Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Em qual leilão de imóvel investir: judicial ou extrajudicial?

Em qual leilão de imóvel investir: judicial ou extrajudicial?

18/01/2021 Paulo Mariano

As duas modalidades são muito rentáveis quando apuradas todas as eventuais variáveis.

No leilão judicial, considerando que já houve a apuração e correção de todos as possíveis irregularidades ou nulidades por um Juiz de Direito, a possibilidade de se alegar nulidade ou a apresentação de defesa, é muito remota, considerando que há previsão de multa, inserida no art. 903, § 6 º do Código de Processo Civil, para aquele que alegar matéria infundada com o objetivo de ensejar a desistência do arrematante. Isso traz maior segurança ao vencedor.

Ainda no leilão judicial, quando o vencedor (arrematante) paga o preço da arrematação e há o decurso do prazo sem impugnação, o Juiz já defere a posse do imóvel no próprio processo.

No que diz respeito à arrematação extrajudicial, o Banco, na maioria dos leilões, já entrega o imóvel livre de qualquer ônus, como débitos de condomínio e IPTU, devendo apenas o vencedor (arrematante) lavrar a escritura.

Todavia, pode estar previsto no Edital do leilão que o arrematante deverá responder por eventuais débitos, portanto cabe ao advogado especialista em leilão analisar o caso específico.

Vale ressaltar que, como o leilão extrajudicial não é proveniente de um processo judicial, não existe a possibilidade do Banco conceder a posse do imóvel ao vencedor, ficando a seu cargo providenciar a medida cabível para obter a posse, que poderá ocorrer por meio de uma Notificação e, se essa não for frutífera, com a interposição da Ação de Imissão na Posse.

Partindo-se do pressuposto de que a finalidade é o lucro do investimento, ou, em caso de compra para uso próprio, não haver surpresas com despesas não previstas, uma consultoria prévia de um advogado especializado, em qualquer das modalidades, garante o sucesso do investimento.

Para não ficar em cima do muro, como advogado, prefiro os leilões judiciais.

* Paulo Mariano é advogado especializado em leilão judicial de imóveis, com experiência de mais de 500 processos nessa modalidade de investimento.

Fonte: Case Comunicação Integrada



Proibição do chatbot na campanha eleitoral afeta políticos com menos recursos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizou normas relacionadas ao uso da inteligência artificial nas campanhas para as eleições municipais de 2024. A alteração é vista como pequena e mal discutida por especialistas da área.

Autor: Divulgação


Digitalização da saúde e os desafios na relação plano e consumidor

A digitalização da saúde, que compreende o uso de recursos tecnológicos e de Tecnologia da Informação (TI) para fins médicos, é um fenômeno que a cada ano se consolida e expande em todo o país.

Autor: Natália Soriani


Os equívocos do caso Robinho

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no uso de competência constitucional e regimental, analisou e, por maioria de votos, homologou o pedido de execução da sentença penal condenatória proferida pela Justiça Italiana contra o ex-jogador Robinho.

Autor: Marcelo Aith


A nova lei de licitações: o que deve mudar daqui para frente?

O sucesso dessa legislação dependerá do compromisso de todas as partes envolvidas em trabalhar juntas.

Autor: Matheus Teodoro


Exclusão de dependentes maiores de 25 anos de planos de saúde

Os magistrados têm reconhecido a existência de uma expectativa de direito por parte dos consumidores.

Autor: José Santana Junior


TikTok e a multa milionária por captura ilegal de dados biométricos no Brasil

Por utilizar métodos que ferem a Lei Geral de Proteção de Dados e o Marco Civil da Internet, o TikTok, rede social famosa por vídeos de curta duração, foi multado em R$ 23 milhões pela Justiça.

Autor: Renato Falchet Guaracho


Como tornar o mundo jurídico descomplicado

A comunicação no mundo jurídico é uma das mais complicadas do mercado. Termos técnicos demais e palavras em latim, por exemplo, criam grandes obstáculos.

Autor: Gabriella Ibrahim


Por que a Meta deverá, obrigatoriamente, mudar de nome no Brasil?

A Meta, empresa dona dos aplicativos Facebook, Instagram e WhatsApp não poderá usar este nome no Brasil.

Autor: Renato Falchet Guaracho


Planejamento sucessório garante futuro do agronegócio

Especialista alerta para os desafios da sucessão familiar no campo e destaca a importância de um plano bem estruturado para a perpetuação do negócio.

Autor: Divulgação


Recuperação de crédito: uma pequena abordagem

A recuperação de crédito é um processo essencial dentro do contexto jurídico e econômico, sendo fundamental para a estabilidade financeira das empresas e o funcionamento saudável do mercado.

Autor: Feliph Murilo Lucio Marques


Inteligência Artificial x Advocacia Moderna: aliadas ou inimigas?

A chegada da inteligência artificial na atual sociedade é claramente notória, o que outrora era especulação hoje é uma ferramenta encontrada comumente em nosso cotidiano.

Autor: Giovanna Matos de Castro e Souza


Entenda quais as proteções garantidas ao trabalhador acidentado

A quantidade de acidentes de trabalho no Brasil mantém o sinal de alerta ligado para empregados e empresas contratantes.

Autor: Sofia Martins Martorelli