Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Tributação sobre a folha de pagamentos

Tributação sobre a folha de pagamentos

28/12/2020 Alexandre Freire

O Brasil é o único país no mundo que paga impostos sobre a folha de pagamento, ou seja, as empresas têm que contribuir com o governo para poder gerar emprego.

Não é novidade para ninguém o abuso de impostos federais, estaduais e municipais que são cobrados das pessoas físicas ou jurídicas.

Para se ter uma ideia, a contribuição paga ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que já é bem alta, não é revertida integralmente para o bolso do trabalhador.

Como se não bastasse essa inconsequência, o presidente da República, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF), na Ação Direta de Inconstitucionalidade 6.632, com pedido de liminar, onde a Advocacia-Geral da União (AGU) questiona a validade do artigo 33 da Lei 14.020/2020, que adiou por um ano a desoneração, que se encerraria no final do ano, solicitando que suspenda a prorrogação da desoneração da folha de pagamento de dezessete setores da economia.

A prorrogação da desoneração da folha de pagamento, por intermédio do Congresso vai acalentar diversos setores do mercado como por exemplo: transporte coletivo urbano rodoviário e metroviário, construção civil, empresa de comunicação, setor têxtil, call center, dentre outros.

Segundo especialistas, a suspensão do veto vai ajudar a manter mais de 6 milhões de postos de trabalho e ainda possibilitar a criação de novos empregos por conta do desconto de contratação.

Fazendo uma retrospectiva, a desoneração em folha criada em 2012, no governo Dilma Rousseff, foi para incentivar a competição entre empresas e aumentar o índice de emprego, justamente quando um dólar estava cotado a R$ 1,56, prejudicando o poder de exportação por parte das indústrias. Essa ação do governo chegou a beneficiar, na época, 56 setores.

Vale ressaltar que a desoneração da folha de pagamento, é uma forma importante para manter e apoiar o incentivo fiscal ao empresário, que é responsável pela geração de milhares de empregos.

O desenvolvimento da economia sem a produção de empregos é temporário e ainda desorganiza toda a estrutura da empresa.

De acordo com a pesquisa de dezembro do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o desemprego no país aumentou 27,6% em quatro meses de pandemia.

No início da Pnad Covid, criada pelo IBGE para apurar as consequências da pandemia no mercado de trabalho, há quatro meses, a população desempregada era de 10,1 milhões.

O governo Federal constantemente vai aumentar a receita por meio de leis, decretos e medidas e a consequência dessa atitude insana é que o trabalhador não recebe, e alguém sempre paga a conta.

Fato é que, em plena derrubada da economia global por conta da pandemia do novo coronavírus, o governo deseja acabar com a desoneração sob o argumento de déficit nos cofres públicos, o que nos parece haver outros meios mais razoáveis e pujantes.

* Alexandre Freire é advogado e sócio do escritório Bastos Freire Advocacia.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



A primeira romaria do ano em Portugal

A 10 de Janeiro – ou domingo mais próximo dessa data, dia do falecimento de S. Gonçalo, realiza-se festa rija em Vila Nova de Gaia.


Medicina Preventiva x Medicina Curativa

A medicina curativa domina o setor de saúde e farmacêutico. Mas existe outro tipo de cuidado em crescimento, chamado de Medicina Personalizada.


A importância da inovação em programas de treinamento e desenvolvimento

O desenvolvimento de pessoas em um ambiente corporativo é um grande desafio para gestores de recursos humanos, principalmente para os que buscam o melhor aproveitamento das habilidades de um time através do autoconhecimento.


Por que o 13º salário gera “confiança” nos brasileiros?

O fim do ano está chegando, mas antes de pensar no Natal as pessoas já estão de olho no 13º salário.


O gênero “neutro” ou a “neutralização” de gênero

Tenho visto algumas matérias sobre a “neutralização” do gênero na língua portuguesa, no Brasil, algumas contra e algumas a favor. Digo no Brasil, porque em Portugal não vejo isto.


O poder da gentileza

O mês de novembro traz uma comemoração muito especial e essencial para estes tempos pandêmicos e de tanta polarização política: o Dia da Gentileza.


Branco no preto

As pessoas pretas no Brasil vivem pior do que as pessoas brancas, independentemente de qualquer situação.


Politicamente Correto, Liberdade de Expressão e Dignidade Humana

Estamos vivenciando, há tempos, a dicotomia de opiniões, a divisão clássica na qual a forma de expressar, de pensar, contém apenas lados antagônicos, separados que não podem convergir ou, ao menos, serem respeitados.


Prévia tucana, um tiro no escuro

Diferente das eleições primárias norte-americanas, onde os partidos Democrata e Republicano escolhem seus candidatos e definem a plataforma eleitoral, a prévia que o PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) realizará neste domingo (21/11) está cercada de interrogações.


A imagem do Senhor Jesus de Santa Marinha de Vila Nova de Gaia

Nesta época pandémica, que parece não deixar de nos dizimar – dizem: por causa de novas variantes e à facilidade de movimentação, – é oportuno recordar como o povo de Deus se libertou de funestas calamidades, recorrendo à oração e à penitência.


Algoritmos e automação: a combinação certa para potencializar a vida na era digital

Há quinze anos, quem poderia imaginar que seria possível trabalhar, fazer compras, ter planos personalizados para treinos da academia e conseguir organizar investimentos em bolsas globais sem sair de casa?


Transformação digital: os desafios de um novo modelo

Com a chegada da Quarta Revolução Industrial, organizações dos mais diferentes portes e setores estão encarando obstáculos de toda ordem para lidar com as novas demandas do consumidor.