Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Voo Simples: novos ares na aviação

Voo Simples: novos ares na aviação

23/11/2020 Fábio Augusto Jacob

O governo federal tem motivos para tentar revigorar a aviação.

Voo Simples: novos ares na aviação

Recentemente, o governo federal anunciou um novo incentivo a um setor fundamental da vida brasileira: o programa Voo Simples, destinado a destravar e estimular a aviação em nosso país. Anunciado em cerimônia no Palácio do Planalto e contando com vários ministros, o programa foi apresentado pelos seus dois principais idealizadores, o Ministério da Infraestrutura e a ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil, ambos interessados em melhorar o ambiente da aviação nacional.

E o governo federal tem motivos para tentar revigorar a aviação. Não bastasse as inerentes dificuldades do setor em um país imenso e muito heterogêneo, este ano ainda tivemos a interferência da pandemia do novo coronavírus. As medidas necessárias para a redução da circulação de pessoas pegaram em cheio o setor que foi, provavelmente, o mais atingido pela crise. Os voos praticamente cessaram e as empresas da área da aviação tiveram suas atividades praticamente paralisadas, com reflexos enormes para os profissionais da área.

Assim, de forma a sinalizar um auxílio à aviação, o programa é lançado após amplos estudos dos setores envolvidos, sobre as medidas que poderiam trazer novamente vida à aeronáutica brasileira. A amplitude das medidas demonstra a gravidade da situação, mas também indica a importância do setor e a intenção de torná-lo ainda melhor do que estava antes da crise. O programa não se limita a tentar restabelecer as condições anteriores, mas mudar as regras e marcos regulatórios da aviação em geral. Gerar um novo ambiente.

Os principais objetivos do programa Voo Simples já destacam a grandeza das intenções: melhoria da satisfação e da qualidade dos serviços prestados, redução de custos, fomento à entrada de novos agentes, aumento da segurança jurídica e transparência na regulação, estímulo à indústria aeronáutica nacional e redução da assimetria no setor.

Dentre as 52 medidas lançadas, muitas ainda estão em estudos e dependentes de consulta pública, aberta pela ANAC, para a definição de prazos e parâmetros definitivos, como no caso da validade das habilitações dos tripulantes. Hoje, essa validade é anual e requer que as empresas, e mesmo os autônomos, refaçam diversas provas, simuladores e testes, todo ano, para se manterem alinhados com a legislação, o que gera custos e tempo não produtivo. Neste caso, como feito em outros países, há a proposta de que a habilitação possa ser permanente, desde que o certificado médico e alguns testes de proficiência sejam realizados periodicamente.

Outras medidas visam facilitar a operação de pequenas empresas, o que propicia o desenvolvimento da aviação também longe dos grandes centros, aumentando a capilaridade da economia e a redução das enormes diferenças regionais. Nesse sentido, regras mais flexíveis para empresas menores teriam grande impacto. Ainda, a facilitação da operação remota para a aviação aeroagrícola e um marco regulatório para a aviação anfíbia, este último hoje inexistente, mas que seria extremamente útil no Norte do país, onde faltam aeródromos, mas abundam rios e lagos.

A simplificação dos processos para autorização de fabricação, importação e registro de aeronaves poderá agilizar e reduzir os custos das empresas do ramo que hoje se sentem presas a burocracias intermináveis. Ou seja, o programa Voo Simples é ambicioso, mas necessário e, se bem conduzido, poderá trazer novamente a aviação para os caminhos do crescimento.

O mais importante é o movimento, a iniciativa do governo brasileiro em, reconhecendo a importância do setor, agir quando há necessidade. Não há como desenvolver um país como o Brasil, com sua dimensão, sem a devida infraestrutura aeronáutica, de meios e pessoas, e de aeronaves para transportar riquezas, negócios, turistas, para uso na agricultura, no salvamento e, porque não, com as aeronaves anfíbias, que podem ajudar decisivamente no combate a incêndios florestais, utilização da qual ainda carecemos, e tanto.

