Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Quais são nossas apostas para 2024?

Quais são nossas apostas para 2024?

19/01/2024 Adriana Coutinho Viali

A aceleração do desenvolvimento de soluções tecnológicas é tanta que muitas vezes é difícil acompanhar.

Por isso, no início de um novo ciclo, é sempre interessante fazer uma pausa para avaliar quais são os rumos do mercado de tecnologia. Um fato é que as empresas continuarão investindo em inovação e digitalização.

Segundo o Gartner, os gastos globais com Tecnologia da Informação (TI) devem representar um aumento de 8% em 2024, chegando a US$ 5,1 trilhões.

Grande parte desse valor vai para a Inteligência Artificial e a automação, que continuam dominando a narrativa em 2024. 

Entre as várias tendências de TI apontadas para 2024, gostaria de destacar quatro que devem merecer a atenção dos CIOs: 

Aplicativos para IA: em 2023, todo mundo foi em maior ou menor grau impactado pela revolução da Inteligência Artificial Generativa (GenAI, sigla em inglês).

Com ela, foi possível automatizar tarefas e melhorar a produtividade, criando novos produtos e serviços. A previsão do Gartner é que, até 2026, cerca de 80% das empresas estejam usando APIs e modelos de GenAI e/ou implementando aplicativos habilitados em ambientes de produção. No início de 2023 eram menos de 5%.

Esse é um nicho crescente e importante de mercado, que deve ganhar cada vez mais players. A IA generativa está passando por um processo de democratização com os modelos massivamente pré-treinados, computação em nuvem e código aberto.

O aumento da acessibilidade desta tecnologia é possível pelo avanço no poder de processamento de uma quantidade imensa de dados que estão sendo coletados e armazenados continuamente.

Isso permite que os modelos apresentem saídas mais realistas e precisas. Ferramentas e bibliotecas de código aberto também tornam mais fácil para os desenvolvedores criar e usar modelos de IA generativa.

Em resumo, a combinação de recursos acessíveis, comunidades de apoio, aplicações diversificadas e uma crescente conscientização pública está impulsionando a tendência da IA generativa democratizada. 

Regulamentação do setor de IA: 2024 provavelmente verá o avanço de uma regulamentação mais rigorosa da IA.

A gestão de confiança, risco e segurança é essencial para o uso adequado da ferramenta, que pode levar à violação de privacidade, à discriminação e à manipulação de informação, entre outros problemas.

A União Europeia já externou a sua preocupação e propôs uma legislação para estabelecer limites para o seu uso. O Reino Unido criou um centro de ética e inovação de IA. Estados Unidos e China são outros exemplos de países que também já começaram a regulamentar o tema.

A principal questão é como estabelecer uma cooperação entre os diferentes atores envolvidos na IA, como governos, empresas, academia, sociedade civil e organizações internacionais, para definir padrões globais e mecanismos de governança para a tecnologia. 

Gerenciamento contínuo de exposição a ameaças: cibersegurança foi um dos grandes temas de 2023 e não deve sair dos holofotes em 2024.

O conceito de Gerenciamento Contínuo de Exposição e Ameaças (Ctem, na sigla em inglês) é um tópico que deve ganhar cada vez mais relevância, já que as organizações passaram a entender que os recursos de cibersegurança não devem ser apenas paliativos e o tema merece uma atenção dedicada e sistemática para conferir agilidade de atuação na identificação e mitigação de ameaças.

Com o Ctem, os sistemas expostos são continuamente testados abrangentemente. Os dados de ameaças e impacto nos negócios são comunicados com frequência, permitindo que as equipes tomem decisões informadas e ajam prontamente. Mas vale lembrar que, para ter sucesso, o Ctem envolve a coordenação de pessoas, processos e tecnologia.

Plataformas industriais em nuvem: a possibilidade de realizar o uso de dados de tempo real permitirá que empresas tenham insights atualizados e possam agir mais rapidamente, pois as soluções fundamentadas na nuvem já estão disponíveis para implementação no ambiente fabril e também na automação.

Assim, seus empregos são inúmeros: gestão de qualidade, manutenção preventiva, análise de produção, gestão da planta de qualquer lugar e gestão de IOTs, além de poder utilizá-las para análises com Big Data e IA.

Com isso, o ciclo da inovação pode ser acelerado, fazendo com que produtos e serviços possam ser lançados mais rapidamente no mercado.

Importante dizer que as plataformas industriais em nuvem também eliminam a necessidade de um investimento direto em arquitetura e infraestrutura de rede.

* Adriana Coutinho Viali é CEO na NAVA Technology for Business.

Para mais informações sobre inteligência artificial clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: RPMA Comunicação



Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.


O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra