Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Amor e negócios, esses dois se misturam?

Amor e negócios, esses dois se misturam?

08/06/2019 Rosangela Matos

Casais que escolhem embarcar juntos no empreendedorismo são cada vez mais frequentes. Mas será que existe um jeito de fazer a sociedade dar certo sem prejudicar a relação?

Amor e negócios, esses dois se misturam?

Pesquisas recentes mostram que é possível ter duas vezes mais felicidade e satisfação trabalhando com o marido na mesma empresa do que se comparado a casais que não convivem no mesmo ambiente profissional, segundo a Universidade do Estado de Utah, nos Estados Unidos. Já os dados da pesquisa feita no Brasil pela International Stress Management Association ISMA-BR), mostram que trabalhar junto com o parceiro pode gerar menos conflitos e cobranças na relação, menor exaustão profissional e melhores recursos para lidar com o estresse. Incrível né?

Se você e o seu parceiro tem esse sonho, mas você ainda está com receio de dar esse passo, quero te apresentar os 7 mandamentos para que o amor e os negócios andem de mãos dadas.

1- Tenha maturidade para não levar para o lado pessoal

Sempre que uma discussão mais intensa acontecer no trabalho, procure não levar para o lado pessoal, e tenha maturidade para resolver a situação sem competir para ver quem está certo ou errado.

2- Roupa suja se lava no tanque

Não é fácil simplesmente “virar a chave” depois de uma briga horrível em casa e ir trabalhar pela manhã, mas levar o assunto para o trabalho vai gerar um caos desnecessário. Façam reuniões na empresa para assuntos referentes ao trabalho e discutam a relação depois do expediente. Outra coisa, não deixe de ir trabalhar por estar chateada(o), leve o seu negócio a sério.

3- Nada de sujeira embaixo do tapete

Toda vez que um problema não é resolvido ele aumenta de tamanho, e assim como um casamento acaba por pequenos motivos que vão se somando, uma sociedade entra em crise pela mesma razão, sejam parceiros de jornada e jamais evitem assuntos difíceis.

4- Respeite seu marido e sócio (a)

Informações pessoais não devem ser usadas para magoar ou manipular, lembre-se que o respeito é um pilar fundamental em qualquer relação.

5- Negócio é negócio, casamento a parte

É importante que cada um saiba as suas funções na empresa. Como sócios avaliem sempre juntos decisões importantes, mantenham a contabilidade em dia, combinem o valor de pró labore de cada um e separem contas pessoais e da empresa.

6- Elogie mais e critique menos

A falta de reconhecimento é um dos maiores desmotivadores que existem, assim como é importante fazer um elogio por dia ao seu marido em casa, faça um elogio por dia ao seu sócio, isso vai influenciá-lo a fazer a mesma coisa.

7- Tenha um tempo na sua semana para fazer algo por você longe do sócio e marido e deixe que ele faça o mesmo

Ter uma vida interessante fora do trabalho e longe do seu amor e sócio, é um ingrediente para viver uma relação mais feliz e uma sociedade duradoura.

Amor e negócios é uma mistura que pode ser um sucesso se ambos estiverem dispostos a fazer dar certo, pois  não é o amor que vai ajudar o casal a se relacionar melhor quando trabalham juntos, é a forma de se relacionar no trabalho que vai aumentar o amor do casal.

* Rosangela Matos - Terapeuta de Relacionamento  - Analista comportamental formada pelo Instituto Brasileiro de Coaching, analista 360 pelo  Instituto Brasileiro de Coaching, neurocoach formada pela ONT People & Performance, Practitioner em PNL e Terapeuta EFT pelo Brasil PNL, Formada em Liderança, Comunicação Eficaz e Inteligência Interpessoal pela Escola de Executivos e Negócios MasterMind Brasil e Palestrante.

Instagram: https://www.instagram.com/rosangelamatos_dr

Fonte: Comunicame



Minas registra mais de 1 milhão de Microempreendedores Individuais

Após 10 anos, desde a implementação da Lei Complementar 128, MEI já são a maioria dos pequenos negócios formalizados no estado.

Minas registra mais de 1 milhão de Microempreendedores Individuais

Cresce abate de bovinos, suínos e frangos, diz IBGE

Foram abatidas 8,08 milhões de cabeças de bovinos no segundo trimestre de 2019.

Cresce abate de bovinos, suínos e frangos, diz IBGE

Cresce a confiança dos consumidores de BH na economia

Indicador voltou a subir no segundo trimestre de 2019. Homens e jovens são os mais confiantes.

Cresce a confiança dos consumidores de BH na economia

Empresários da construção estão mais confiantes

O Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais – ICEICON MG – atingiu 53,8 pontos em julho, crescimento de 3,0 pontos em relação a junho (50,8 pontos).


Empresas e paternidade: uma mudança a ser nutrida

Daqui a cinco ou dez anos, nem você nem ninguém se lembrará com precisão da tarefa que está fazendo no trabalho neste minuto.


Cereais, leguminosas e oleaginosas podem ter safra recorde

Arroz, milho e soja representam 92,7% da produção estimada no ano.

Cereais, leguminosas e oleaginosas podem ter safra recorde

Queda da Taxa Selic e a economia brasileira

Após o mais longo período em que a Taxa Selic permaneceu em um mesmo patamar, o Banco Central cortou a taxa básica da economia em 0,50%.


Dia dos Pais deve gerar R$ 5,6 bilhões de faturamento em 2019

CNC projeta alta de 2,1% nas vendas para a quarta data comemorativa mais importante do varejo.

Dia dos Pais deve gerar R$ 5,6 bilhões de faturamento em 2019

Novas regras de gestão de dados e o impacto para as empresas

As novas regras relacionadas à gestão de dados passarão a valer no ano que vem.


Pequenos negócios são responsáveis por 79% do saldo de empregos em Minas

Micro e Pequenas Empresas mineiras registraram saldo de 67 mil postos de trabalho nos primeiros seis meses do ano.

Pequenos negócios são responsáveis por 79% do saldo de empregos em Minas

Percentual de famílias com dívidas aumentou pelo 7º mês consecutivo

Principais inadimplências das famílias brasileiras são o financiamento de carro e o de casa.

Percentual de famílias com dívidas aumentou pelo 7º mês consecutivo

Sete em cada dez brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento

Pesquisa indica que desempenho da economia no primeiro semestre foi pior do que o esperado.

Sete em cada dez brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento