Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Belo Horizonte se destaca como polo de startups no país

Belo Horizonte se destaca como polo de startups no país

18/12/2021 Vinícius Laureano

Em nível nacional, ‘’hoje ficamos atrás apenas de China e Estados Unidos em número de unicórnios.

Belo Horizonte se destaca como polo de startups no país

A evolução do setor de startups no Brasil foi demonstrada em recente relatório do Google, preparado em parceria com a empresa especializada em pesquisas Kantar, chamado Google for Startups. Fica evidenciada a evolução do segmento nos últimos 5 anos, apontando os avanços alcançados e os desafios para os próximos períodos.

De 2016 para cá, passamos de 5 mil para 13 mil startups espalhadas por 692 cidades. Além disso, fomos de zero unicórnio (startup avaliada em, pelo menos, US$ 1 bilhão) para 15.

Em nível nacional, ‘’hoje ficamos atrás apenas de China e Estados Unidos em número de unicórnios. Ultrapassamos ecossistemas maduros, como Alemanha e Israel”, disse Fábio Coelho, presidente do Google Brasil, em coletiva de imprensa realizada para apresentar o relatório.

A pandemia tem contribuído para esse cenário de abertura de novos negócios digitais. Em 2020, foram abertas 35.423 empresas de tecnologia, uma alta de 210% em relação a 2011, revela estudo da DataHub, plataforma de inteligência de dados.

De acordo com o levantamento, 176.482 novos negócios foram abertos na área na última década, sendo que a região Sudeste concentra essas novas empresas, com 107.499 empreendimentos. Em seguida, figuram Sul (29.582), Nordeste (19.626), Centro-Oeste (13.152) e Norte (5.856).

Segundo pesquisa da StartupBase sobre as startups atualmente em operação, a cidade do Rio de Janeiro (8.783) se destaca como uma das principais cidades no Sudeste, ocupando a 2ª posição, logo atrás de São Paulo (44.326).

A respeito do ecossistema nacional, houve significativos avanços legislativos recentemente. Enquanto a aprovação do Marco Legal das Startups trouxe maior segurança jurídica ao setor, a Lei Geral de Proteção de Dados possibilitou que as portas ao mercado europeu permanecessem abertas às empresas nacionais. Essa mudança se deve a existência de legislação nacional e sua observância se tornou um novo requisito (e desafio) para fazer negócios com empresas europeias.

Por outro lado, a complexidade da legislação brasileira continua sendo desafiadora. “Se o governo troca alguma coisa, temos que fazer um ajuste na engenharia, na raiz do nosso produto”, escreveu Vítor Torres, da Contabilizei, sobre o documento da empresa de mecanismo de buscas. “Estar sempre atualizado é o desafio da indústria, porque, se não estivermos por dentro de tudo, vamos errar para muito.”

“Nos próximos anos, serão necessários avanços regulatórios, novas legislações e políticas públicas que realmente coloquem os empreendedores e startups brasileiras nos mesmos níveis e patamares de competição com os principais mercados e ecossistemas globais”, de acordo com a pesquisa do Google.

Dessa forma, é importante estar atento aos avanços e aos desafios decorrentes da legislação brasileira para aproveitar da melhor forma esse cenário de crescimento, ainda mais diante da crise econômica imposta às demais empresas do país.

* Vinícius Laureano é advogado pós-graduado em Direito Societário pela FGV/SP, com extensão em Planejamento Tributário e em Direito Imobiliário pela com mais de 15 anos de atuação em Direito Empresarial.

Para mais informações sobre Startups clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!



Qual o papel dos investidores na hora de avançar o negócio para outro país?

Discussões sobre a importância de internacionalizar startups têm se tornado assunto frequente nos últimos anos.

Qual o papel dos investidores na hora de avançar o negócio para outro país?

Dez startups mineiras seguem para a etapa de mentorias do Capital Empreendedor

Empresas vão receber orientações personalizadas para melhorias e adequações no modelo de negócios e outros processos.


15 startups japonesas buscam oportunidades para emplacar negócios e parceiros no Brasil

Selecionadas pelo ScaleUp in Brazil, startups são das áreas de energia, tecnologia limpa, agritech, fintech, healtech.

15 startups japonesas buscam oportunidades para emplacar negócios e parceiros no Brasil

Startups trazem inovação e transformam o setor automotivo

De acordo com o Google, mais de 90% das pessoas iniciam a sua busca pelo seu novo automóvel a partir de pesquisas na internet.

Startups trazem inovação e transformam o setor automotivo

Como a chegada do 5G deve impactar startups no Brasil

A expectativa é que a tecnologia ofereça velocidade de conexão até 10 vezes mais rápida que a 4G.

Como a chegada do 5G deve impactar startups no Brasil

Demissões em startups: vale a pena buscar um emprego nessas empresas?

Startup mineira Price Survey anuncia expansão para sete países

Especializada em pesquisa de mercado, empresa quebra fronteira e atuará no segmento de bebidas em nove cidades internacionais.

Startup mineira Price Survey anuncia expansão para sete países

Startup lança solução para criação de anúncios com filtro de realidade aumentada

Com a nova ferramenta, marcas como a Hyundai tem acesso a inteligência, design e desempenho de publicidade em AR.

Startup lança solução para criação de anúncios com filtro de realidade aumentada

Startup lança selo de impacto social que reconhece profissionais e empresas tech

Selo premiará os profissionais e empresas que mais investiram em educação e contratação de talentos de tecnologia.

Startup lança selo de impacto social que reconhece profissionais e empresas tech

App de alimentação para centros universitários é criado no CEUB

Para eliminar filas, estudantes criam sistema digital de "encomenda" de refeições para o intervalo das aulas

App de alimentação para centros universitários é criado no CEUB

30 startups de Minas Gerais participam do Programa Capital Empreendedor

Mais da metade das selecionadas têm mulheres como fundadoras.


Como atua a startup brasileira focada na logística dos setores agro e alimentício

Voltada ao comércio digital de alimentos, FreeHub permite negociações diretas de produtores, importadores e fabricantes com os varejistas de todo o país, sem intermediários.

Como atua a startup brasileira focada na logística dos setores agro e alimentício