Portal O Debate
Grupo WhatsApp

IA: executivos serão substituídos por robôs?

IA: executivos serão substituídos por robôs?

24/10/2023 Jordano Rischter 

Preocupações referentes à possibilidade da inteligência artificial (IA) roubar nossos empregos não são novidade.

IA: executivos serão substituídos por robôs?

Afinal, com o avanço da digitalização e o surgimento de ferramentas disruptivas como o ChatGPT, desenvolvida pela Open AI, e o Bard, pelo Google, muitas atividades puderam ser otimizadas e automatizadas, dispensando esforços excessivos dos profissionais em diversas tarefas, inclusive, em maiores cargos como os executivos. É fato que esta tecnologia trouxe uma maior eficiência nos processos internos – mas, será que há, de fato, risco de que, em algum momento, a presença destes profissionais não seja mais necessária?

Segundo uma pesquisa feita pela Bain & Company, a adoção da IA é uma das maiores prioridades de investimento de 85% das empresas. Quando questionadas os motivos desta estratégia, grande parte dos executivos concordam que esse recurso é fundamental para assegurar a vantagem competitiva do negócio, uma vez que viabiliza uma ampla possibilidade de adesão nas operações corporativas.

Fora seu uso massivo no departamento de tecnologia da informação, muito vem sendo explorado da IA, especialmente neste ano, em outros departamentos estratégicos como o próprio marketing – através de funcionalidades podem ajudar na geração de material criativo para redes sociais ou para o próprio site institucional. Como prova disso, cerca de 80% dos chief marketing officers (CMOs) planejam aumentar os investimentos em IA e dados em 2024, segundo dados da Accenture.

Quando devidamente incorporada, esta tecnologia trará benefícios muito maiores do que a automação dos processos. Com ela, os executivos terão uma ferramenta robusta a favor da análise de dados mais segura, obtendo informações valiosas referentes ao seu segmento, público-alvo e tendências para que, com isso, consigam ter uma visão mais clara e análise preditiva referente em prol de uma tomada de decisões mais assertiva.

Obter essas informações em tempo real e saber como transformá-las em planos estratégicos para o crescimento da empresa é a ferramenta mais poderosa que um C-level pode adquirir, tornando-a parte inseparável de sua gestão corporativa para que tenha uma visão nítida referente ao seu presente e, com isso, obter ganhos significativos frente às metas desejadas.

Nada será mais forte do que um executivo orientado a dados e que saiba utilizar esse recurso com perspicácia em sua rotina, mas, isso não significa que a IA irá substituir, por completo, suas funções ao ponto de que sua presença já não seja mais necessária. Até porque, muitas dessas tecnologias inteligentes ainda são incipientes e precisam ser melhor calibradas até que passem uma maior segurança ao serem adotadas nos processos internos.

Não há como negarmos o potencial transformador da IA no mercado. Contudo, ela ainda se mostra mais como uma ferramenta de apoio do que um completo substituto dos profissionais, principalmente dos executivos. Afinal, sua função nas empresas permeia por sua capacidade de empatia, conexão com os liderados e fortificação de uma cultura, a qual se constrói, se transforma e evolui através de pessoas.

É preciso muito cuidado ao estabelecer até onde essa tecnologia será adotada nos processos corporativos, partindo de um entendimento profundo dos gaps internos e mapeando oportunidades de melhorias através da IA. Não há uma única regra ou caminho a ser seguido, uma vez que essa é uma escolha completamente individual à marca com base em suas necessidades e demandas.

Diante de tantos avanços sentidos nos últimos anos, certamente, tenderemos a presenciar novidades cada vez maiores daqui para frente e, quem não se atentar e acompanhar essa demanda, definitivamente ficará para trás. Esse é um recurso que pode trazer ganhos enormes para os executivos em termos de análise de dados volumosos em tempo real sobre o negócio, seu segmento e clientes, ajudando os C-Levels a tomarem decisões mais informadas.

Com a IA, as empresas podem elevar sua produtividade, com menos recursos e esforços. Mas, até hoje, a humanização ainda é uma característica muito prezada pelo mercado, principalmente em funções estratégicas que envolvem a gestão de pessoas. Portanto, ao invés de excluir executivos em prol desta ferramenta, é preciso saber como administrá-la de forma equilibrada, para que todos os envolvidos se beneficiem das facilidades propostas por essa tecnologia.

* Jordano Rischter é sócio da Wide, consultoria boutique de recrutamento e seleção.

Para mais informações sobre digitalização clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Informa Mídia



Oportunidade única

Imóveis em áreas nobres da capital de Minas com instalações voltadas para a área médica.

Autor: Divulgação

Oportunidade única

Gerenciamento de prazos

Para que uma empresa tenha sucesso e consiga assumir seus compromissos, é fundamental dar importância ao gerenciamento de prazos.

Autor: Leonardo Chucrute

Gerenciamento de prazos

IA para empreendedores: impulsione negócios com ChatGPT e Gemini

Lançamento da DVS Editora oferece guia prático para empresários que desejam aprimorar suas potencialidades a partir dos benefícios da Inteligência Artificial.

Autor: Divulgação

IA para empreendedores: impulsione negócios com ChatGPT e Gemini

Minas Gerais já abriu quase 40 mil novas empresas este ano

Relatório da Jucemg aponta alta de 12,51% em relação aos cinco primeiros meses do ano anterior.

Autor: Divulgação


Multas e sanções administrativas podem ‘matar’ uma PME

Como evitá-las adequando-se à LGPD?

Autor: Ricardo Maravalhas

Multas e sanções administrativas podem ‘matar’ uma PME

Minas atrai investimento que vai gerar 300 vagas para engenheiros na Grande BH

Empresa Wabtec anuncia construção de novo centro de engenharia em Contagem após Minas vencer concorrência com estados de dez países.

Autor: Divulgação


Como empresas e empresários devem agir para sobreviver às intempéries

Intempérie. No dicionário, a definição para esse substantivo feminino traz como significado: mau tempo ou tempestade.

Autor: Haroldo Matsumoto

Como empresas e empresários devem agir para sobreviver às intempéries

Desafios empresariais

Empreender envolve correr riscos e encontrar soluções para os problemas das pessoas.

Autor: Leonardo Chucrute

Desafios empresariais

Um líder de verdade ensina o que sabe

Não são incomuns as histórias de profissionais que, voluntariamente, trocam de emprego para ganhar menos do que em suas posições anteriores.

Autor: Yuri Trafane

Um líder de verdade ensina o que sabe

Luciano Hang apoia manifesto isenção de impostos nas compras até US$50

Na noite de sexta-feira, 17, o dono da Havan, Luciano Hang, participou do jantar de encerramento do 39º Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais (CNSE), em Balneário Camboriú (SC).

Autor: Divulgação


Como usar a inteligência emocional para lidar com os negócios?

Ser um empreendedor em um negócio altamente estressante é como estar em uma montanha-russa emocional.

Autor: João Roncati

Como usar a inteligência emocional para lidar com os negócios?

Azul cria fundo social para captação de recursos para desastres nacionais

Itaú Unibanco se torna o primeiro apoiador após doação de R$ 5 milhões.

Autor: Divulgação