Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A Prescrição, o Estado Democrático de Direito e Dallagnol

A Prescrição, o Estado Democrático de Direito e Dallagnol

01/09/2020 Bady Curi Neto

O Estado Democrático de Direito exige de todos, a estrita observância do arcabouço jurídico, notadamente as normas, leis e princípios constitucionais que regem a todos os concidadãos, indiscriminadamente, a luz do artigo 5º da nossa Constituição Federal:

“todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade…”

Assim, como princípio esculpido na norma supra, tem-se, no mesmo diploma legal, o princípio do prazo razoável do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação, sejam dos litígios cíveis, administrativos e penais.

Por este princípio nota-se a importância do instituto da prescrição, perda do direito por inércia, uma parte ou a impossibilidade de uma condenação criminal por demora demasiada do Estado Juiz em decidir sobre aquele processo.

A prescrição, ao contrário do que visto por pessoas leigas ou mesmo determinados operadores do direito, são normas que protegem a sociedade e o Estado Democrático de Direito.

Apenas para exemplificar, imagine-se o direito sem prescrição: Um indivíduo na juventude, com dezoito anos de idade, compra cinco “baseados” – cigarros de maconha e distribui entre colegas para se drogarem.

Isto é tipificado como tráfico de entorpecentes. Hoje, este mesmo indivíduo é um pai de família, trabalhador, com 45 anos de idade.

Se não houvesse prescrição esta pessoa poderia ser processada e condenada pela conduta tipificada no código penal. Pergunta-se: seria justo? A resposta é evidentemente negativa.

Esta semana um processo administrativo contra o procurador Federal, Deltan Dallagnol teve a prescrição reconhecida pelo Conselho Nacional do Ministério Público.

O processo visava uma punição disciplinar movido pelo ex-presidente Lula pelo caso conhecido como Powerpoint.

Não obstante a conduta reprovável do Procurador em expor um réu, antes mesmo da aceitação da denúncia por parte do Poder Judiciário, em um espetáculo midiático, voltado para promoção pessoal sem nenhum objetivo prático processual, não seria justo a mantença de um processo administrativo punitivo “ad eterno” contra ele.

Malgrado o douto Procurador ser um crítico contumaz do instituto da prescrição e dos recursos da defesa, dizendo ser, na maioria das vezes, protelatórios, quando responde a um processo, ele, mesmo, utiliza de todos os recursos necessários para ver reconhecido seu direito.

Tais recursos podem ocasionalmente, dado a inércia do Estado Juiz ou do órgão Corregedor (como no presente caso), beneficiar o acusado.

Frise-se que não se trata de injustiça, mas da aplicação da lei, que, como dito, protege o cidadão da morosidade estatal, mesmo que o beneficiado seja um crítico do instituto, quando o benefício é voltado para demais cidadãos.

E, por princípio constitucional, como todos são iguais perante a lei, o douto Procurador deve estar respirando aliviado com a decisão que o beneficiou.

Tenho dito!

* Bady Curi Neto é advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) e professor universitário.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



O caso do jogador Dudu do Palmeiras: por que o divórcio deixou a ex-mulher sem nada?

O caso da separação do jogador Dudu, do Palmeiras, deixa um alerta para quem pretende estabelecer um casamento ou uma união estável.


Demissão por WhatsApp não é ilegal

Entendimento da Justiça tem sido de verificar, independente do meio, postura digna e comunicação clara nos desligamentos de trabalhadores.


Caso Daniel Alves, a Lei Pelé e a cultura de atraso de salários no futebol brasileiro

Na última semana fomos surpreendidos pela atitude corajosa do lateral Daniel Alves que decidiu não atuar mais pelo São Paulo Futebol Clube, por conta de atrasos de salários.


As expectativas advindas do Marco Legal das Startups

É verdade que a sensação da comunidade empresarial, quando da eminência da publicação de um novo diploma legal a fim de regular determinada atividade, volta-se naturalmente aos entraves burocráticos capazes de frear e obstar a chancela de negócios.


As fraudes financeiras com bitcoins e a necessidade da punição exemplar

A ampla cobertura da mídia sobre as operações das autoridades brasileiras contra fraudes financeiras utilizando a rentabilidade das criptomoedas como forma de atrair investidores deu visibilidade à uma prática que vem crescendo exponencialmente no Brasil.


Polêmica da Anvisa: atuação do órgão no jogo entre Brasil e Argentina

Na tarde do último domingo (5 de setembro), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) paralisou a partida de futebol entre Brasil e Argentina, que jogavam pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.


As virtudes e desvirtuamentos do Novo Código Eleitoral

Tramita no Congresso Nacional o projeto do Novo Código Eleitoral com mais de novecentos artigos.


Principais impactos da LGPD nas relações de trabalho

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD - Lei nº13.709/2018) prevê regras e princípios que devem ser observados quando da utilização de dados pessoais pelas empresas privadas e públicas.


Como garantir sua aposentadoria com tranquilidade em Portugal

Quando um cidadão brasileiro decide morar em Portugal, ou vice e versa, é preciso fazer diversos planos para que a sua qualidade de vida seja ainda melhor no país de destino.


Parecer da Receita pretende excluir o ICMS da base dos créditos de PIS e COFINS

O ICMS destacado na nota fiscal não pode ser considerado receita bruta por não representar acréscimo patrimonial do contribuinte.



O que mudou no Direito Condominial com o novo Código Civil?

O jurista Dalmo Dallari afirma que a sociedade humana pode ser considerada como um conjunto de pessoas que estão ligadas pela necessidade de se ajudarem com o intuito de garantir a continuidade da vida e satisfazer seus interesses e desejos.