Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O resgate da independência e harmonia dos poderes

O resgate da independência e harmonia dos poderes

08/05/2020 Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

Quando aplicaram o formato do tripé - Legislativo, Executivo e Judiciário - para sustentar o regime institucional, os constitucionalistas de 88 miravam a independência e a harmonia dos poderes.

A Carta Magna produzida tem viés parlamentarista, influência de expressiva parcela de seus elaboradores que, no entanto, não conseguiram aprovar o parlamentarismo. No plebiscito de 21 de abril de1993, o presidencialismo veceu por 69,2% dos votos.

Com a Constituição parlamentarista e os congressistas com sede de “governar”, os presidentes pós-88 lotearam o poder, trocando ministérios e cargos importantes de governo por votos parlamentares. Numa discutível coalizão.

Durante todos os anos, os parlamentares e partidos passaram ao Judicário, em forma de ações, a decisão daquilo que não conseguiram resolver na ação política.

Isso levou a situações como liminares onde apenas um ministro do Supremo impede a execução de leis votadas pelo Congresso (513 deputados e 81 senadores) e de atos do presidente da República, como a recente nomeação do diretor da Polícia Federal.

Depois de tantos anos delegando prerrogativas ao Judiciário, congressistas hoje propõem que leis e atos presidenciais só possam ser obstados por decisão do colegiado, jamais por apenas um ministro.

Oxalá seja o começo de uma grande reforma. Que também se limite o direito do presidente da República editar medidas provisórias, reservando-as apenas para situações de guerra ou catástrofe.

E que o Congresso seja impedido de continuar “matando” projetos através do engavetamento, sem a sua apreciação pelos deputados e senadores. São procedimentos que tumultuam os poderes constituídos e enfraquecem a democracia.

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves é dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).

Fonte: Dirceu Cardoso Gonçalves



A responsabilidade civil dos influenciadores digitais

Influenciar é o ato de exercer uma ação psicológica ou uma ascendência sobre algo ou alguém.


Os vícios insanáveis e a flexibilização da Lei da Inelegibilidade

O Senado Federal aprovou no último dia 14 de setembro o projeto que flexibiliza a Lei de Inelegibilidade e garante que os políticos possam se candidatar mesmo quando tiverem as contas julgadas irregulares, desde que tenham sido punidos apenas com multa, sem imputação de débitos.


O caso do jogador Dudu do Palmeiras: por que o divórcio deixou a ex-mulher sem nada?

O caso da separação do jogador Dudu, do Palmeiras, deixa um alerta para quem pretende estabelecer um casamento ou uma união estável.


Demissão por WhatsApp não é ilegal

Entendimento da Justiça tem sido de verificar, independente do meio, postura digna e comunicação clara nos desligamentos de trabalhadores.


Caso Daniel Alves, a Lei Pelé e a cultura de atraso de salários no futebol brasileiro

Na última semana fomos surpreendidos pela atitude corajosa do lateral Daniel Alves que decidiu não atuar mais pelo São Paulo Futebol Clube, por conta de atrasos de salários.


As expectativas advindas do Marco Legal das Startups

É verdade que a sensação da comunidade empresarial, quando da eminência da publicação de um novo diploma legal a fim de regular determinada atividade, volta-se naturalmente aos entraves burocráticos capazes de frear e obstar a chancela de negócios.


As fraudes financeiras com bitcoins e a necessidade da punição exemplar

A ampla cobertura da mídia sobre as operações das autoridades brasileiras contra fraudes financeiras utilizando a rentabilidade das criptomoedas como forma de atrair investidores deu visibilidade à uma prática que vem crescendo exponencialmente no Brasil.


Polêmica da Anvisa: atuação do órgão no jogo entre Brasil e Argentina

Na tarde do último domingo (5 de setembro), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) paralisou a partida de futebol entre Brasil e Argentina, que jogavam pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.


As virtudes e desvirtuamentos do Novo Código Eleitoral

Tramita no Congresso Nacional o projeto do Novo Código Eleitoral com mais de novecentos artigos.


Principais impactos da LGPD nas relações de trabalho

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD - Lei nº13.709/2018) prevê regras e princípios que devem ser observados quando da utilização de dados pessoais pelas empresas privadas e públicas.


Como garantir sua aposentadoria com tranquilidade em Portugal

Quando um cidadão brasileiro decide morar em Portugal, ou vice e versa, é preciso fazer diversos planos para que a sua qualidade de vida seja ainda melhor no país de destino.


Parecer da Receita pretende excluir o ICMS da base dos créditos de PIS e COFINS

O ICMS destacado na nota fiscal não pode ser considerado receita bruta por não representar acréscimo patrimonial do contribuinte.