da economia, mas, em linhas gerais, nunca para de crescer. Sempre temos lançamentos, novos negócios.

O Brasil tem uma demanda reprimida de imóveis e o consumidor vai sempre buscar o melhor. O brasileiro segue sonhando com a casa própria e o mercado trabalha para realizar esse sonho.

O número de vendas de novos imóveis no Brasil cresceu 12,8% em 2021, em comparação com o ano de 2020.

Os lançamentos registraram aumento de 25,9% e a oferta final fechou o período com 3,8% de crescimento, aponta o estudo Indicadores Imobiliários Nacionais, realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

Olhando especificamente para o segundo semestre, os lançamentos e as vendas foram afetados pela mudança do cenário econômico e principalmente pelos efeitos do aumento de custos dos insumos da construção.

Além disso, houve uma redução efetiva no poder de compra das famílias. Há uma estabilidade diante dos impactos ainda presentes da pandemia, mas o momento é de otimismo e a perspectiva de crescimento.

O mercado imobiliário é competitivo, dinâmico, exige constantemente melhorias, inovações para atender aos clientes, ultrapassa dificuldades e continua sempre forte, sendo parte importante na economia do país.

As empresas precisam estar atentas ao que é melhor para o comprador, ter agilidade nas decisões. Por exemplo, a pandemia consolidou a tendência que era o home office e agora ganham evidência os projetos voltados para esse público que precisa de mais espaço no imóvel residencial.

Também é preciso investir em novas tecnologias nos imóveis e inovar para crescer junto aos parceiros de jornada, oferecendo soluções inteligentes em cada negócio com operações sob medida (taylor made), atendendo o incorporador e o empreendedor, mas também a ponta, o comprador.

As construtechs (startups que trabalham soluções para o mercado de construção civil) e proptechs (focadas nos ativos imobiliários) contribuem nesse sentido, com soluções para as “dores” de construtoras, empreiteiras, indústrias de materiais, imobiliárias, empresas de arquitetura e também dos governos e ainda das pessoas físicas que compram, alugam ou administram imóveis.

E quando fomentamos o mercado da construção civil, movimentamos toda uma cadeia produtiva que gera emprego e renda, aquecendo a economia de todo o país. O otimismo é essencial para manter o ritmo de crescimento.

Cliente é um bem infinito. A questão é que cada player do mercado precisa fazer sua lição da forma correta. Quem souber se reinventar, vai continuar crescendo.

* Cláudio Borges é conselheiro da Osher Realty.

Para mais informações sobre mercado imobiliário clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Primeira Via Comunicação



Trabalhadores de aplicativos: necessidades e vulnerabilidades diferentes

A tecnologia é uma realidade cotidiana irreversível. As plataformas, potencializadas pelos reflexos da pandemia da Covid-19, estão inseridas nas principais atividades da vida humana.

Autor: Ricardo Pereira de Freitas Guimarães


O que é direita? O que é esquerda?

O Brasil sofreu uma enorme polarização política nos últimos anos; mas afinal, o que é esquerda ou direita na política?

Autor: Leonardo de Moraes


Reparação mecânica e as tendências para 2024

No agitado mundo automotivo, as tendências e expectativas para 2024 prometem transformar o mercado de reparação de veículos.

Autor: Paulo Miranda


Política não evoluiu no período pós-redemocratização

O que preocupa é a impressão de que no Brasil não mais existem pessoas dedicadas, honestas e com boas intenções dispostas a entrar na política.

Autor: Luiz Carlos Borges da Silveira


Manifestação da paulista: exemplo de civilidade e democracia

Vivenciamos no último domingo, 25/02/2024, um dos maiores espetáculos da democracia.

Autor: Bady Curi Neto


Rio 459 anos: batalhas deram origem à capital carioca

Diversas lutas e conquistas deram origem à capital carioca. Começo pelo dia em que Estácio de Sá venceu uma grande batalha contra os nativos que viviam no território da atual cidade do Rio de Janeiro.

Autor: Víktor Waewell


Números da economia no governo Lula

Déficit de 231 bilhões de reais: um furo extraordinário.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


Lá vai Maria

Lata d’água na cabeça Lá vai Maria Lá vai Maria

Autor: Osvaldo Luiz Silva


O combate ao etarismo em favor da dignidade da pessoa idosa

É fundamental compreender que o envelhecimento é um processo natural e que todos nós, se tivermos a sorte de viver tempo suficiente, nos tornaremos idosos.

Autor: André Naves


Qual é o futuro do ser humano?

No planeta Terra a vida tem sido, em grande parte, moldada por materialistas que examinam a situação, planejam, estabelecem os objetivos e os põem em execução.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.