Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Respeito, direito e saúde mental estão no mesmo balaio

Respeito, direito e saúde mental estão no mesmo balaio

09/07/2023 Thayan Fernando Ferreira

Duas portarias acabaram de instituir a recomposição financeira para os serviços residenciais terapêuticos (SRT) e para os centros de atenção psicossocial (Caps).

Entre as medidas está a dedicação de mais de R$ 200 milhões para o orçamento da Rede de Atenção Psicossocial (Raps) no restante de 2023.

Ao todo, o recurso destinado pela pasta aos estados será de R$ 414 milhões no período de um ano. O montante anunciado representa um aumento de 27% no orçamento da rede, no intuito de aumentar a assistência à saúde mental no Sistema Único de Saúde (SUS).

Esta é uma seara bastante discutida no Brasil. Hoje existem leis e políticas que visam assegurar a saúde mental dos cidadãos.

Uma das leis que surgiram em benefício da população em relação a saúde mental é a Lei 10.216/2001, conhecida como Lei da Reforma Psiquiátrica, que estabelece diretrizes para a proteção dos direitos das pessoas com transtornos mentais.

Essa lei defende a desinstitucionalização, ou seja, o fim dos manicômios e o incentivo ao tratamento em comunidade, com ênfase na humanização do cuidado.

Ainda é válido lembrar da Lei 13.935/2019, que determina a presença obrigatória de serviços de psicologia e de serviço social nas redes públicas de educação básica.

Essa medida busca promover a saúde mental dos estudantes, proporcionando um suporte emocional adequado no ambiente escolar.

Volto às portarias, e recordo que repasse será direcionado para um total de 2.855 Caps e 870 SRT existentes no país.

Todas as instituições, de acordo com o Ministério da Saúde, terão recomposição do financiamento e os recursos serão incorporados ao limite financeiro de média e alta complexidade de estados. Neste contexto, o SUS enriquece um papel extremamente relevante.

Não podemos deixar de lembrar do Sistema Único de Saúde. Isso porque o SUS oferece atendimento psicológico e psiquiátrico gratuitos por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e das equipes de Saúde Mental.

Esses serviços são fundamentais para garantir o acesso ao tratamento e o acolhimento de pessoas com problemas de saúde mental.

No entanto, apesar dos avanços legais, ainda há desafios a serem enfrentados para garantir plenamente a saúde mental da população brasileira.

Ansiedade, depressão, transtorno afetivo bipolar, esquizofrenia, psicoses, demência, deficiência intelectual e transtornos de desenvolvimento estão entre as doenças que podem ser provocadas por traumas convenientes da saúde mental.

O Brasil, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), lidera o ranking de casos de depressão e ansiedade entre os países da América Latina, com 11,5 milhões de padecentes.

Já um levantamento desenvolvido pela Docway, empresa especializada em soluções de saúde digital, a ansiedade generalizada apresentou um crescimento de 113%, enquanto o transtorno misto ansioso e depressivo um aumento de 49% ao longo da pandemia de Covid-19.

Este estudo ainda atesta que episódios depressivos leves cresceram 773%, saltando de 76 para 664 casos no período.

Direitos são direitos e a saúde mental merece atenção e cuidado contínuos, tanto por parte do governo quanto da sociedade como um todo.

Promover um ambiente favorável à saúde mental é essencial para o desenvolvimento individual e coletivo, contribuindo para uma sociedade mais equilibrada e inclusiva.

Por isso, é necessário investir na ampliação e na melhoria desses serviços, bem como na promoção de campanhas de conscientização e na redução do estigma em relação às doenças mentais.

* Thayan Fernando Ferreira é advogado especialista em direito de saúde e direito público, membro da comissão de direito médico da OAB-MG e diretor do escritório Ferreira Cruz Advogados.

Para mais informações sobre saúde mental clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Ambrósio Comunicação



O perigo da pejotização para as startups

Os recentes conflitos envolvendo a Uber e a justiça trabalhista em ações que reivindicam o vínculo de emprego de motoristas junto à empresa ganhou a atenção da sociedade e até do Palácio do Planalto.

Autor: Ricardo Grossi


Uma boa dose de bom senso em favor do trabalhador gaúcho!

O bom senso precisa falar mais alto, de tal maneira que ninguém saia ainda mais prejudicado nesta tragédia.

Autor: Sofia Martins Martorelli


Crise no setor de saúde e a suspensão de venda de planos da Prevent Sênior

A suspensão de venda de planos de saúde familiares e individuais por uma operadora, como no caso da Prevent Senior, geralmente ocorre sob a égide da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que é o órgão regulador do setor.

Autor: Natália Soriani


Recuperação extrajudicial do grupo Casas Bahia

Entenda algumas vantagens desse modelo para reestruturação da sociedade.

Autor: João Pedro Gonçalves de Sousa


Trabalhador pode se opor a pagar contribuições assistenciais feita ao sindicato

“A manifestação coletiva, em assembleia, é a forma e o momento mais adequados para se exprimir a vontade dos empregados”.

Autor: Divulgação


Correção de rumos no STF: pejotização é fraude trabalhista

O Supremo Tribunal Federal (STF) tem recebido nos últimos meses uma quantidade expressiva de reclamações constitucionais para cassar decisões da Justiça do Trabalho relativas a contratos fraudulentos de prestação de serviços.

Autor: Cíntia Fernandes


Novas regras para notificação de inadimplência e exclusão de planos de saúde

O próximo dia 1º de setembro será marcado por uma importante mudança na relação entre consumidores e operadoras de planos de saúde.

Autor: Natália Soriani


O cancelamento unilateral dos planos de saúde é legalmente possível?

Apesar de possível, Jurista do CEUB considera a rescisão unilateral e sem motivo como abusiva, já que configura a potencial violação do princípio constitucional de proteção à vida.

Autor: Divulgação


O embate Twitter Files Brasil: que legado queremos deixar?

Elon Musk está usando sua plataforma X (ex-Twitter) para um duelo digital com o presidente do STF, Alexandre de Moraes.

Autor: Patrícia Peck


Justiça e inclusão: as leis para pessoas com TEA

Por muito tempo, os comportamentos típicos de crianças que tinham Transtorno do Espectro Autista (TEA) foram tratados como “frescura”, “pirraça” ou “falta de surra”.

Autor: Matheus Bessa e Priscila Perdigão


Você conhece a origem dos seus direitos?

Advogado e professor Marco Túlio Elias Alves resgata a história do Direito no Brasil e no mundo em livro que democratiza os saberes jurídicos.

Autor: Divulgação


Os planos de saúde e os obstáculos ao bem-estar dos pacientes

No contexto do direito à saúde no Brasil, os planos de saúde privados são regulados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que estabelece normas e diretrizes para garantir a cobertura assistencial aos consumidores.

Autor: Natália Soriani