Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Derrapada irresponsável do Senado no marco das ferrovias

Derrapada irresponsável do Senado no marco das ferrovias

02/11/2021 José Manoel Ferreira Gonçalves

Foi um duro golpe para quem defende o resgate do sistema ferroviário nacional.

Derrapada irresponsável do Senado no marco das ferrovias

No último dia 5 de outubro, 33 anos após a histórica sessão que trouxe à luz o atual texto constitucional, o Senado aprovou o projeto de lei que ficou conhecido como o novo marco legal das ferrovias. 

A principal mudança proposta pelo PL, que agora vai a plenário na Câmara dos

Deputados, é a adoção da chamada modalidade de “autorização” em oposição ao tradicional modelo de concessão, pelo qual o Estado estabelece as metas para a operação dos atuais trechos ou construção de novas linhas. Concessões pressupõem licitações, pelas quais o governo tem a oportunidade de exercer sua prerrogativa de fazer valer os interesses estratégicos da nação, ou seja, fazer política pública voltada para o uso amplo e democrático da ferrovia, hoje muito distante de ocupar o papel a ela reservado em países continentais como o nosso – o de integração e motor para o desenvolvimento nacional.

Com a permissão à autorização, empresas privadas poderão assumir a operação de ferrovias apenas para atender a seus interesses, sem se importar com o uso público dos trens ou mesmo admitir a possibilidade de que outros operadores privados possam empregar a infraestrutura – pública, em sua natureza – para também transportarem produtos e matérias-primas. 

Hoje, as ferrovias brasileiras estão praticamente restritas à logística de grãos e minério de ferro. Itens essenciais como produtos alimentícios e medicamentos – que poderiam ser transportados por trilhos, com custo menor do que o praticado no transporte rodoviário, em uma redução passível de ser repassada para o consumidor – estão fora das ferrovias e sujeitos à alta de combustíveis e ao humor dos caminhoneiros que ameaçam a normalidade do país com greves cada vez mais frequentes. E essa situação pode piorar com o sistema de autorização. Quem já domina as ferrovias deve se perpetuar com a exploração do bem público por mais décadas a fio. A lógica do lucro vai prevalecer. O transporte de passageiros, por sua vez, estará definitivamente condenado.

Com a aprovação célere desse marco legal, o Senado foi de uma enorme irresponsabilidade com o interesse comum. A decisão exime o Estado de exercer seu papel de formulador das políticas públicas. Transporte é estratégico. É dever do Estado e direito do cidadão. Énecessário que tenhamos ações integradas que permitam a ampla utilização das ferrovias, com segurança e extensiva a toda a população, e que elas possam ser um fator de integração nacional. Essas diretrizes precisam vir de Brasília. Qualquer ato que fira os direitos do cidadão deve ser considerado inconstitucional. 

Diante dessa exploração privada e destituída de interesse comum do patrimônio público que se afigura com o marco das ferrovias, entraremos com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade para questionar os princípios de tão inoportuna lei.

O Brasil precisa de ferrovia para todos, e não apenas para alguns escolhidos.

* José Manoel Ferreira Gonçalves é engenheiro e presidente da Ferrofrente (Frente Nacional pela Volta das Ferrovias).

Para mais informações sobre Ferrovias clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Vervi Assessoria



Sustentabilidade automotiva além dos elétricos

O avanço contínuo no campo dos carros elétricos tem gerado entusiasmo considerável e motivado inovações.

Autor: Mariano Perez

Sustentabilidade automotiva além dos elétricos

MME aprova isenção fiscal para projetos de biometano

O biometano é um combustível renovável e limpo, que pode substituir o gás natural em diversos setores.

Autor: Marcos Villela Hochreiter

MME aprova isenção fiscal para projetos de biometano

O futuro dos financiamentos automotivos: um panorama sobre tecnologias emergentes

Desbravar novos caminhos e estar na vanguarda das inovações é essencial para auxiliar no desenvolvimento e na democratização dos produtos.

Autor: Paulo Noman

O futuro dos financiamentos automotivos: um panorama sobre tecnologias emergentes

Pé na areia e água de coco: como evitar desgastes do automóvel na praia

Areia fina, maresia e exposição prolongada ao sol podem prejudicar veículos.

Autor: Divulgação

Pé na areia e água de coco: como evitar desgastes do automóvel na praia

Gasmig anuncia redução do preço do GNV

Demais segmentos acumulam baixa nos preços nos últimos 12 meses.

Autor: Divulgação

Gasmig anuncia redução do preço do GNV

Concorrências e desafios no cenário da mobilidade urbana

No Brasil, conforme levantamentos da Liga Ventures e do Sem Parar, constatam-se 157 empresas atuantes no segmento de mobilidade (mobitechs) no país.

Autor: Thiago Hidalgo

Concorrências e desafios no cenário da mobilidade urbana

Carros elétricos em condomínios e o Judiciário

A nova era da tecnologia automotiva também está mudando a vida dos condomínios residenciais no Brasil.

Autor: Divulgação

Carros elétricos em condomínios e o Judiciário

Caminhões e ônibus: a revolução da indústria nas duas últimas décadas

Quem dirige um caminhão, especialmente um biarticulado com bitrem ou rodotrem, precisa de muito treinamento.

Autor: Marcos Villela Hochreiter

Caminhões e ônibus: a revolução da indústria nas duas últimas décadas

Tecnologia de ponta a ponta: 5 tendências que vão moldar o mercado automotivo

Com desafio de alcançar números positivos, concessionárias precisam se adaptar, elevar experiência e abraçar inovações nos próximos meses.

Autor: Cesar Cantarella

Tecnologia de ponta a ponta: 5 tendências que vão moldar o mercado automotivo

A indústria brasileira de biodiesel deveria investir em HVO

Sistemas de armazenamento são capazes de permitir o uso combinado de várias fontes de energia limpa, garantindo mais eficácia e segurança.

Autor: Marcos Villela Hochreiter

A indústria brasileira de biodiesel deveria investir em HVO

Gastos com o automóvel é a segunda maior despesa do orçamento familiar

31% admitem gastar mais com o veículo do que o planejado e 62% têm uma reserva de emergência para lidar com surpresas na manutenção.

Autor: Ana Carolina Ribeiro

Gastos com o automóvel é a segunda maior despesa do orçamento familiar

Veículos elétricos: Roberto Drummond já avisava sobre as pedras no caminho

Temos muitas notícias positivas sobre os lançamentos de carros elétricos potentes, bonitos, evolutivos etc.

Autor: Marcos Villela Hochreiter

Veículos elétricos: Roberto Drummond já avisava sobre as pedras no caminho