Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vale a pena criar uma pessoa jurídica?

Vale a pena criar uma pessoa jurídica?

18/03/2020 Divulgação

Conheça as vantagens.

Você acredita que criar uma pessoa jurídica é só para quem tem muito dinheiro ou trabalha com uma equipe grande? Não é bem assim. Hoje em dia, se mostra muito rentável investir nisso.

“A pessoa jurídica serve para ter mais rendimento e pagar menos imposto, e você pode constitui-la mesmo sozinho, chama-se EIRELI”, conta Dra. Sabrina Rui, advogada em direito tributário e imobiliário.

Hoje em dia, tudo que te faz economizar vale a pena. Se, em um mês, conseguir economizar mil reais, no fim do ano esse valor será doze vezes maior, ou seja, a economia é de 12 mil em um ano. Considerando que a longevidade da empresa será muito maior, a renda economizada só aumenta.

“Se pensarmos, por exemplo, em alguém que tem dois ou três imóveis na forma de pessoa física, o imposto a ser pago sobre a renda auferida é de até 27%. Caso os imóveis estejam dentro de uma pessoa jurídica, a carga tributária pode diminuir para até 15%”, explica a Dra.

Claro, é preciso analisar a finalidade e se realmente valerá a pena constituir a pessoa jurídica, porém, na maioria dos casos, a economia que resulta do investimento para constituí-la é sempre muito maior.

Outra vantagem é ter a necessidade de fazer inventário anulada. Com a pessoa jurídica, é possível envolver também os filhos e fazer a transmissão de cotas, assim, os bens serão passados para os filhos sem a necessidade do inventário.

Criar uma pessoa jurídica pode proteger o seu patrimônio, fazer com que se pague menos impostos e evitar o inventário. Todos estes fatores criam uma segurança financeira extremamente favorável, não apenas para quem tem muitos bens, mas para todos.

Serviço: Dra. Sabrina Marcolli Rui - Advogada em direito tributário e imobiliário (www.sr.adv.br)

Fonte: Toda Comunicação



A inadequação da mediação obrigatória pré-judicial

Nos últimos anos, a sobrecarga do sistema judiciário brasileiro tem provocado o debate acerca da obrigatoriedade da tentativa de solução extrajudicial de conflitos antes do ajuizamento de ações judiciais, como uma forma de comprovar o interesse de agir.

Autor: Suzana Cremasco


Novas regras de combate ao telemarketing abusivo entram em vigor

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) implementou uma série de novas medidas para combater o telemarketing abusivo, reforçando a proteção dos consumidores brasileiros.

Autor: Divulgação


Licença-maternidade sem carência para as autônomas

Foi uma decisão histórica, e com 25 anos de atraso!

Autor: Nayara Felix


Recorde de queixas contra planos de saúde e a necessidade de mudanças

Nos últimos dez anos, o Brasil testemunha um aumento alarmante nas queixas de consumidores contra planos de saúde.

Autor: Natália Soriani


Conflitos condominiais

Tipos de ações judiciais e maneiras eficientes de resolvê-los.

Autor: Divulgação


Se a doença é rara, o tratamento não pode ser

13 milhões de brasileiros convivem hoje com doenças raras, de acordo com o Ministério da Saúde.

Autor: Thayan Fernando Ferreira


O perigo da pejotização para as startups

Os recentes conflitos envolvendo a Uber e a justiça trabalhista em ações que reivindicam o vínculo de emprego de motoristas junto à empresa ganhou a atenção da sociedade e até do Palácio do Planalto.

Autor: Ricardo Grossi


Uma boa dose de bom senso em favor do trabalhador gaúcho!

O bom senso precisa falar mais alto, de tal maneira que ninguém saia ainda mais prejudicado nesta tragédia.

Autor: Sofia Martins Martorelli


Crise no setor de saúde e a suspensão de venda de planos da Prevent Sênior

A suspensão de venda de planos de saúde familiares e individuais por uma operadora, como no caso da Prevent Senior, geralmente ocorre sob a égide da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que é o órgão regulador do setor.

Autor: Natália Soriani


Recuperação extrajudicial do grupo Casas Bahia

Entenda algumas vantagens desse modelo para reestruturação da sociedade.

Autor: João Pedro Gonçalves de Sousa


Trabalhador pode se opor a pagar contribuições assistenciais feita ao sindicato

“A manifestação coletiva, em assembleia, é a forma e o momento mais adequados para se exprimir a vontade dos empregados”.

Autor: Divulgação


Correção de rumos no STF: pejotização é fraude trabalhista

O Supremo Tribunal Federal (STF) tem recebido nos últimos meses uma quantidade expressiva de reclamações constitucionais para cassar decisões da Justiça do Trabalho relativas a contratos fraudulentos de prestação de serviços.

Autor: Cíntia Fernandes