Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Não gostou da sua compra pela internet?

Não gostou da sua compra pela internet?

11/06/2019 Letícia Marques

Você tem até sete dias para se arrepender!

O comércio eletrônico, chamado também de e-commerce, está em uma fase crescente, principalmente pela facilidade dos consumidores de adquirirem um produto ou serviço por sites ou através de aplicativos por smartphones.

Contudo, os produtos vendidos nem sempre são idênticos ao que aparentam nos sites, gerando uma quebra na expectativa do consumidor que, muitas vezes, não tem o conhecimento que é possível o seu arrependimento.

O direito ao arrependimento do consumidor nem sempre é divulgado pelos próprios comerciantes. Contudo, é uma regra expressamente prevista e amparada pelo Código de Defesa do Consumidor, que dispõe que o consumidor pode desistir da compra no prazo de sete dias sempre que a contratação de fornecimento de produtos ou serviços ocorrer fora do estabelecimento físico, ou seja, por telefones ou sites.

Porém, o prazo de sete dias é contado a partir da assinatura ou do ato de recebimento do produto ou serviço, assim é importante o consumidor sempre ter em mãos o comprovante da entrega do produto que demonstra a data, bem como o comprovante da assinatura do serviço, para que possa exercer seu direito sem algum contratempo.

Dessa forma, assim que exercer o direito de arrependimento dentro do prazo estabelecido, os valores eventualmente pagos, devem ser devolvidos de imediato e monetariamente atualizados.

Ressalta-se que, o consumidor não é obrigado a explicar o porquê desistiu da compra. Ele simplesmente tem o direito de arrependimento amparado pela Lei, sempre que a compra for realizada fora do estabelecimento comercial.

É sempre importante o consumidor formalizar o pedido de devolução do dinheiro, pois caso o fornecedor se recuse a devolver por qualquer justificativa que seja, o consumidor deve ter registrado a fim de comprovar judicialmente ou através de uma notificação extrajudicial.

* Letícia Marques é advogada de Direito do Consumidor do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados.

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada



Habemus Autoridade Nacional de Proteção de Dados

Inegável a responsabilidade e a importância da ANPD, órgão que será o grande guardião da proteção de dados no Brasil.


Novas regras para aposentadoria e a necessidade do planejamento

Começou a contagem regressiva para que as novas regras para se aposentar no Brasil entrem em vigor.


13 anos da Lei Maria da Penha

Transformação social e necessidade de avançar mais.


“Distrato Imobiliário” garante maior proteção aos contratantes

Como usar a Lei do Distrato para se precaver em transações imobiliárias.


Instrução Normativa para o ITR

Diretrizes e especificações para a entrega das declarações do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR).


Contribuição sindical continua opcional

Mesmo com fim da proibição do desconto em folha, a contribuição sindical continua a ser opcional.


Penhora de salário para pagamento de aluguel e despesas condominiais em atraso

Agora está mais fácil penhorar salário para pagamento de aluguel e despesas condominiais em atraso.


Principais alterações no texto base da reforma da previdência

O texto da proposta da reforma da previdência (PEC 06/19) foi aprovado em primeira votação no dia 13 de julho de 2019.


MP altera lei do FGTS

A MP 889, que altera a lei do FGTS, entrega o que não deveria ter sido tomado.


O sigilo do e-mail pessoal do empregado

Aquele que tem sua intimidade violada deve ter a oportunidade de se defender amplamente.


O que falta para a Telemedicina se tornar Medicina?

O uso das novas tecnologias no relacionamento entre médico e paciente ainda provoca muita discussão no setor de saúde no Brasil.


Hacker – Grampo ilícito ou crime contra a Segurança Nacional?

Algumas respostas, em tese, poderiam configurar infringência à Lei de Segurança Nacional.