Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como construir equipes inovadoras

Como construir equipes inovadoras

19/08/2023 João Roncati

4 formas comprovadas no mercado.

Como construir equipes inovadoras

A inovação desempenha um papel fundamental em uma organização competitiva em todos os setores. Infelizmente, algumas gigantes do mercado não conseguiram acompanhar esse movimento e acabaram ficando para trás.

Antes de tudo, é importante compreender que tecnologia e inovação são termos presentes no nosso dia a dia. Aquelas empresas que negligenciaram ou negligenciam o avanço acabam ficando obsoletas e podem até mesmo enfrentar o encerramento das suas operações.

Quem viveu nos anos 90, com certeza se lembra de ir até a BlockBuster para alugar filmes às sextas-feiras. A empresa era uma gigante no ramo de aluguel de filmes e videogames, mas acabou falindo. 

Com o advento das plataformas de streaming online, as pessoas deixaram de alugar filmes e passaram a assistir sob demanda. Além disso, a BlockBuster teve a chance de adquirir a Netflix em 2000, mas optou por não fazê-lo, acreditando que poderia ser a principal varejista. Essa escolha se mostrou equivocada. Em 2010, a companhia entrou em insolvência e, em 2013, acabou fechando as portas também.

Mas, afinal, como montar um time inovador?

Dentre as perguntas mais comuns que os gerentes me fazem é: "Como podemos encontrar pessoas mais inovadoras?" Eu sei o tipo de pessoa que eles têm em mente quando perguntam isso: alguém enérgico e dinâmico, cheio de ideias e capaz de apresentá-las com propriedade. 

No entanto, descobri que a maioria dos grandes inovadores era completamente diferente desse estereótipo. Na verdade, quase todos eles eram gentis, generosos e interessados no que estavam fazendo.

Então, a resposta mais simples é que você precisa começar capacitando as pessoas que já estão na sua organização. Mas para fazer isso, você precisa assumir a responsabilidade por criar um ambiente no qual suas pessoas possam prosperar. Isso não é uma tarefa simples, mas complexa. No entanto, seguindo alguns princípios, você pode fazer uma grande diferença.

O primeiro princípio é: contrate com foco na missão. O maior equívoco sobre inovação é dizer que se relaciona a ideias. Não é. Trata-se de resolver problemas. Portanto, o primeiro passo para construir uma equipe inovadora é contratar pessoas interessadas nos problemas que você precisa resolver. Se houver um compromisso real com uma missão compartilhada, as ideias surgirão.

O segundo é: promova a segurança psicológica. Segundo a professora de Harvard, Amy Edmondson, que documentou a importância da segurança psicológica em uma ampla variedade de contextos, desde equipes de hospital até fabricantes de móveis de escritório. Ela descobriu que isso não apenas promove um melhor ambiente, mas também aumenta a capacidade de aprendizado e reduz a tendência a seguir caminhos sem saída.

Outro estudo realizado por pesquisadores do MIT e da Carnegie Mellon constatou que equipes em que as pessoas falam em quantidades aproximadamente iguais têm um desempenho muito melhor do que aquelas em que uma ou duas pessoas dominam a conversa. Portanto, aqueles tipos de Steve Jobs voláteis que estão constantemente emitindo idéias, impedindo que ninguém mais consiga falar, podem, na verdade, estar inibindo a inovação dos demais

Crie diversidade: muitos gerentes contratam com um "tipo" específico em mente, geralmente pessoas que se parecem mais com eles mesmos. Isso pode ser ótimo para criar camaradagem e conforto, mas não é o melhor ambiente para resolver problemas. Na verdade, diversos estudos mostraram que equipes diversas são mais inteligentes, mais criativas e examinam os fatos de forma mais minuciosa.

O problema é que, quando você limita os antecedentes, experiências e perspectivas das pessoas em sua equipe, você está limitando o número de espaços de solução que podem ser explorados. Na melhor das hipóteses, você terá menos ideias, e na pior das hipóteses, corre o risco de criar uma câmara de eco onde preconceitos inerentes são normalizados e reforçados.

