Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Brasil pode rebaixar Covid-19 para endemia: o que muda na prática?

Brasil pode rebaixar Covid-19 para endemia: o que muda na prática?

08/03/2022 Divulgação

Termo endemia é utilizado quando uma doença se torna recorrente em um país.

Brasil pode rebaixar Covid-19 para endemia: o que muda na prática?

Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro informou que o ministro da Saúde estuda rebaixar a pandemia de Covid-19 no Brasil para endemia. Mas afinal, o que muda caso isso realmente aconteça?

O termo endemia é utilizado quando uma doença se torna recorrente em um país, como acontece, por exemplo, com a herpes simples. Essas doenças possuem, inclusive, uma resposta efetiva à população por parte da rede de saúde.

Neste caso, o começo da Covid-19 começou como um surto e depois uma epidemia na China e alguns países da Europa, passando a se tornar pandemia quando atingiu níveis mundiais, afetando um grande número de pessoas.

De acordo com a virologista Andréa Gusmão, tornar uma doença endêmica não significa que tenhamos apenas notícias boas. Atualmente, doenças consideradas endêmicas possuem alto grau de contágio e de mortes pelo mundo. Alguns exemplos são a tuberculose, aids e malária. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que somente a malária possua cerca de 240 milhões de casos e 640 mil mortes por ano.

“As doenças endêmicas já têm um perfil conhecido. A gente consegue traçar com dados epidemiológicos, monitorar o que vai acontecer e qual região vai ser afetada. É isso que a gente espera que aconteça com a Covid-19 nos próximos meses, que se torne uma endemia, podendo detectar a região afetada e intervir”, explica Andréa Gusmão, que também é professora da Medicina UniFTC.

O que muda na prática?

Com a mudança para endemia, a Covid-19 deixa de ser tratada como uma emergência de saúde pública, retirando várias obrigações impostas atualmente para conter o avanço do vírus, como uso de máscaras, proibição de aglomerações, exigência do passaporte vacinal e realização compulsória de exames médicos.

“É preciso lembrar que a população vai ter sempre que estar colaborando. Nós teremos a vigilância epidemiológica lançando as medidas de controle quando houver um aumento de casos em uma região e em uma população específica. Além disso, vamos vacinar, vamos prevenir e vamos nos prevenir da Covid-19, porque a pandemia ainda está acontecendo”, finaliza a virologista Andréa Gusmão.

Foto: Agência Brasil

Para mais informações sobre Pandemia clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!



Como lidar com a “Geração Z” no mercado de trabalho

“Ninguém é produtivo o tempo inteiro, ninguém é feliz o tempo inteiro, mas é possível ser mais feliz e produtivo. E isso sem acabar com a saúde mental.”

Autor: Divulgação


A arte de não fazer nada: o ócio e o estímulo à criatividade

Você já se sentiu culpado por não fazer nada?

Autor: Thaísa Passos


Governo do Japão e Instituto Ramacrisna celebram parceria

As aulas devem começar ainda em 2024, após a finalização das obras de construção do novo prédio.

Autor: Divulgação

Governo do Japão e Instituto Ramacrisna celebram parceria

Paciente faz 100 anos e pede namorada em casamento

Casal ficou noivo após convivência de quase duas décadas na unidade da Fundação Hospitalar de Minas Gerais.

Autor: Divulgação


Protegendo crianças e idosos no ambiente online

Preservar crianças e idosos em um mundo que se torna mais tecnológico a cada dia que passa é dever de todos.

Autor: Ricardo Rios

Protegendo crianças e idosos no ambiente online

Nomofobia e os impactos do uso de smartphones no ambiente de trabalho

“Você é um nomofóbico?”. Essa foi a pergunta de partida de minha fala no Congresso da Academia Brasileira de Direito do Trabalho, em outubro de 2023, na cidade de São Paulo.

Autor: Eduardo Pragmácio Filho

Nomofobia e os impactos do uso de smartphones no ambiente de trabalho

O envelhecer e seus impactos na sociedade

Quando jovens, muito comumente pensamos e sentimos que somos imortais; e não pensamos na velhice, na morte; que é bom e ruim.

Autor: Viviane Gago

O envelhecer e seus impactos na sociedade

Poupança X Investimento: economista explica a diferença

De forma bem-humorada e sem enrolação, o influenciador explica os princípios que o regem por trás das cifras milionárias.

Autor: Divulgação

Poupança X Investimento: economista explica a diferença

Menos procrastinação, mais sucesso

Você sabe o que é procrastinação? É aquela mania de deixar tudo para depois.

Autor: Juliana Brito

Menos procrastinação, mais sucesso

História do comércio e a fidelização de clientes

"Só existe uma definição válida para a finalidade de uma empresa: criar um consumidor”.

Autor: Luiz Fernando Dias Guedes

História do comércio e a fidelização de clientes

Escorpiões: quem são esses animais temidos pela população?

Veneno produzido pelo animal é usado para o desenvolvimento de novos medicamentos e tratamentos para doenças crônicas.

Autor: Divulgação

Escorpiões: quem são esses animais temidos pela população?

Boletos se popularizam frente às taxas astronômicas dos cartões de crédito

No atual cenário financeiro, uma disparidade significativa se faz presente entre os boletos e os cartões de crédito no Brasil, especialmente no que se refere às taxas de juros aplicadas.

Autor: Divulgação

Boletos se popularizam frente às taxas astronômicas dos cartões de crédito