Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Smart Money? Primeiro smart, depois money

Smart Money? Primeiro smart, depois money

12/12/2022 Denis Ferrari

O cenário de startups e inovação está cada vez mais promissor no país.

De acordo com a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), existem mais de 14 mil startups cadastradas em sua base de dados, mas diferentemente do que muitos pensam, abrir seu próprio negócio não é uma tarefa fácil.

Isso porque todo o processo de empreender requer muito conhecimento, resiliência, determinação, estudo e disposição, por isso é tão importante contar com mentores e atores para serem parceiros nessa jornada.

Diante deste cenário, tem surgido um novo conceito de investimento chamado de Smart Money (dinheiro inteligente), que visa ajudar na escalabilidade e crescimento da startup.

Por meio deste modelo, os investidores têm um papel ainda mais importante dentro da companhia. Além de injetar aportes financeiros em suas operações, o profissional exercerá a função de mentor para dúvidas específicas e evitar que o empreendedor cometa erros comuns e repetidamente.

Dessa forma, ele precisa, obrigatoriamente, ter conhecimento sobre o mercado de atuação que vai investir para ter expertise o suficiente para auxiliar esses empreendedores em diferentes etapas do seu negócio.

Além disso, ele necessita de muita experiência de mercado, oferecer valor agregado à empresa, mentorias individuais e personalizadas e ter networking vasto com contatos assertivos.

Para que essa prática seja efetiva e traga resultados significativos para as companhias, essa relação precisa ser de mão dupla e todos os envolvidos devem se ajudar.

Nesse caso, os investidores têm que estar dispostos a, de fato, reservar horas da sua agenda para esta atividade e os empreendedores dispostos a assimilar todo o conhecimento adquirido e aplicá-lo da melhor maneira possível.

Por isso, que é tão importante criar planos reais, para que realmente nesse processo, o “Smart” se destaque muito mais do que o “Money”.

Outro ponto de atenção é que os founders devem levar em consideração é que nesse processo o que vai agregar valor de fato para o negócio é o conhecimento e todo ensinamento que ele receberá com o apoio desses investidores e que o dinheiro aportado será consequência.

Eles vão desenvolver projetos mais estruturados para o mercado, resolver e antecipar problemas que não conseguiriam sozinhos e criar produtos e serviços inovadores.

Concluo que diante da importância que eles possuem nos negócios, os CEO´s devem buscar pessoas que estejam imersas em seus mercados de atuação e que tenham conhecimentos aprofundados sobre os assuntos que envolvem a sua área.

Portanto eles também precisam estar com a mente aberta para escutar e aprender tudo o que eles têm a oferecer. Caso contrário, todo o trabalho será em vão.

* Denis Ferrari é CEO da Azys, primeira aceleradora de inovação independente do Brasil.

Para mais informações sobre Smart Money clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Piar Comunicação



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa