Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Pesquisas Eleitorais ou Fake News?

Pesquisas Eleitorais ou Fake News?

10/10/2022 Bady Curi Neto

Sabe-se que a pesquisa eleitoral não aponta como certo o vencedor de uma eleição, apenas indica a intenção de votos do eleitorado aos candidatos.

A certeza da pretensão de votos é mitigada na própria pesquisa, quando informa que há margem de erro, podendo variar dois pontos percentuais, a maior ou a menor, do resultado indicado na consulta pública realizada.

Logo, o equívoco da pesquisa eleitoral já está parametrizado pelas próprias balizes da técnica utilizada pelo instituto de observação.

Fato é que vivenciamos nas últimas eleições e, principalmente, neste primeiro turno, entre os principais candidatos à presidência da república, um erro abissal entre a intenção de votos apontada nas pesquisas e o efetivo resultado das eleições.  

Não restam dúvidas de que o resultado e a divulgação das pesquisas influenciam os eleitores, privilegiando aqueles candidatos que ostentam melhor posição no ranking das perquirições eleitorais, notadamente quando há uma diferença considerável entre o primeiro e o segundo colocado.

Da mesma sorte, alguns políticos, para prestarem seu apoio a determinado candidato podem se basear na aceitação deste em sua região.

Há muito, os institutos de pesquisas eleitorais já vinham sofrendo uma crise de credibilidade perante a parcela social mais esclarecida (aqueles que acompanham as pesquisas e as confrontam com o resultado efetivo dos votos).

Agora, ao que tudo indica, dado ao drástico erro ou equívoco das pesquisas de intenção de votos quando confrontadas com os resultados das votações dos candidatos à presidência da república, “uma pá de cal” caiu sobre a fiabilidade destas.

Dois institutos de pesquisas, Datafolha e Genial/Quaest, na véspera das eleições apontavam, respectivamente, que o candidato Bolsonaro teria 36% e 38% de votos, isto, frisa-se, logo antes das votações, quando na realidade, o Presidente obteve 43% dos votos válidos, saindo vencedor em vários estados da federação, na contramão do apurado pelos aludidos institutos.

Destaca-se que não houve nenhum fato ou motivo superveniente que desse causa à discrepância citada.

E o equívoco, se assim pode ser chamado, não ocorreu apenas nas intenções de votos entre os candidatos à presidência da república, mas também no âmbito da concorrência estadual.

No estado do Rio de Janeiro, o candidato Cláudio Castro sagrou-se vencedor, ganhando as eleições no primeiro turno, diferente do que apontavam as pesquisas eleitorais.

Em São Paulo, as perquirições se equivocaram, no mesmo diapasão, quanto aos cargos de Governador e Senador.

Não estou afirmando que houve má-fé dos institutos de pesquisas, mesmo porque não tenho conhecimento e provas para tal alegação, o que seria leviano, mas que a metodologia aplicada está totalmente equivocada não restam dúvidas, provado pelas distorções ocorridas entre os números apontados nas intenções de votos e o resultado das eleições.

Os erros verificados nas pesquisas eleitorais foram de tamanha envergadura que o Senador Marcos do Val apresentou requerimento para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquéritos (CPI) para investigar as expressivas discrepâncias entre o apurado nas investigações eletivas e os resultados das votações nas urnas.

O Senador Carlos Portinho afirmou, em sessão no Senado, que “a forma de manipulação da população é, no caso das eleições, através dessas pesquisas, que induziram fora do momento o voto útil num candidato”.

De fato, estreme de dúvidas que pesquisas tão distorcidas e afastadas da realidade, como verificado nesta e em outras eleições, com risco de influenciar alguns eleitores, equiparam-se a uma notícia falsa, uma verdadeira Fake News, tão combatida pelo nosso egrégio Tribunal Superior Eleitoral.

A meu ver, até que se examine o que de fato ocorreu para causar a desmedida disformidade da realidade, em prol da Democracia, da lisura do pleito eleitoral e do combate à Fake News, deveria o cioso Tribunal Superior Eleitoral suspender todas as pesquisas de intenções de votos a serem realizadas.

Se pretendemos eleições limpas, sem a propagação de Fake News que possam vir a manipular a pretensão do eleitor, deve-se suspender as pesquisas eleitorais, já que, comprovadamente, não retratam a realidade, sendo repetidas em todas as mídias sociais e jornalísticas, exercendo verdadeira influência sobre o eleitorado.

Tenho dito!!!

* Bady Curi Neto é advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) e professor universitário.

Para mais informações sobre pesquisas eleitorais clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Nomofobia e os impactos do uso de smartphones no ambiente de trabalho

“Você é um nomofóbico?”. Essa foi a pergunta de partida de minha fala no Congresso da Academia Brasileira de Direito do Trabalho, em outubro de 2023, na cidade de São Paulo.

Autor: Eduardo Pragmácio Filho

Nomofobia e os impactos do uso de smartphones no ambiente de trabalho

O envelhecer e seus impactos na sociedade

Quando jovens, muito comumente pensamos e sentimos que somos imortais; e não pensamos na velhice, na morte; que é bom e ruim.

Autor: Viviane Gago

O envelhecer e seus impactos na sociedade

Poupança X Investimento: economista explica a diferença

De forma bem-humorada e sem enrolação, o influenciador explica os princípios que o regem por trás das cifras milionárias.

Autor: Divulgação

Poupança X Investimento: economista explica a diferença

Menos procrastinação, mais sucesso

Você sabe o que é procrastinação? É aquela mania de deixar tudo para depois.

Autor: Juliana Brito

Menos procrastinação, mais sucesso

História do comércio e a fidelização de clientes

"Só existe uma definição válida para a finalidade de uma empresa: criar um consumidor”.

Autor: Luiz Fernando Dias Guedes

História do comércio e a fidelização de clientes

Escorpiões: quem são esses animais temidos pela população?

Veneno produzido pelo animal é usado para o desenvolvimento de novos medicamentos e tratamentos para doenças crônicas.

Autor: Divulgação

Escorpiões: quem são esses animais temidos pela população?

Boletos se popularizam frente às taxas astronômicas dos cartões de crédito

No atual cenário financeiro, uma disparidade significativa se faz presente entre os boletos e os cartões de crédito no Brasil, especialmente no que se refere às taxas de juros aplicadas.

Autor: Divulgação

Boletos se popularizam frente às taxas astronômicas dos cartões de crédito

Imposto de Renda: veja que documentos são necessários e separe-os antes do prazo

Neste ano, a data de entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física deverá ser entre 15 de março e 31 de maio.

Autor: Divulgação

Imposto de Renda: veja que documentos são necessários e separe-os antes do prazo

Carnaval é feriado? Advogado orienta funcionários e empresas

Uma das épocas mais aguardadas, o Carnaval é uma festa tradicional, embora não seja considerada feriado nacional.

Autor: Divulgação

Carnaval é feriado? Advogado orienta funcionários e empresas

Taxação do Pix é uma loucura

A “iluminada economista” e ex-presidente, Dilma Rousseff, conseguiu a proeza de decepcionar e prejudicar os poupadores de menor renda.

Autor: Julio César Cardoso

Taxação do Pix é uma loucura

Crianças: curiosidade coloca mãozinhas em risco

As mãos da criançada, que tudo querem tocar, estão expostas a sérios acidentes; SBCM ressalta cuidado redobrado no período de férias escolares.

Autor: Antônio Carlos Costa

Crianças: curiosidade coloca mãozinhas em risco

Você está pronto para o futuro?

Existem basicamente três tipos de indivíduos no mundo: os ignorantes, os desesperados e os preparados.

Autor: Martha Gabriel

Você está pronto para o futuro?