Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Não gostou da sua compra pela internet?

Não gostou da sua compra pela internet?

11/06/2019 Letícia Marques

Você tem até sete dias para se arrepender!

O comércio eletrônico, chamado também de e-commerce, está em uma fase crescente, principalmente pela facilidade dos consumidores de adquirirem um produto ou serviço por sites ou através de aplicativos por smartphones.

Contudo, os produtos vendidos nem sempre são idênticos ao que aparentam nos sites, gerando uma quebra na expectativa do consumidor que, muitas vezes, não tem o conhecimento que é possível o seu arrependimento.

O direito ao arrependimento do consumidor nem sempre é divulgado pelos próprios comerciantes. Contudo, é uma regra expressamente prevista e amparada pelo Código de Defesa do Consumidor, que dispõe que o consumidor pode desistir da compra no prazo de sete dias sempre que a contratação de fornecimento de produtos ou serviços ocorrer fora do estabelecimento físico, ou seja, por telefones ou sites.

Porém, o prazo de sete dias é contado a partir da assinatura ou do ato de recebimento do produto ou serviço, assim é importante o consumidor sempre ter em mãos o comprovante da entrega do produto que demonstra a data, bem como o comprovante da assinatura do serviço, para que possa exercer seu direito sem algum contratempo.

Dessa forma, assim que exercer o direito de arrependimento dentro do prazo estabelecido, os valores eventualmente pagos, devem ser devolvidos de imediato e monetariamente atualizados.

Ressalta-se que, o consumidor não é obrigado a explicar o porquê desistiu da compra. Ele simplesmente tem o direito de arrependimento amparado pela Lei, sempre que a compra for realizada fora do estabelecimento comercial.

É sempre importante o consumidor formalizar o pedido de devolução do dinheiro, pois caso o fornecedor se recuse a devolver por qualquer justificativa que seja, o consumidor deve ter registrado a fim de comprovar judicialmente ou através de uma notificação extrajudicial.

* Letícia Marques é advogada de Direito do Consumidor do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados.

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada




Responsabilidade do estabelecimento por furtos ocorridos em seus estacionamentos

O espaço ofertado para os clientes estacionarem seus veículos corresponderia a um instrumento para a captação de clientela.

Responsabilidade do estabelecimento por furtos ocorridos em seus estacionamentos

O começo de um novo tempo

Precisamos conseguir a paz e a normalidade para, dessa forma, alcançar a verdadeira democracia.


Trabalho infantil e a tolerância da sociedade

Falar de trabalho infantil em pleno século XXI (no qual os avanços da tecnologia, ciência, educação e saúde são inúmeros) deveria ser uma questão antiquada, superada.


A nova revisão dos benefícios do INSS

Aconteceu na quinta-feira, 30 de maio, uma importante votação no plenário da Câmara dos Deputados.


As “leis tecnológicas” do Pacote Anticrime

A legislação brasileira deve ganhar mais dois “itens tecnológicos” a partir da votação do Pacote Anticrime.


O STJ e o bafômetro

Se alguém que não ingeriu bebida alcoólica vê-se envolvido num acidente, sua melhor conduta será aceitar o bafômetro.


Vigilante de carro-forte receberá indenização por ter de urinar em garrafa plástica

De acordo com o vigilante, havia proibição da empresa de que ele se afastasse do veículo durante as operações.


Judicialização para o fornecimento de remédios sem registro na Anvisa pode crescer

A maioria dos casos envolve doenças raras, e o juiz determina a concessão do remédio.


Nova Lei para contratações melhores

Ainda está vivo na memória da maioria dos brasileiros o atraso das obras para a Copa do Mundo de Futebol e das Olimpíadas no Brasil.


STF – José Dirceu – alguns pesos e outras medidas

Até quando José Dirceu permanecerá preso por esta nova condenação em segunda instância?


As sutis diretrizes do novo Código de Ética Médica

Entrou em vigor no último dia 1º de maio o Novo Código de Ética Médica.