Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Audiências virtuais com Teams: como se preparar

Audiências virtuais com Teams: como se preparar

18/06/2020 Rodolfo Almeida

Devido à pandemia do novo coronavírus, as audiências poderão ser realizadas por meio de videoconferência, a critério do juiz responsável, utilizando-se a ferramenta Microsoft Teams, via computador ou smartphone.

No entanto, boa parte dos advogados ainda não tem familiaridade com a ferramenta ou falta domínio nos recursos tecnológicos para a realização das audiências virtuais por meio do software Microsoft Teams.

O comunicado CG Nº 284/2020, que estabelece os critérios para a realização do processo não serviu para preparar advogados e todos os profissionais envolvidos na realização das audiências para essa nova prática de realização de audiências.

Em teoria, o processo de acesso à audiência é facilitado para o advogado, já que o agendamento, criação da sala e envio do convite aos participantes são organizados pelo próprio TJSP.

Dessa forma, o profissional apenas receberá o link de acesso, para aguardar no lobby virtual, até ser chamado e, em seguida aparecer diante do magistrado.

Por mais que o Teams não seja uma ferramenta popular, defensores brasileiros já estão no processo de domínio, o que é muito importante, pois o momento atual demanda que os profissionais criem alternativas para exercer suas funções.

Obviamente que é necessário um treinamento com seu cliente, para que ele não seja prejudicado, entre outras orientações de uso, que são previamente informadas por especialistas do setor de tecnologia.

Vale ressaltar que essa é uma ferramenta considerada jovem, ainda em processo de amadurecimento, mas bastante eficiente, pois agrega recursos de comunicação, gestão de tarefas e armazenamento de arquivos, tudo em um só local.

Como profissional experiente na área de tecnologia, afirmo que em todos os escritórios de advocacias que implantaram o recurso, a utilização tem sido positiva e proveitosa.

A plataforma desenvolvida pela Microsoft possui versão gratuita e paga, já que faz parte do Office 365, disponibilizado pela mesma empresa, e opera em computadores com sistemas operacionais Windows, Linux e Mac, além dos dispositivos móveis, como celulares e tablets que funcionam por meio de Android e IOS.

Contudo, também pode ser utilizado diretamente pela web, sem a necessidade de instalação.

Mas, é preciso ter mente que uma vez que a gravação fica disponível apenas para os membros do Tribunal de Justiça de São Paulo, caso o advogado queira ter uma cópia da gravação, será necessário utilizar outros softwares.

Como qualquer outra ferramenta, existem desvantagens e a facilidade de acesso não é a única preocupação para os advogados.

Fatores como dificuldade de utilização da ferramenta, computadores sem câmera, microfone ou com qualidade aquém da necessária, velocidade de internet e equipamentos defasados, podem colocar o cliente e profissional em risco na participação da audiência.

Com isso, a solução é se preparar, com o apoio de um suporte técnico experiente no uso da ferramenta.

Como a utilização do Microsoft Teams é algo recente nas audiências, é necessário que sejam feitas ainda algumas adaptações e, diante das falhas, caberá ao magistrado avaliar as condições para dar continuidade na audiência.

Porém, conhecendo o histórico de má qualidade das operadoras de telecomunicação no Brasil, somando-se a atual sobrecarga do home-office na pandemia, é comum que ocorram falhas na internet.

Dessa forma, é preciso se precaver com soluções de backup que, pode ser tanto por uma conexão de banda larga com um roteador “Load Balance” quanto a possibilidade de usar o Teams na versão móvel, com um pacote de dados do próprio celular.

Independentemente de quando ocorrerá o final da pandemia, parece obvio que muitas dessas mudanças vieram para ficar e serão um marco na atuação do direito, que obrigará todos os advogados a mergulharem de vez nesse mundo digital.

* Rodolfo Almeida é tecnólogo em Banco de Dados, pós graduado em administração de empresa e diretor da NextoIt, empresa especializada em implantação de sistemas de tecnologia da informação.

Fonte: Vervi Assessoria de Imprensa



O perigo da pejotização para as startups

Os recentes conflitos envolvendo a Uber e a justiça trabalhista em ações que reivindicam o vínculo de emprego de motoristas junto à empresa ganhou a atenção da sociedade e até do Palácio do Planalto.

Autor: Ricardo Grossi


Uma boa dose de bom senso em favor do trabalhador gaúcho!

O bom senso precisa falar mais alto, de tal maneira que ninguém saia ainda mais prejudicado nesta tragédia.

Autor: Sofia Martins Martorelli


Crise no setor de saúde e a suspensão de venda de planos da Prevent Sênior

A suspensão de venda de planos de saúde familiares e individuais por uma operadora, como no caso da Prevent Senior, geralmente ocorre sob a égide da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que é o órgão regulador do setor.

Autor: Natália Soriani


Recuperação extrajudicial do grupo Casas Bahia

Entenda algumas vantagens desse modelo para reestruturação da sociedade.

Autor: João Pedro Gonçalves de Sousa


Trabalhador pode se opor a pagar contribuições assistenciais feita ao sindicato

“A manifestação coletiva, em assembleia, é a forma e o momento mais adequados para se exprimir a vontade dos empregados”.

Autor: Divulgação


Correção de rumos no STF: pejotização é fraude trabalhista

O Supremo Tribunal Federal (STF) tem recebido nos últimos meses uma quantidade expressiva de reclamações constitucionais para cassar decisões da Justiça do Trabalho relativas a contratos fraudulentos de prestação de serviços.

Autor: Cíntia Fernandes


Novas regras para notificação de inadimplência e exclusão de planos de saúde

O próximo dia 1º de setembro será marcado por uma importante mudança na relação entre consumidores e operadoras de planos de saúde.

Autor: Natália Soriani


O cancelamento unilateral dos planos de saúde é legalmente possível?

Apesar de possível, Jurista do CEUB considera a rescisão unilateral e sem motivo como abusiva, já que configura a potencial violação do princípio constitucional de proteção à vida.

Autor: Divulgação


O embate Twitter Files Brasil: que legado queremos deixar?

Elon Musk está usando sua plataforma X (ex-Twitter) para um duelo digital com o presidente do STF, Alexandre de Moraes.

Autor: Patrícia Peck


Justiça e inclusão: as leis para pessoas com TEA

Por muito tempo, os comportamentos típicos de crianças que tinham Transtorno do Espectro Autista (TEA) foram tratados como “frescura”, “pirraça” ou “falta de surra”.

Autor: Matheus Bessa e Priscila Perdigão


Você conhece a origem dos seus direitos?

Advogado e professor Marco Túlio Elias Alves resgata a história do Direito no Brasil e no mundo em livro que democratiza os saberes jurídicos.

Autor: Divulgação


Os planos de saúde e os obstáculos ao bem-estar dos pacientes

No contexto do direito à saúde no Brasil, os planos de saúde privados são regulados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que estabelece normas e diretrizes para garantir a cobertura assistencial aos consumidores.

Autor: Natália Soriani