Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Judiciário não quer discutir sua estrutura

Judiciário não quer discutir sua estrutura

11/02/2022 Marcos da Costa

Poder Judiciário não discute sua estrutura à luz dos princípios da Constituição de 1988.

O Poder Judiciário é, nos países democráticos, a principal coluna de sustentação da paz social. É nele que os cidadãos confiam para resolver os seus conflitos, e sem ele, viveríamos a barbárie da justiça com as próprias mãos. 

No Brasil, o Judiciário é estruturado pela Lei Orgânica da Magistratura, uma lei de 1979, antes, portanto, da Constituição brasileira de 1988, que alterou toda a estrutura jurídica, política e social do país, trazendo as luzes da democracia. 

A nossa Lei Maior, para prestigiar o Judiciário - lembrando que foi promulgada quando saíamos do regime de ditadura militar - reservou ao STF a competência para iniciar a tramitação de projetos de lei sobre estrutura da Justiça. Passados 34 anos, até hoje o Supremo Tribunal não encaminhou nenhum projeto ao Congresso Nacional.

O Judiciário, está claríssimo, não tem interesse em discutir sua estrutura à luz dos princípios da Constituição de 1988, resguardando-se na LOMAN, com pontos como o de 60 dias de férias para juízes.

O Congresso Nacional, por sua vez, afirmando não debater a Justiça porque só o STF poderia começar essa discussão. E diante desse impasse, é a sociedade que fica impedida de discutir, através de seus representantes, o Poder Judiciário.

Enquanto isso, no último ranking mundial da World Justice Project (WJP), organização que reúne estudiosos e ex-autoridades de várias Nações, elaborado em 2021, e que mede combate à corrupção e ao crime, coloca nossa Justiça criminal nas vergonhosas posições 112ª, em relação à eficácia do sistema de investigação; 131ª , quanto a imparcialidade com base em quesitos como status socioeconômico, gênero, etnia, religião, origem nacional, orientação sexual ou identidade de gênero; 133ª, quando ao respeito aos direitos do preso na prevenção de reincidência; e 138ª, de 139 países, quanto ao sistema estar livre de corrupção.

Concordemos ou não com os critérios desse ranking, deve servir como mais um alerta para a necessidade de profunda discussão da estrutura do Judiciário em nosso país.

* Marcos da Costa é advogado e ex-Presidente da OABSP.

Para mais informações sobre Poder Judiciário clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Comunicação ISD Agência



Planejamento sucessório garante futuro do agronegócio

Especialista alerta para os desafios da sucessão familiar no campo e destaca a importância de um plano bem estruturado para a perpetuação do negócio.

Autor: Divulgação


Recuperação de crédito: uma pequena abordagem

A recuperação de crédito é um processo essencial dentro do contexto jurídico e econômico, sendo fundamental para a estabilidade financeira das empresas e o funcionamento saudável do mercado.

Autor: Feliph Murilo Lucio Marques


Inteligência Artificial x Advocacia Moderna: aliadas ou inimigas?

A chegada da inteligência artificial na atual sociedade é claramente notória, o que outrora era especulação hoje é uma ferramenta encontrada comumente em nosso cotidiano.

Autor: Giovanna Matos de Castro e Souza


Entenda quais as proteções garantidas ao trabalhador acidentado

A quantidade de acidentes de trabalho no Brasil mantém o sinal de alerta ligado para empregados e empresas contratantes.

Autor: Sofia Martins Martorelli


A Lei de Serviços Digitais e seu impacto nas futuras leis digitais do Brasil

O Brasil já tem debatido intensamente sobre como regular conteúdo online, especialmente em relação à desinformação.

Autor: Alexander Coelho


A extinção do Perse é inconstitucional

A extinção do Perse por meio da Medida Provisória n.1202/23 é inconstitucional e afronta o princípio da segurança jurídica.

Autor: Dr. Arcênio Rodrigues da Silva


Dengue x Covid-19

Demora no tempo de espera por atendimento hospitalar pode tornar caso jurídico.

Autor: Thayan Fernando Ferreira


Chegou a vez das falências?

O governo enviou ao Congresso um conjunto de alterações com o objetivo de dar mais protagonismo aos credores no processo de falência.

Autor: Leonardo Ribeiro Dias e João Máximo Rodrigues


Transferir bens em vida é dar poder de escolha ao doador

Planejar a sucessão de bens é um momento importante para qualquer família que tem patrimônio.

Autor: Divulgação


Perícia online para benefícios por incapacidade: vantagens e desvantagens

É importante lembrar que o acesso a benefícios previdenciários é um direito assegurado pela Constituição.

Autor: Carla Benedetti


PL que garante água gratuita em eventos é bem-vindo, mas deveria virar lei

A fatalidade que envolveu Ana Benevides deve se converter numa lei que representa um avanço aos direitos sociais.

Autor: Ianka De Paul


Os efeitos danosos da venda sem receita de medicamentos tarjados em drogarias

Nos últimos meses, alguns medicamentos ficaram “famosos” ao se tornarem extremamente populares no país.

Autor: Claudia de Lucca Mano