Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Quando o sentimento de superioridade transcende o próprio indivíduo

Quando o sentimento de superioridade transcende o próprio indivíduo

16/07/2020 Gabriel Viegas

“Seu ego é frágil e precisa ser constantemente reforçado, porque, no fundo, ele sabe que não é nada do que diz ser”

Recentemente Mary Lea Trump, sobrinha do chefe do executivo dos EUA, anunciou que o lançamento de seu livro de memórias ‘Too much and never enough: How my family created the world's most dangerous man’ (Demais e nunca o suficiente: Como minha família criou o homem mais perigoso do mundo, em tradução livre) deverá ocorrer em 28 de julho, semanas antes da Convenção Nacional Republicana, que, provavelmente, indicará Donald Trump à reeleição.

No livro, Mary assegura que seu tio se transformou em uma “ameaça à saúde, à segurança econômica e ao tecido social do mundo”, além de ser um sujeito com baixa autoestima, que necessita humilhar terceiros.

“Seu ego é frágil e precisa ser constantemente reforçado, porque, no fundo, ele sabe que não é nada do que diz ser”, escreveu.

Um casal carioca, entretanto, mostrou que não é necessário ostentar bilhões de dólares na conta bancária ou mesmo ser o chefe político de uma grande nação para que o espírito de superioridade transcenda o próprio indivíduo. Basta ser “engenheiro civil. Formado, e muito melhor que você!”.

A fala supracitada faz parte de um vídeo exibido em reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, no último dia 5, que chocou o país.

Na matéria, a equipe de jornalistas acompanhava uma ronda da Vigilância Sanitária no primeiro dia da reabertura dos bares e restaurantes no Rio de Janeiro quando flagrou aglomerações nos estabelecimentos.

O casal, contrariando às autoridades de saúde por não usar máscaras, valeu-se do argumento citado para desacatar o fiscal que havia notificado as irregularidades.

É provável que a postura agressiva do engenheiro civil formado e sua esposa tenha sido motivada pela falta de entendimento de que o fiscal atuava para o bem comum. 

De acordo com o professor Mario Sergio Cortella, indivíduos arrogantes são aqueles que consideram que não têm mais nada a aprender, e avaliam que apenas os seus desejos são corretos.

Talvez isso explique, embora não justifique, o comportamento beligerante do casal, que, ao que tudo indica, considera o próprio anseio de diversão mais relevante que a saúde pública.

Diante da repercussão negativa, a autora das ofensas, Nívea del Maestro, foi rapidamente identificada e demitida do seu emprego com direito a nota pública da ex-empregadora afirmando que repudia o comportamento da ex-colaboradora.

Quanto ao outro autor das ofensas, o “engenheiro civil formado e muito melhor que você”, foi igualmente identificado como Leonardo Barros.

Assim como a esposa, ele afirma que perdeu o emprego em um projeto sigiloso de gerenciamento de risco e passou a ser profundamente questionado pela sociedade e atacado nas redes sociais, principalmente, depois da descoberta de sua inscrição no programa de auxílio emergencial.

Curiosamente, mesmo diante de todas as consequências negativas que o casal sofreu, ambos não demonstraram arrependimento.

Em entrevista posterior aos fatos, consideraram que não haviam feito nada de errado e ainda questionaram a capacidade dos telespectadores de interpretar o que foi claramente dito, subestimando o que o psicólogo americano Howard Gardner chama de inteligência linguística de inúmeros brasileiros.

Esse é exatamente o perfil de um sujeito com falta de humildade. Jamais assume os próprios erros e ainda desdenha dos demais.

Assim como afirmou Mary Lea Trump, “seu ego é frágil e precisa ser constantemente reforçado, porque, no fundo, ele sabe que não é nada do que diz ser”.

* Gabriel Viegas é advogado-membro da comissão de Direitos Humanos da OAB-MG e professor no curso de Direito da Faculdade Batista de Minas Gerais.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



As novas regras e as lacunas do teletrabalho

No último dia 3 de agosto, o Senado Federal aprovou o projeto de lei de conversão da Medida Provisória 1.108/2022, que cria novas regras para o teletrabalho no Brasil.


Pais, quais são os seus direitos?

Embora ainda não haja um direito específico para esse público, há casos em que eles recebem o equivalente ao salário maternidade.


As Eleições de 2022 e o grande desafio da LGPD

A produção e uso de dados de eleitores é um recurso frequentemente utilizado por chapas concorrentes durante o período eleitoral.


A evolução na legislação do teletrabalho no Brasil

As transformações nas relações trabalhistas impostas pela pandemia da Covid-19 foram fundamentais para solidificar algumas flexibilizações previstas na reforma trabalhista.


Decisão do TST traz repercussão ao salário dos aprendizes

Como é de conhecimento da grande maioria dos departamentos de Recursos Humanos, a elaboração do cálculo do salário do aprendiz nunca foi assunto fácil.


Em briga de marido e mulher, o condomínio é obrigado a meter a colher

Está cada vez mais em desuso a frase retrógrada que recomenda: “em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”.


Lei de Improbidade, STF e o futuro das eleições

Nessa próxima semana o Supremo Tribunal Federal poderá alterar os rumos das Eleições de outubro.


A safra futura pode ser considerada bem essencial em caso de recuperação judicial?

A safra futura, na maioria dos casos, serve de fomento para a nova plantação e é responsável pelo giro de capital do produtor rural, sendo imprescindível para as atividades produtivas, principalmente para o empresário rural em crise.


Dúvidas sobre inventário pode gerar custos desnecessários

Quando se perde um ente querido tem-se de lidar com a dor e, ao mesmo tempo, com os processos exigidos por lei para a divisão de bens, o famoso inventário.


Justiça do Espírito Santo reconhece legalidade da Buser

Magistrado destaca que imposição da regra do circuito fechado ao transporte por fretamento fere autonomia e liberdade de locomoção dos consumidores.


Bolsas, exchanges cripto e o funcionamento dos mercados

Esses dias conversava com um jovem investidor de criptomoedas que nunca havia operado em bolsa de valores (sim, eles existem).


União Federal permite a utilização de prejuízo fiscal em transação tributária

Desde 2020, grandes devedores podem regularizar seus débitos tributários por meio da celebração de Acordo de Transação Individual.