Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Roberto Jefferson – Metralhadora ou um camicase verbal?

Roberto Jefferson – Metralhadora ou um camicase verbal?

28/07/2020 Bady Curi Neto

O presidente do PTB e ex- deputado Federal, Roberto Jefferson, é um expoente da política brasileira.

Seu nome dispensa maiores apresentações, principalmente após ter sido o protagonista da denúncia do mensalão, no qual, sozinho, contra tudo e contra todos expôs as vísceras da corrupção do governo Petista, tendo levado vários deputados e empresários a condenação pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Em razão de suas denúncias acabou por ser condenado, em uma mudança de entendimento jurisprudencial do STF, sobre o crime de lavagem de dinheiro e corrupção, por ter recebido, segundo declarara, R$4.000.000,00 como caixa dois de campanha eleitoral.

Conhecido por sua oratória afiada, a facilidade de se expressar, mesmo sob pressão, enfrentou o processo contra ele com a cabeça erguida.

Após sua condenação, ao passar do regime fechado para o semiaberto, deu uma entrevista para o jornal Folha de São Paulo, sendo repreendido por decisão do Ministro Barroso, ao argumento, pífio, de que aquele que possui os direitos políticos caçados não poderia dar entrevistas sobre política, em um agravamento da pena, não prevista no Código Penal, consubstanciando verdadeira afronta à liberdade de expressão.

Se em razão da condenação do mensalão, com a mudança repentina do entendimento jurisprudencial, como dito alhures, levantaram-se suspeitas, infundadas ou não, que o verdadeiro intuito era emudecer Roberto Jefferson, já a decisão que o proibiu dar entrevistas, no cumprimento de sua pena, não deixou dúvidas.

Agora, novamente, Roberto Jefferson vira sua metralhadora verbal assumindo a “defesa” do governo Jair Bolsonaro, tendo exposto articulação política, segundo ele, do ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso e dos dois presidentes das casas congressuais, com a anuência dos Ministros do Supremo Tribunal Federal.

Suas postagens sempre alfinetando as mais altas autoridades do país, e seu apoio incondicional ao governo Bolsonaro, lhe renderam um pedido de Busca e Apreensão por ordem do ministro Alexandre de Morais, no inquérito da Fake News, também chamado de inquérito do fim do mundo pelo ministro Marco Aurélio Mello.

Semana pretérita, em nova decisão, contrário ao parecer do Ministério Público, Alexandre de Morais, determina a retirada do ar do Twitter de pessoas apoiadoras ao Bolsonaro, entre elas a de Roberto Jefferson, ao argumento de interromper discursos de conteúdo de ódio. Tal decisão desafia a liberdade de expressão e manifestação.

Bob Jefferson não medrou, não emudeceu, ao contrário, voltou sua metralhadora verbal, cuspindo denúncias, críticas e ofensas contra os Ministros da Corte Suprema, dizendo ser a pior composição do STF de sua história.

Em suas lives e entrevistas no Youtube chama os Ministros de 11 urubus, um monturo da esquerda do PT e do PSDB, acusa a esposa de Alexandre de Morais de ser a longa manus de seu marido nas ações judiciais, entre outras acusações.

Com exceção das imputações quanto à homossexualidade de dois Ministros, competência e honestidade não se mensuram pela condição sexual, as falas são gravíssimas.

Resta a pergunta: será que Jefferson tem balas (provas) para sua metralhadora ou será que sucumbirá como um camicase verbal?

* Bady Curi Neto é advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) e professor universitário.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Recuperação extrajudicial do grupo Casas Bahia

Entenda algumas vantagens desse modelo para reestruturação da sociedade.

Autor: João Pedro Gonçalves de Sousa


Trabalhador pode se opor a pagar contribuições assistenciais feita ao sindicato

“A manifestação coletiva, em assembleia, é a forma e o momento mais adequados para se exprimir a vontade dos empregados”.

Autor: Divulgação


Correção de rumos no STF: pejotização é fraude trabalhista

O Supremo Tribunal Federal (STF) tem recebido nos últimos meses uma quantidade expressiva de reclamações constitucionais para cassar decisões da Justiça do Trabalho relativas a contratos fraudulentos de prestação de serviços.

Autor: Cíntia Fernandes


Novas regras para notificação de inadimplência e exclusão de planos de saúde

O próximo dia 1º de setembro será marcado por uma importante mudança na relação entre consumidores e operadoras de planos de saúde.

Autor: Natália Soriani


O cancelamento unilateral dos planos de saúde é legalmente possível?

Apesar de possível, Jurista do CEUB considera a rescisão unilateral e sem motivo como abusiva, já que configura a potencial violação do princípio constitucional de proteção à vida.

Autor: Divulgação


O embate Twitter Files Brasil: que legado queremos deixar?

Elon Musk está usando sua plataforma X (ex-Twitter) para um duelo digital com o presidente do STF, Alexandre de Moraes.

Autor: Patrícia Peck


Justiça e inclusão: as leis para pessoas com TEA

Por muito tempo, os comportamentos típicos de crianças que tinham Transtorno do Espectro Autista (TEA) foram tratados como “frescura”, “pirraça” ou “falta de surra”.

Autor: Matheus Bessa e Priscila Perdigão


Você conhece a origem dos seus direitos?

Advogado e professor Marco Túlio Elias Alves resgata a história do Direito no Brasil e no mundo em livro que democratiza os saberes jurídicos.

Autor: Divulgação


Os planos de saúde e os obstáculos ao bem-estar dos pacientes

No contexto do direito à saúde no Brasil, os planos de saúde privados são regulados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que estabelece normas e diretrizes para garantir a cobertura assistencial aos consumidores.

Autor: Natália Soriani


R$ 200 mil não apaga a dor, mas paga a conta

Um caso de erro médico do interior de São Paulo chamou atenção de todo Brasil por conta de dois fatores.

Autor: Thayan Fernando Ferreira


Precisamos mesmo de tantas leis?

O Direito surgiu como uma forma de organizar melhor as sociedades, uma vez que já havia algumas tradições reproduzidas a partir de exemplos ou de determinações orais que alguns grupos, especialmente os familiares, seguiam.

Autor: Marco Túlio Elias Alves


Proibição do chatbot na campanha eleitoral afeta políticos com menos recursos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizou normas relacionadas ao uso da inteligência artificial nas campanhas para as eleições municipais de 2024. A alteração é vista como pequena e mal discutida por especialistas da área.

Autor: Divulgação