Pela amplitude do programa, há que se esperar resultados expressivos na flexibilização, simplificação e estímulo às atividades. E isso é importante, pois os profissionais da aviação e o Brasil não podem esperar, mas em cada medida adotada deve ser levada em conta a segurança, pois não custa lembrar que na aviação essa é a prioridade número um.

* Fábio Augusto Jacob é Coronel Aviador da reserva da Força Aérea Brasileira, coordenador e professor da Academia de Ciências Aeronáuticas Positivo (ACAP) da Universidade Positivo.

Fonte: Centra Press




O que a geração Z tem a ver com a saída da Ford do Brasil

A saída da Ford do Brasil pode ser o reflexo não só de problemas políticos e econômicos. Podemos estar sendo testemunhas do início de uma disrupção de mercado.

O que a geração Z tem a ver com a saída da Ford do Brasil

Iveco vende mais 1.048 Trakker 8×8 para Forças Armadas da Alemanha

Os veículos estão sendo produzidos na fábrica alemã na cidade Ulm, onde também é a sede da Magirus.

Iveco vende mais 1.048 Trakker 8×8 para Forças Armadas da Alemanha

Carro da Sony mostra tecnologias inovadoras

A Sony, mesmo sem perspectiva de início das vendas, já deu início aos testes do veículo em estradas públicas da Áustria.

Carro da Sony mostra tecnologias inovadoras

Governo publica nova tabela do frete rodoviário com reajuste de até 2,51%

Pela legislação, o órgão precisa atualizar os preços a cada seis meses, em janeiro e julho de cada ano.

Governo publica nova tabela do frete rodoviário com reajuste de até 2,51%

Bolsonaro vai zerar tarifa de importação de pneus para beneficiar caminhoneiros

Associação de importadores de pneus aprovou a medida mas entende que são necessárias outras ações para conter inflação de pneus.

Bolsonaro vai zerar tarifa de importação de pneus para beneficiar caminhoneiros

GM vê futuro nos furgões de entregas e lança novo modelo elétrico

Para atender a demanda a GM quer aumentar a oferta de utilitários elétricos e revela o novo EV600.

GM vê futuro nos furgões de entregas e lança novo modelo elétrico

FCA faz parceira para transporte urbano de passageiros aéreo sustentável

O início da produção das está previsto para 2023.

FCA faz parceira para transporte urbano de passageiros aéreo sustentável

Buser anuncia investimentos de R$ 100 milhões em Minas após decreto do governador

"Essa é uma maneira de retribuirmos Minas Gerais, fomentando a economia e contribuindo com a geração de emprego e renda, tão necessárias ao nosso estado", afirmou o CEO da Buser, Marcelo Abritta.

Buser anuncia investimentos de R$ 100 milhões em Minas após decreto do governador

Alta de ICMS em São Paulo pode criar desemprego e aumentar idade média da frota

Depois de uma alta queda nas vendas de caminhões, havia uma projeção de alta de 21,7% nas vendas este ano.

Alta de ICMS em São Paulo pode criar desemprego e aumentar idade média da frota

Projeção para 2021 é de crescimento de 13% nas vendas de caminhões

Nunca foi tão difícil projetar os resultados de um ano, pois temos uma neblina à nossa frente desde março,

Projeção para 2021 é de crescimento de 13% nas vendas de caminhões

Procon orienta sobre novo prazo para remarcação e reembolso de passagens aéreas

Medida Provisória 1.024/20 vale para voos cancelados entre 31/3/20 e 31/10/21.

Procon orienta sobre novo prazo para remarcação e reembolso de passagens aéreas

Motoristas estão mais agressivos e imprudentes no trânsito

Segundo o especialista, 90% dos acidentes são provocados pelo fator humano.

Motoristas estão mais agressivos e imprudentes no trânsito