Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O excesso de multas abusivas ocorridas no Brasil

O excesso de multas abusivas ocorridas no Brasil

28/06/2023 Thayane Paiva Lima

A multa é o grande medo dos contribuintes e na maioria das vezes eles não conseguem identificar casos em que elas são abusivas, para acionar meios necessários e discutir os percentuais cobrados.

Ela por si só, pode ser determinada como uma penalidade, ou seja, “um castigo” gerado por simples impontualidade ou eventual fraude, dolo ou má fé na tentativa de reduzir e excluir tributos.

No entendimento do Supremo Tribunal Federal, os entes públicos não podem ignorar a jurisprudência do STF que impôs o teto de 30% para a cobrança de multas sobre impostos devidos ou em discussão para pagamento por conta de créditos tributários.

O Tribunal possui diversas decisões limitando a aplicação de multas tributárias, em razão do Princípio Constitucional do Não-Confisco.

No último dia 12 de junho, um entendimento semelhante foi utilizado pelo desembargador Kleber Leyser de Aquino, da 3ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, para suspender liminarmente cobrança de multa de 222% sobre ICMS supostamente creditado indevidamente.

De acordo com o desembargador, "o Supremo Tribunal Federal (STF) possui entendimento firmado no sentido de que a multa punitiva deve ser fixada entre 20% e 30% do valor do tributo, visto que se adequa aos princípios da proporcionalidade, razoabilidade e da vedação ao confisco”.

Em razão da inexistência de uma legislação específica sobre o tema, muitos contribuintes ainda precisam recorrer ao Poder Judiciário como forma de revisar e limitar as multas impostas pela Fazenda Pública.

Assim, o que se tem são decisões, de diversos Tribunais por todo país, limitando essas multas, uma vez que, muitas delas, ultrapassam até mesmo o valor principal do tributo cobrado.

O Fisco, seja municipal, estadual ou federal, impõe multas com percentual muito elevado, às vezes até acima de 100% do valor principal, o que onera o contribuinte, seja pessoa física ou jurídica.

Dessa forma, diante da aplicação de uma multa excessiva e incidente na cobrança de crédito tributário, é possível recorrer ao Poder Judiciário objetivando a redução, em atenção ao Princípio Constitucional do Não-Confisco.

Até o momento temos decisões judiciais reduzindo o percentual das multas tributárias. Como exemplo, o Supremo Tribunal Federal já se manifestou acerca do limite da aplicação das multas moratórias, no julgamento do Agravo Regimental em Agravo de Instrumento nº 727.872/RS, de Relatoria do Ministro Roberto Barroso, estabelecendo que a multa moratória não pode ultrapassar o percentual de 20% (vinte por cento) sobre o valor do tributo, sob pena de caracterizar o confisco.

Qualquer assunto relacionado a tributos no Brasil deve ser tratado com muita cautela, principalmente pela alta carga tributária que existe no país.

Dessa forma, para que o contribuinte não tenha que realizar pagamento de valor alto, é importante que ele saiba a necessidade do cumprimento de todas as obrigações dentro dos prazos estipulados em lei.

* Thayane Paiva Lima é contadora e controller do escritório Bastos Freire Advogados.

Para mais informações sobre multas clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Uma boa dose de bom senso em favor do trabalhador gaúcho!

O bom senso precisa falar mais alto, de tal maneira que ninguém saia ainda mais prejudicado nesta tragédia.

Autor: Sofia Martins Martorelli


Crise no setor de saúde e a suspensão de venda de planos da Prevent Sênior

A suspensão de venda de planos de saúde familiares e individuais por uma operadora, como no caso da Prevent Senior, geralmente ocorre sob a égide da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que é o órgão regulador do setor.

Autor: Natália Soriani


Recuperação extrajudicial do grupo Casas Bahia

Entenda algumas vantagens desse modelo para reestruturação da sociedade.

Autor: João Pedro Gonçalves de Sousa


Trabalhador pode se opor a pagar contribuições assistenciais feita ao sindicato

“A manifestação coletiva, em assembleia, é a forma e o momento mais adequados para se exprimir a vontade dos empregados”.

Autor: Divulgação


Correção de rumos no STF: pejotização é fraude trabalhista

O Supremo Tribunal Federal (STF) tem recebido nos últimos meses uma quantidade expressiva de reclamações constitucionais para cassar decisões da Justiça do Trabalho relativas a contratos fraudulentos de prestação de serviços.

Autor: Cíntia Fernandes


Novas regras para notificação de inadimplência e exclusão de planos de saúde

O próximo dia 1º de setembro será marcado por uma importante mudança na relação entre consumidores e operadoras de planos de saúde.

Autor: Natália Soriani


O cancelamento unilateral dos planos de saúde é legalmente possível?

Apesar de possível, Jurista do CEUB considera a rescisão unilateral e sem motivo como abusiva, já que configura a potencial violação do princípio constitucional de proteção à vida.

Autor: Divulgação


O embate Twitter Files Brasil: que legado queremos deixar?

Elon Musk está usando sua plataforma X (ex-Twitter) para um duelo digital com o presidente do STF, Alexandre de Moraes.

Autor: Patrícia Peck


Justiça e inclusão: as leis para pessoas com TEA

Por muito tempo, os comportamentos típicos de crianças que tinham Transtorno do Espectro Autista (TEA) foram tratados como “frescura”, “pirraça” ou “falta de surra”.

Autor: Matheus Bessa e Priscila Perdigão


Você conhece a origem dos seus direitos?

Advogado e professor Marco Túlio Elias Alves resgata a história do Direito no Brasil e no mundo em livro que democratiza os saberes jurídicos.

Autor: Divulgação


Os planos de saúde e os obstáculos ao bem-estar dos pacientes

No contexto do direito à saúde no Brasil, os planos de saúde privados são regulados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que estabelece normas e diretrizes para garantir a cobertura assistencial aos consumidores.

Autor: Natália Soriani


R$ 200 mil não apaga a dor, mas paga a conta

Um caso de erro médico do interior de São Paulo chamou atenção de todo Brasil por conta de dois fatores.

Autor: Thayan Fernando Ferreira