Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como introduzir hábitos alimentares saudáveis no dia a dia

Como introduzir hábitos alimentares saudáveis no dia a dia

03/02/2021 Thais Mezzomo e Alisson David Silva

Os nutricionistas orientam diminuir o consumo de alimentos classificados como processados e ultraprocessados.

Como introduzir hábitos alimentares saudáveis no dia a dia

A temporada de verão e a promessa de todo início de ano alcançar metas desejáveis podem funcionar como incentivos para as pessoas mudarem alguns de seus hábitos, incluindo os alimentares.

A coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário Internacional Uninter, Thais Mezzomo, ao lado do professor, Alisson David Silva, alertam que a mudança de certos comportamentos automáticos no cotidiano, podem estimular o consumo de alimentos saudáveis na dieta.

Se o ano começa efetivamente somente após o Carnaval, os profissionais selecionaram três dicas valiosas de como adquirir hábitos saudáveis na alimentação.

1- Revise a lista de compras em feiras e supermercados
Dê preferência a alimentos in natura e minimamente processados. Os alimentos in natura são aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais, como legumes, folhas, frutas, ovos e leite. Já os minimamente processados são aqueles que foram submetidos a processos que não adicionam substâncias ao alimento original. Alguns exemplos são grãos secos, polidos e empacotados ou moídos na forma de farinhas, raízes e tubérculos lavados, cortes de carne resfriados ou congelados e leite pasteurizado.

Os nutricionistas orientam diminuir o consumo de alimentos classificados como processados e ultraprocessados, tais quais o pão, queijo, compota de frutas e conservas de legumes. “Os processados apresentam métodos usados em sua fabricação que alteram de modo desfavorável a composição nutricional dos alimentos dos quais derivam”, afirmam.
O ideal é não ter sempre à disposição alimentos ultraprocessados, pois geralmente são abundantes em sódio, açúcares e gordura “Por serem alimentos de rápido consumo, muitas pessoas têm a falsa sensação de substituição, e assim ignoram o consumo de alimentos in natura”.

2 – Aposte em receitas com alimentos frescos
Se o alimento in natura não apetecer o indivíduo, uma saída é pesquisar receitas rápidas na internet que utilizem ingredientes saudáveis. Afinal, muitas verduras e legumes apresentam diferentes formas de preparo, e isso pode modificar as preferências da pessoa ao ser introduzida a um novo sabor.

Os professores exemplificam essa prática com a berinjela. Muitas pessoas que não gostam da berinjela podem ter o paladar surpreendido ao incluir o legume em sua dieta na forma de uma saborosa caponata (preparação a base de berinjela refogada com cebola, pimentão, tomates e outros ingredientes conforme a preferência).

“Já para a ingestão de frutas, indicamos para as pessoas que não têm o hábito de comer o fruto in natura, acrescentar alguns pedaços em lanches, saladas, iogurte natural, vitaminas, bolos, sorvetes saudáveis ou cozinhá-las com canela”.

3 – Inclua exercícios físicos em sua rotina
A intenção aqui não é ser um grande atleta, mas é confirmado que adicionando exercícios físicos simples em sua rotina (bicicleta, caminhada, alongamento, entre outros), as práticas podem ser uma porta de entrada para se adotar uma alimentação balanceada.

Em tempos de pandemia, é comum evitar a frequência na academia, então a dica é procurar opções de treinos disponíveis em aplicativos gratuitos, vídeos online na internet ou até procurar um grupo específico no Whatsapp mediado por um profissional de Educação Física. 

“Sempre que possível consulte um educador físico para a prática correta dos exercícios e caso sinta algum desconforto, procure um médico”, recomendam.

* Thais Mezzomo - Coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário Internacional Uninter

* Alisson David Silva - Professor do curso de Nutrição do Centro Universitário Internacional Uninter

Para adquirir produtos para Casa, Jardim e Limpeza clique aqui...

Fonte: Pg1 Comunicação




Aprenda a melhorar o relacionamento com idosos com Alzheimer

A cada 3,2 segundos um novo caso de demência é detectado no mundo e saber lidar com as etapas desse momento pode contribuir para qualidade de vida do idoso.

Aprenda a melhorar o relacionamento com idosos com Alzheimer

Covid-19 pode desenvolver perda de cabelo?

Queixa é comum de pacientes após infecção. Fátima Tubini, especialista em dermatologia, explica possíveis relações.

Covid-19 pode desenvolver perda de cabelo?

É preciso discutir sobre o autismo

Criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), o dia 02 de abril é o Dia Mundial da Conscientização do Autismo.

É preciso discutir sobre o autismo

O mundo depois do túmulo vazio

Será que originalmente a ressurreição poderia ter sido encarada como um fenômeno não físico?

O mundo depois do túmulo vazio

E eis que tudo se fez novo!

Na manhã daquele Bendito Domingo da Páscoa, Maria Madalena vai, logo cedo, ao túmulo, onde se tinha colocado o Santíssimo corpo de Jesus.

E eis que tudo se fez novo!

Por que jovens têm cabelos brancos?

Fatores genéticos podem ter relação com a condição precoce, que merece investigação para descartar doenças autoimunes ou na tireoide.

Por que jovens têm cabelos brancos?

A vida não termina no calvário!

A Semana Santa inicia com o Domingo de Ramos, quando Jesus entra em Jerusalém e é saudado pelo povo como rei.

A vida não termina no calvário!

Home care de idosos é desafio na pandemia

Ao completar um ano de distanciamento social, os brasileiros aprenderam o valor da autonomia e da liberdade.

Home care de idosos é desafio na pandemia

Cuidados com a beleza na terceira idade que começam em casa

Idade não é sinônimo para não se preocupar com a aparência e autoestima!

Cuidados com a beleza na terceira idade que começam em casa

Confira dicas de saúde para tornar a vida dos idosos mais ativa e saudável

Para manter o equilíbrio entre alimentação e atividade física são imprescindíveis um envelhecimento com qualidade de vida.

Confira dicas de saúde para tornar a vida dos idosos mais ativa e saudável

Sedentarismo aumentou 43% durante a pandemia

Restrições à prática de atividade física elevaram de 35 para 50% a parcela da população que não se exercita, aponta pesquisa.

Sedentarismo aumentou 43% durante a pandemia

As quedas são responsáveis pela diminuição da qualidade de vida dos idosos

O momento de reclusão provocada pela pandemia da COVID-19 simboliza um risco a mobilidade, fator que pode aumentar as quedas.

As quedas são responsáveis pela diminuição da qualidade de vida dos idosos