Por último, valorize o trabalho em equipe.  A verdade é que você não precisa das melhores pessoas - você precisa das melhores equipes. Os problemas que enfrentamos hoje são muito complexos para serem resolvidos por um gênio solitário trabalhando isoladamente. É por isso que os melhores inovadores tendem a ser intermediários do conhecimento, que se inserem em redes para acessar aquela peça esquiva de perspicácia que pode resolver um problema difícil.

Portanto, a última coisa que você deseja é a típica personalidade "inovadora" que despeja um milhão de ideias e quebra tudo ao redor. O que você realmente quer são pessoas que possam colaborar, ouvir e construir redes sólidas. O lado bom é que você já tem essas pessoas na sua empresa. Não permita que elas sejam abafadas.

* João Roncati, CEO da People+Strategy, consultoria especializada em Estratégia, Planejamento e Recursos Humanos. 

Para mais informações sobre inovação clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Conecte Comunicação



Desafios empresariais

Empreender envolve correr riscos e encontrar soluções para os problemas das pessoas.

Autor: Leonardo Chucrute

Desafios empresariais

Um líder de verdade ensina o que sabe

Não são incomuns as histórias de profissionais que, voluntariamente, trocam de emprego para ganhar menos do que em suas posições anteriores.

Autor: Yuri Trafane

Um líder de verdade ensina o que sabe

Luciano Hang apoia manifesto isenção de impostos nas compras até US$50

Na noite de sexta-feira, 17, o dono da Havan, Luciano Hang, participou do jantar de encerramento do 39º Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais (CNSE), em Balneário Camboriú (SC).

Autor: Divulgação


Como usar a inteligência emocional para lidar com os negócios?

Ser um empreendedor em um negócio altamente estressante é como estar em uma montanha-russa emocional.

Autor: João Roncati

Como usar a inteligência emocional para lidar com os negócios?

Azul cria fundo social para captação de recursos para desastres nacionais

Itaú Unibanco se torna o primeiro apoiador após doação de R$ 5 milhões.

Autor: Divulgação


Ultrapassei o limite do MEI e agora?

Entenda como funciona a transição para Microempresa.

Autor: Divulgação

Ultrapassei o limite do MEI e agora?

Por que tantas recuperações judiciais?

Nas últimas semanas, a imprensa reproduziu amplamente o indicador de recuperações judiciais produzido e monitorado pela Serasa Experian, a concorrente britânica do histórico SPC, este desenvolvido pela Câmara dos Dirigentes Logistas, que oferece serviços de proteção ao crédito.

Autor: Carlos Gomes


Empreendedorismo com propósito

Nasci em Nova Iguaçu, cidade do estado do Rio de Janeiro, e comecei a empreender desde muito cedo.

Autor: Leonardo Chucrute

Empreendedorismo com propósito

Reforma tributária: os desafios para impulsionar o crescimento econômico

“A simplificação do sistema tributário pode resultar em um catalisador para a criação de empregos, impulsionando a economia do país”, diz especialista.

Autor: Divulgação

Reforma tributária: os desafios para impulsionar o crescimento econômico

Empresário, você precisa sair do operacional

As estatísticas não são animadoras.

Autor: Paulo de Vilhena

Empresário, você precisa sair do operacional

Por que as PMEs são as mais vulneráveis à cibersegurança?

Embora elas possam enfrentar restrições orçamentárias, estão disponíveis soluções tecnológicas acessíveis e eficazes.

Autor: Denis Furtado

Por que as PMEs são as mais vulneráveis à cibersegurança?

A união entre marketing digital e comercial para o sucesso dos negócios

Até parece mentira, mas, nos tempos atuais, há quem ainda acredite que seu lugar não seja nas redes sociais.

Autor: Gustavo Alonge

A união entre marketing digital e comercial para o sucesso dos negócios